One (Wo)Man Band Festival anima Portalegre e Guarda

One (Wo)Man Band Festival anima Portalegre e Guarda

Redacção

Este ano, o One (Wo)Man Band Festival celebra a 10ª edição e para assinalar a data, todo o cartaz é dedicado a projectos portugueses.

O festival decorre nos dias 9 e 10 Outubro 2020 no Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre e no Teatro Municipal da Guarda. Vão ser seis one man bands, alguns já com um trajecto longo e muito particular, que se vão apresentar em Portalegre e na Guarda e mostrar o que de melhor se faz no nosso país: Acid Acid, Little Orange, Meta, O Manipulador, One Man Riff e Rita Braga.

Os bilhetes custam apenas 3€.

Rita Braga, a cantora, compositora e multi-instrumentista está a preparar o seu terceiro álbum de longa duração, gravado e produzido por Andrea Rocca no Baby Microbe Recording Studio. Entretanto já se pode escutar o novo single de Rita Braga, “Tremble Like a Ghost”, que foi revelado em Março. Ao longo da última década deu a volta ao Mundo – apresentou-se em toda a Europa, nos EUA, Brasil, Austrália e Japão – e este ano regressa ao Festival One Man Band.

O Manipulador é a one-man-band de Manuel Molarinho, influenciada por bandas de rock alternativo e ética DIY, que encontra inspiração em paisagens industriais abandonadas, nos ritmos e melodias das conversas e na experimentação. A originalidade do músico tem passado pela criação de peças e cancões somente através do uso do baixo, pedais, loop station e voz, dando ao baixo o papel principal de instrumento de percussão, textural e melódica.

Meta é Mariana Bragada a explorar a essência da voz. Nasceu em Bragança, com raízes profundas na natureza e com a memória de cantar e dançar desde que existe. Caracteriza-se como Costureira de melodias – recolhe e coze sons do mundo, que grava nas suas viagens e que ouve no coração, criando uma manta de retalhos sonoros de caminhos imaginários e tradições, que cresce infinitamente. Meta une a inspiração natural e ancestral que a Terra lhe dá com a tecnologia que a potencializa para re-criar visões e manifestações. Através de improvisos e cânticos em
português, inglês, espanhol e na linguagem universal, partilha o processo de criação no momento e valoriza a viagem como o destino. Meta convida-nos a procurar continuamente a partilha, empatia e liberdade de expressão com o seu som etéreo e lembra-nos de existir no agora. A manuseadora de sons Mariana Bragada estreou-se com o EP “Mónada”, um disco criado apenas com a voz, loopstation, beatbox e inspiração da natureza e ancestralidade, cantado em português e melodias universais. Composto por cinco temas Mónada, é uma introdução ao universo particular de Meta.

Criado em finais de 2014, ACID ACID é Tiago Castro, homem há muito ligado à música, do outro lado da galáxia, do lado de quem a comunica. Ao comando de sintetizadores, guitarras e pedais, revela-nos a sua faceta mais experimental e ambiental, sem perder o fascínio pelo psicadelismo ou apontamentos do rock progressivo. A sua música é construída paulatinamente, com cada camada a revelar um novo trilho num universo muito particular. A guitarra une-se aos sons espaciais dos órgãos, num rendilhar de sensações e emoções. Das inevitáveis comparações às experiências pioneiras dos anos 70, do Krautrock, ouvem-se as inspirações de Tangerine Dream, Cluster ou Harmonia, referências aos momentos mais ambientais de Brian Eno ou Pink Floyd, tudo isto filtrado por um mantra psicadélico de identidade muito vincada. ACID ACID é viagem que se sente, são ondas sonoras e impulsos eléctricos de destino incerto e de apropriação por cada ser com curiosidade incessante.

Projecto a solo do multi-instrumentista Hugo Ramone, formado em 2011. No ano seguinte editou disco de estreia, “Vol.1”, e muitos concertos se seguiram. Após uma pausa, One Man Riff está de regresso e num formato diferente: munido de guitarra ou baixo, bombo, pratos.

A música de Little Orange pode ser definida como um Blues/Gospel experimental, que lhe permite viagens incensáveis, que se estendem do blues do Sul profundo da América, numa igreja Baptista, até ao Capim e ao rock pré-histórico. Little Orange em palco é um verdadeiro blues-man e a sua técnica, combina e mistura o cheiro do Mississippi das cabanas rurais de Clarksdale e das mãos negras que colhiam o Algodão. Blues e Gospel são o sangue que corre desenfreadamente nas veias de Little Orange.

PROGRAMAÇÃO

Sexta, 9 Outubro
CAE Portalegre
O Manipulador
Meta
Acid Acid

Teatro Municipal da Guarda
Rita Braga
Little Orange
One Man Riff

Sábado, 10 Outubro
CAE Portalegre
Rita Braga
Little Orange
One Man Riff

Teatro Municipal da Guarda
O Manipulador
Meta
Acid Acid

EGITANA