Ozzy, Randy Rhoads Foi o Melhor

Ozzy, Randy Rhoads Foi o Melhor

Redacção

Ozzy Osbourne reviu a sua carreira e, confrontado com a extraordinária casta de guitarristas com quem trabalhou, afirma que Randy Rhoads foi o melhor de todos.

Com um novo álbum à porta, já com o primeiro single estreado, Ozzy Osbourne tem dado algumas entrevistas promocionais e numa em particular, uma sessão Q&A enviada como press release, fez uma retrospectiva aos primeiros tempos da sua carreira como artista a solo, depois de ter abandonado os Black Sabbath. Um dos pontos também teve que ver com a anormal quantidade de super estrelas da guitarra eléctrica com quem colaborou na sua carreira. Para Ozzy, houve um acima de todos os outros.

Questionado sobre a preparação do seu álbum de estreia a solo, o fenomenal “Blizzard Of Ozz”, Ozzy respondeu como Randy Rhoads foi determinante, ajudando-o a mudar por completo a sua abordagem à composição musical.

«Em Black Sabbath, deixava-os fazer a sua cena e depois acrescentava as vozes, independentemente na tónica. Tinha que, por tentativa e erro, conseguir colocar ali uma melodia. Mas quando comecei a trabalhar com o Randy Rhoads, ele foi o primeiro a dizer-me: ‘Talvez devas tentar nesta afinação’ e fiquei… ‘Oh!’ Foi o primeiro gajo a, no mínimo, ter em conta a minha opinião e dar-me uma oportunidade. Mas ganhei experiência ao trabalhar com Black Sabbath e isso tornou-me mais fácil trabalhar com outros músicos. Mas com o Randy, tornou-se novamente divertido!»

A partir daí, confrontado com quais as diferenças entre os guitarristas com que trabalhou na sua carreira solo, nomeadamente o icónico trio Rhoads, Jake E. Lee e Zakk Wylde, a resposta foi pronta: «O Randy Rhoads era o melhor. Se tivesse que dizer-te com qual dos guitarristas devias optar por trabalhar, qual tinha a maior formação musical, era o Randy, porque podia compor, podia ler, podia tocar, ensinava na escola de música da sua mãe e era paciente comigo».

Ozzy prosseguiu os elogios a Randy Rhoads que, na verdade, sempre foram recorrentes ao longo da sua carreira, tal como a sua comoção a falar do príncipe da guitarra eléctrica e da sua morte trágica: «Ele conseguia trabalhar comigo, ao invés de trabalhar em cima do que lhe apresentasse. Era divertido! Depois morreu daquela forma trágica. Nunca esquecerei isso enquanto viver. Essa história que todos sabemos. Mas, quero dizer, ele era apenas um miúdo. Tinha vinte e poucos. Não parece justo… Tenho 70 anos e é desolador pensar que ele morreu tão novo».

Sobre Jake E. Lee, Ozzy foi mais sucinto, rapidamente passando aos elogios a Zakk Wylde. Lembrou que «depois surgiu o Jake E. Lee, outro grande músico. Mas o Zakk era algo à parte! Esse gajo fica cada vez mais rápido. O Zakk é o guitarrista que mais tempo esteve comigo! Tem estado comigo há muito tempo e é um dos melhores amigos que alguma vez tive. Para mim é um membro da família. Se precisasse mesmo dele para algo, podia ligar-lhe e ele diria, ‘Estou aí em cinco minutos’. E vice-versa. O Zakk é muito trabalhador. Trabalha até à exaustão».