PCP vende entradas para Festa do Avante acima da lotação máxima definida pela DGS

PCP vende entradas para Festa do Avante acima da lotação máxima definida pela DGS

Redacção

Segundo o jornal Público, o Partido Comunista Português tem vendido entradas para a Festa do Avante, apesar da lotação máxima. Os comunistas dizem que nem todos os bilhetes são para ir à festa, constituindo uma ajuda para o partido.

Contactado pelo jornal Púbico, o PCP não revela quantos bilhetes já vendeu para a Festa do Avante, mas admite que continua a vender entradas para o evento acima da lotação máxima definida pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O número máximo de visitantes que podem estar em simultâneo no recinto da Quinta da Atalaia é de 16.563.

O gabinete de comunicação do PCP disse àquele jornal que parte das entradas permanentes (bilhetes) que estão a ser vendidas correspondem a “gestos de apoio” financeiro para a realização do evento e não necessariamente à compra de entradas para o festival. “A sua compra prossegue, num quadro em que uma parte não correspondendo a deslocações à Festa, mas sim a gestos de apoio, possibilita que sejam ainda alguns milhares as entradas que podem ser adquiridas, atendível a capacidade fixada“, explicam os comunistas. “Todos os elementos de esclarecimento entretanto conhecidos quanto aos cuidados de organização e segurança garantidos, suscita que muitos possam ainda decidir usufruir da Festa [do Avante!] e do seu diversificado programa cultural”, acrescenta o PCP.

PCP terá ponderado não realizar a Festa do Avante

Entretanto, surgiu uma notícia, avançada pelo Diário de Notícias, em que o cancelamento do evento terá sido inclusivamente ponderado. Segundo aquele jornal, essa possibilidade começou a ser discutida entre meados de Março até Maio e envolveu toda a estrutura do partido, desde o Comité Central até às bases.

Segundo o DN, o PCP terá tomado uma decisão final sobre a Festa do Avente numa reunião do Comité Central a 16 de Maio. Esta terá sido tudo menos unânime, com os membros a defenderem diferentes opções. Terá havido até quem sugerisse que a festa não se realizasse de todo e alguns propuseram que se devia resumir ao comício final, que acontece sempre no domingo. Mas a opção de fazer o Avante em tempos de pandemia acabou por vencer, tendo ficado desde logo definido que se trabalharia conjuntamente e em permanência com a DGS.

Recorde-se que a DGS divulgou o parecer que define as medidas que a organização terá de tomar para que o evento se realize com segurança. Estas incluem, entre outras, salas de isolamento, uma lotação específica para cada espaço, lugares sentados e uso obrigatório de máscara. Foi ainda desaconselhado o consumo de álcool, cuja venda será proibida a partir das 20h. O PCP aceitou as medidas e definiu um plano de contingência para a realização do evento que arranca sexta-feira, 4 de Setembro, e se estende até domingo, dia 6. Também já podes consultar todos os concertos, palcos e horários.

 

EGITANA