“Plural Real Animal” é o novo álbum dos Holy Nothing e já o podes ouvir

“Plural Real Animal” é o novo álbum dos Holy Nothing e já o podes ouvir

Redacção

“Plural Real Animal, dos Holy Nothing, é um trabalho essencialmente colaborativo com a participação de vários artistas nacionais e internacionais, como Moullinex e BaianaSystem.

Depois do lançamento do primeiro EP (“Boundaries”, 2014) e do álbum de estreia (“Hypertext”, 2015), os Holy Nothing lançaram o seu segundo longa-duração a 13 de Fevereiro de 2020. Este trabalho é uma história contada em três capítulos. Cada um deles foi lançado num momento diferente, apresentando uma identidade própria.

Em Março lançou-se o primeiro capítulo, “Plural”, composto por canções que utilizam simultaneamente o inglês e o português, numa descoberta da música mais tradicional do Brasil e da sua emergente música independente, de onde extraímos o single “Ruído”, com a participação dos BaianaSystem.

Em Novembro o segundo, “Real”, um manifesto sobre o cansaço perante a homogeneização neste novo mundo de múltiplas opções, afundado entre dogmas e falta de livre arbítrio na cultura do “white noise”. Aqui encontramos “Caixa Preta”, com a voz de Angelo B e o toque de Midas de Moullinex na produção.

Agora dá-se a conhecer pela primeira vez o último capítulo, “Animal”, mais experimental e descontrolado, com o lançamento do álbum que compila estes três momentos – “Plural Real Animal”, que podes ouvir na íntegra no player em baixo.

O disco é mais do que a mera colagem destes fragmentos – ele permite uma quarta interpretação desta obra. Os ambientes sonoros distintos que cada um dos capítulos encerra ilustram a indisciplina do processo criativo dos Holy Nothing. Os conflitos e os consensos da banda e dos vários intervenientes externos reflectem-se assim num só álbum, sem filtros e sem crises de identidade. É um disco feito por muita gente, velhos e novos amigos, com backgrounds muito diversificados. A multi-referenciação é a característica fundamental deste trabalho, em que se assumem orgulhosamente as diferenças de cada um dos muitos envolvidos: BaianaSystem, Barbatuques, Moullinex, Rui Maia (X-Wife, Mirror People), Angelo B (Bamba Social), João Guimarães (Orquestra de Jazz de Matosinhos), Nuno Mendes, Pedro Rompante e Ruben Allen (Sair).

O disco é apresentado em vinil, suporte escolhido pela banda para realçar a organicidade e sujidade que inerente às suas composições, distribuído nacionalmente pela Carpet & Snares e tem o apoio da Fundação GDA.

DATAS DE APRESENTAÇÃO
15 Fevereiro // PORTO // Pérola Negra Club
11 Março // PORTO // Talkfest’20
28 Março // FIGUEIRA DA FOZ // DRAC
18 Abril // AVEIRO // GRETUA
25 Abril // VISEU // Carmo 81
8 Maio // TORRES VEDRAS // Bang Venue
9 Maio // LISBOA // Anjos 70
11 Junho // PORTO // NOS Primavera Sound