MEO Sudoeste 2018: Tudo o que precisas saber

MEO Sudoeste 2018: Tudo o que precisas saber

Redacção

No ano em que o festival assinala 21 anos de existência, a aposta vai para uma ainda maior atenção às zonas de estar e lazer, com um forte reforço a nível tecnológico e de infraestruturas bem como a momentos de programação diferentes, desenhados para animar as tardes do campismo até à abertura do recinto.

Os grandes nomes do cartaz do 22.º MEO Sudoeste são já conhecidos e compõem o elenco perfeito para celebrar 21 anos do maior festival do verão. Shawn Mendes chega com novo álbum para apresentar, J Balvin, Lil Pump e Jason Derulo estreiam-se em Portugal, os fãs da música eletrónica aguardam com expectativa as atuações de Don Diablo, Desiigner, Hardwell e Marshmello e a música nacional estará muito bem representada com concertos como os de Diogo Piçarra ou Mundo Segundo & Sam The Kid que prometem levar ao rubro o público do MEO Sudoeste.

Deixamos em baixo tudo o que precisas saber sobre esta edição.

BILHETES
Até 31 de Julho

Passe Geral – 115€
Bilhete Diário – 55€

A partir de 1 agosto
Passe Geral – 120€
Bilhete Diário – 55€

CARTAZ – consulta aqui os horários dos concertos
4 de agosto
Vila Santa Casa (campismo) – Workshop Escola de Música Tradicional de Odemira, Workshop Gonçalo Condeixa
Palco Super Bock (campismo) – Pedro Morais, Pedro Garrido
5 de agosto
Vila Santa Casa (campismo) – Workshop Escola de Música Tradicional de Odemira, Workshop Gonçalo Condeixa
Palco Super Bock (campismo) – Meninos do Rio, Krash
6 de agosto
Vila Santa Casa (campismo) – Workshop Escola de Música Tradicional de Odemira, Workshop Gonçalo Condeixa
Palco Super Bock (campismo) – Paulo Jorge, Kalash
7 de agosto
Vila Santa Casa (campismo) – Workshop Escola de Música Tradicional de Odemira, Workshop Gonçalo Condeixa
Palco Super Bock (campismo) / Noite de Receção ao Campista by Mega Hits – MC Fioti, Nelson Cunha, Ben Ambergen
8 de agosto
Palco MEO – J Balvin, Don Diablo, Deejay Telio, Piruka
MOCHE Ring – “EDM to the Fullest” com Tony Junior, Sick Individuals, Mightyfools, Putzgrilla
Palco LG by Mega Hits – Blaya, Caroletta, B3L2
Vila Santa Casa (campismo) – Curadoria XEG | Animação em Ação
9 de agosto
Palco MEO – Hardwell, Jason Derulo, Wizkid, C4Pedro
MOCHE Ring – Curadoria Orelha Negra com Suspect, Cálculo, Phoenix RDC, Estraca, Nasty + Harold, Mike El Nite, DJ Kronic
Palco LG by Mega Hits – Eva RapDiva, Papillon, RichFellaz
Vila Santa Casa (campismo) – Curadoria Francisco Rebelo | OPA
10 de agosto
Palco MEO – Marshmello, Lil Pump, Desiigner, Mundo Segundo & Sam The Kid
MOCHE Ring – “Electronic Jungle” by Carlos Manaça com D-Formation, Carlos Manaça, Fauvrelle, Frank Maurel, Miss Sheila, XL Garcia e MC Johnny Def
Palco LG by Mega Hits – Bispo, Domi, MAR
Vila Santa Casa – Curadoria Francisco Rebelo | OPA
11 de agosto
Palco MEO – Karetus & Friends, Shawn Mendes, Diogo Piçarra, Lemaitre
MOCHE Ring – “I Love Baile Funk” com DJ Dresh, MC Zuka e Andre Henriques
Palco LG by Mega Hits – Paulo Sousa, Enoque, Yuzi, Ivo Lucas
Vila Santa Casa (campismo) – Curadoria Capicua | OUPA!

PROGRAMAÇÃO PARA ALÉM DA MÚSICA
Vila Santa Casa – Workshops
Workshops da Escola de Música Tradicional de Odemira
Marco Vieira desenvolve Oficinas de Viola Campaniça, Cavaquinho, Percussões e Cante. O objetivo é dar uma música em cada Oficina para que os “alunos” possam aplicar todas vertentes musicais ao mesmo tempo e possam aplicar os exercícios numa cantiga, aprendendo a tocar e a cantar, enquanto adquirem conhecimentos sobre a região.

Workshops de Gonçalo Condeixa “A Forma do Som”
Gonçalo Condeixa, artista plástico bastante eclético, tem-se dividido entre a pintura, escultura, ilustração e instalação.
O artista residente em Odemira propõe-se a trabalhar dois dos contentores anexos à Vila Santa Casa em conjunto com um grupo de jovens artistas composto por alunos da Escola Secundária Dr. Manuel Candeias Gonçalves, utentes da Associação de Paralisia Cerebral de Odemira, e festivaleiros, criando ligações entre comunidades, entre as ‘Tribos’.
O tema “A Forma do Som”, como o próprio nome indica, pretende trabalhar plasticamente diferentes sonoridades e ritmos musicais. Para tal, o ponto de partida será a obra do artista plástico Wassily Kandisky e o seu livro: Do Espiritual na Arte. Na obra deste artista podemos observar a forma como ele interpreta a relação encontrada entre a música e a pintura.

Curadoria XEG | ANIMAÇÃO EM AÇÃO
Animação em Acção é o nome do projeto apresentado por XEG, onde diariamente se concretizam um conjunto de atividades lúdico-pedagógicas com uma equipa do Chapitô, com crianças e jovens internos em Centros Educativos da Direção Geral de Reinserção Social, pertencente ao Ministério da Justiça. O projeto teve início no Centro Educativo da Bela Vista, alargando-se, mais tarde, ao Centro Educativo Navarro de Paiva.
A equipa responsável pelo projeto Animação em Ação, que assenta num programa de orientação pedagógica de efeito integrador, com vista a responder às necessidades dos jovens, contribuindo assim para a sua formação, desenvolvimento pessoal e inserção social.
XEG abre conversa entre alunos e festivaleiros, culminando na atuação do projeto Animação em Ação, dos alunos e do próprio XEG, com os convidados especiais Del Tó, Manif3sto e Netto.

9 e 10 de agosto – Curadoria FRANCISCO REBELO | OPA – OFICINA PORTÁTIL DAS ARTES
A Oficina Portátil das Artes (OPA) é um projeto pedagógico e artístico de raiz intercultural, promovido pela Associação Sons da Lusofonia (ASL) que tem trabalhado com jovens de diversas origens e bairros da Área Metropolitana de Lisboa. A OPA trabalha na construção de uma rede de trabalho entre bairros que permita aos jovens aceder a ferramentas e práticas artísticas, cruzando amadores com profissionais e permitindo uma formação acompanhada, que possibilite a integração no mercado de trabalho, através da criação artística consolidada. O projeto tem integrado jovens com competências nas áreas da dança e, sobretudo, da música, promovendo a aquisição de diferentes métodos de trabalho.
A Sons da Lusofonia tem trabalhado na criação de condições para a integração de pessoas potencialmente empreendedoras, numa lógica de intervenção social e promoção de oportunidades.

9 de agosto
Documentário “OPA” que retrata o processo de preparação dos vários grupos (ensaios, gravações em estúdio) até à apresentação de um concerto coletivo. Conta com entrevistas aos jovens participantes, guiadas pelos comentários de Francisco Rebelo, diretor artístico da OPA, e de Carlos Martins, diretor artístico da ASL.

A curadoria de Francisco Rebelo no dia 9 de agosto apresenta a atuação de Black Queen, e, da ASL, La Familia Gitana, D’MK e Mynda Guevara, atuações acompanhadas por um live painting de Pedro Versteeg.

10 de agosto
Documentário “HIP TO DA HOP”  + conversa com os realizadores: em Hip To Da Hop, a dupla de realizadores, António Freitas e Fábio Silva, percorre o território português à procura das diferentes manifestações da cultura do hip hop, focando-se nas quatro vertentes principais do movimento: o rap, o DJ, o breakdance e o graffiti. Inclui dezenas de entrevistas a nomes maiores do panorama nacional, entre eles, Mundo Segundo, Orelha Negra, NBC, Slow J, DJ Ride, Stereossauro, Bdjoy, TNT, Sanryse ou Sensei D.

A curadoria de Francisco Rebelo no dia 10 de agosto apresenta as atuações de Primo, Máry M., SXR e CADI da Sons da Lusofonia.

11 de agosto – Curadoria CAPICUA | OUPA! “CULTURA EM EXPANSÃO”
 OUPA! é um projeto de intervenção social, cultural e artística, que visa a capacitação e empoderamento dos jovens dos bairros sociais da cidade do Porto, através da palavra e da música. É da iniciativa do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal do Porto e está integrado no programa “Cultura em Expansão”. Tendo já quatro anos de existência, começou no Bairro do Cerco em 2015, passou por Ramalde em 2016 e teve a sua terceira edição nos bairros da freguesia de Lordelo do Ouro no ano passado.
Na prática, concretiza-se em residências artísticas de vários meses, com oficinas diárias de escrita, produção musical, vídeo e performance, com vista a estimular o espírito Do It Yourself e a autoestima dos jovens, promovendo o sentimento de pertença e a coesão territorial. A intenção é criar um espaço de ação e mudança, que promova a autonomia artística e a proatividade juvenil,  no reforço das identidades individuais e na construção de um espírito de coletivo.
Para dar seguimento e acompanhamento ao trabalho criativo dos jovens que participaram nas edições anteriores, e antes de partir para novos territórios, o OUPA! dedica o ano de 2018 à profissionalização dos talentos encontrados, através da criação, gravação e edição de um disco comum, que cruzará contributos dos três coletivos. Pretende-se consolidar a evolução dos jovens participantes e o seu espírito de colaboração, num álbum que servirá de unificação e celebração do OUPA como um só!

Capicua abre conversa entre jovens do projeto OUPA!, Câmara Municipal do Porto, membros da equipa e festivaleiros, culminando na atuação do projeto OUPA! “Cultura em Expansão” e Capicua.

RECINTO
De modo a garantir as melhores condições aos festivaleiros, o MEO Sudoeste reforça novamente este ano os serviços disponíveis no campismo. Os frequentadores desta área vão poder contar este ano com a animação dos Chuveiros a cargo do MOCHE, da Cozinha Comunitária Teka, da Lavandaria LG Cool Spot e do Continente Online “Não carregues. Manda vir!” que permite viajar até ao festival sem carregar os mantimentos necessários para uma semana de férias.
A zona de alimentação foi uma das áreas em que se apostou este ano, e que agora poderá ser encontrada logo à entrada do recinto. Também a zona de alimentação na área do campismo foi melhorada, de modo a que os festivaleiros se sintam cada vez mais em casa. Com a consciência de que todas as áreas do Festival são importantes, também o Espaço Criança da Santa Casa, estará este ano localizado numa zona de melhor acesso logo à entrada do recinto; e os Palcos LG by Mega Hits e MOCHE Ring também surgem nesta edição do MEO Sudoeste em zonas mais delineadas de modo a terem uma estrutura mais orgânica no Festival e mais confortável para o público.

Com a programação no recinto a terminar na noite de sábado, dia 11 de agosto, os festivaleiros terão o dia 12 de agosto para tranquilamente se despedirem da melhor semana de férias de sempre, podendo deixar o campismo que, até às 20h00, terá todas as infraestruturas e serviços em funcionamento.

RESPONSABILIDADE SOCIAL
Ecopontos MEO: será mais uma vez criada uma mecânica fun para a recolha voluntária de resíduos, como forma de consciencializar os festivaleiros para a importância da reciclagem. Este ano a troca de resíduos por brindes será feita através da aplicação móvel.

COMO CHEGAR
De Comboio
É possível viajar de todo o país para o MEO Sudoeste. Visita o site da CP e procura o melhor horário para a estação de Santa Clara Sabóia, a estação ferroviária mais próxima do recinto do Festival, servida pelos comboios Intercidades, Regional/InterRegional.

Para os festivaleiros tirarem o máximo partido do MEO Sudoeste está já disponível, em parceria com a CP – Comboios de Portugal, o Bilhete Integrado CP – MEO Sudoeste, a forma mais simples, cómoda e segura de viajar até ao melhor Festival do verão.

O bilhete integrado inclui:
. Viagem de ida (zona Porto e zona Centro) e volta, com destino a Santa Clara Sabóia: viagem de ida nos dias 4 ou 7 de agosto, em Intercidades; viagem de regresso em Comboio Especial no dia 12 de agosto, às 14h20.
. Transfer rodoviário entre a estação de Santa Clara Sabóia e o recinto do Festival
. Passe para todos os dias do Festival

O bilhete integrado CP – MEO Sudoeste está à venda na Blueticket e locais habituais até ao dia 13 de julho, ao seguinte preço:
Até 31 março: Porto: € 149; Centro: € 140; Lisboa: € 126
A partir de 1 abril: Porto: € 159; Centro: € 150; Lisboa: € 136

Mais informações em www.cp.pt.

De Autocarro
Xbus MEO Sudoeste
Para os festivaleiros tirarem o máximo partido do MEO Sudoeste, está disponível, em parceria com a XTravel, o XBUS, a forma mais simples e segura para desfrutar da melhor semana de férias de verão. Com partida de todas as capitais de distrito, o XBUS garante a partir de €140 transporte e campismo em zona reservada com segurança 24 horas por dia, WCs próprios e ponto de carregamento de telemóveis exclusivo durante os 9 dias do Festival. Sabe mais aqui.

Rede Expressos
A Rede Expressos garante, durante os dias do Festival, serviços a partir de Lisboa, Porto e Braga directamente para o recinto do MEO SW. Existem ligações diretas até Lisboa da maioria das cidades mais importantes do país. Sempre que a procura justifique, a Rede Expressos garante o transporte direto de qualquer ponto de partida para o Festival.
Horários completos disponíveis em www.rede-expressos.pt.