Qual é o novo álbum de Sebastião Antunes & Quadrilha?

Qual é o novo álbum de Sebastião Antunes & Quadrilha?

Nuno Ribeiro

“Proibido Adivinhar” é o novo álbum de Sebastião Antunes & Quadrilha, com novas abordagens à música que sempre motivou este colectivo, a música de tradição portuguesa.

Entre temas originais e versões de músicas trazidas pelo tempo através da tradição a Sebastião Antunes & Quadrilha, apresentam neste disco, composições, que apesar de novas, são representativas das influências que marcaram as várias fases do grupo. Como boa anfitriã que sempre foi a tradição portuguesa, também este grupo acolheu muitas influências, inicialmente, a música que chegava da Irlanda ou da Bretanha e, posteriormente, a grande paixão das cantigas que ecoam à solta pelas areias do deserto do Sahara. Actualmente assume a sua urbanidade e «até pisca o olho às novidades da electrónica».

“Proibido Adivinhar” é produzido por Luís Peixoto e conta com as participações de Carlos Guerreiro, os samplers do Quiné, das meninas Sofia de Portugal, Tânia Cardoso, Ana Mendes, Ana Nobre, Patrícia Marques, Rita Santos, Raquel Esteves e Diana Henriques e dos rapazes Orlando Murteira, Gonçalo Pratas, Miguel Quitério e Miguel Simões. Uma participação  da cantora saharoui Mariem Hassan.

Layout 1

Sebastião Antunes, mentor do grupo Quadrilha, inicia a sua carreira em 1993, com o álbum “Contos de Fragas e Pragas”, num percurso sustentado nas raízes da tradição portuguesa, com incursões à música pop, e muitas influências vindas da então chamada Música Celta proveniente da Galiza, Irlanda, Escócia e Bretanha. Com o  grupo Quadrilha começa nesse mesmo ano a dar concertos, que os levam a Festivais em Santiago de Compostela, França, Canadá e a inúmeros concertos em Portugal. Seguiram-se 20 anos de discos e espectáculos vindo o último dos trabalhos a ser o álbum “Com Um Abraço” onde participam um grande leque de convidados. Destacamos o grupo mirandês Galandum Galundaina e o cantor de Cabo Verde, Tito Paris.

Nos últimos anos, Sebastião Antunes passou a integrar nos seus espectáculos muitas influências da música proveniente do Norte de África, particularmente a que nasce dos povos do Deserto do Sahara, e tem mantido uma parceria com a cantora Mariem Hassan.

EGITANA