Rocky Votolato, de Seattle para Portugal

Rocky Votolato, de Seattle para Portugal

Nero

O músico de Seattle vem a Portugal apresentar o seu novo trabalho, em duas datas. Sam Alone e os Bless This Mess abrem os concertos do músico em Loulé e Lisboa.

Já dia 20 de Junho em Loulé, no Bafo de Baco, e no dia seguinte em Lisboa, no Sabotage. Rocky Votolato vem apresentar o seu mais recente trabalho, “Hospital Handshakes”.  Lê-se em press: «Ao longo dos últimos 15 anos, Rocky Votolato produziu alguma da música mais poderosa a sair de Seattle. Um legado impressionante ancorado pela fervorosa composição lírica, entregue a um estilo único de indie-folk-punk que evoluiu para fora da cena musical do Nordeste do Pacífico, onde foi criado. Ao longo dos anos e depois de 7 álbuns a solo, a maturidade de Rocky está agora cimentada e escreve canções que parecem ter sido riscadas numa parede de um vagão desgastado de um comboio por um fantasma solitário.

“Hospital Handshakes” foi produzido por Chris Walla (Death Cab For Cutie) e é o 8º album a solo de Rocky. É também o primeiro lançamento pela Glitterhouse na Europa. É o marco de viragem na carreira de Rocky, resultado de uma transição tumultuosa que pôs o cantautor a duvidar do seu talento e ponderando retirar-se da música. As dúvidas começaram a aparecer pouco depois do lançamento do 7º álbum, “Television of Saints”, em 2012. A facilidade em escrever músicas desde os tempos da sua banda post punk “Waxwing” até aos 6 aclamados álbums a solo tinham parado. “Tornou-se doloroso para mim fazer música”, relembra Votolato. “Parecia um artista funcional, mas ‘behind the scenes’ eu estava completamente bloqueado criativamente, combatendo uma batalha severa contra a depressão e a tentar manter a minha sanidade mental”. Mais de um ano sem compor, Rocky deixou a estrada e começou uma terapia para manter a sua saúde mental. Foi então, no verão de 2014, que a criatividade finalmente voltou a correr nas veias do norte-americano, fazendo o artista voltar com uma paixão renovada. Nos 3 meses seguintes, Rocky escreveu mais de 25 músicas. Em Outubro levou-as até ao estúdio “Hall of Justice”, em Seattle, onde trabalhou na mesma sala onde criou o álbum “Suicide Medicine” (2003). Lá, trabalhou com o mesmo produtor, Chris Walla, um velho amigo que está também numa fase de transição ao deixar o seu papel, de longa data, como guitarrista e produtor de Death Cab For Cutie. Em relação ao novo trabalho de Rocky, Walla diz: “Esta colecção de música mexem forte comigo e numa altura bastante boa”».

Este novo álbum conta com a participação do seu irmão na guitarra, Cody Votolato (The Blood Brothers), com Eric Corson no baixo (The Long Winters), Andy Lum na bateria (Craft Spells / My Goodness) e com “backup‟ vocal de Emily Kokal (Warpaint).

EGITANA