Saga Cega: O novo projeto de Nuno Costa

Saga Cega: O novo projeto de Nuno Costa

António Maurício

O álbum “À Deriva” reúne treze faixas originais, todas interpretadas em português.

Nuno Costa, guitarrista e compositor, tem um novo projeto intitulado Saga Cega, onde pela primeira vez na sua carreira se afasta dos domínios do jazz e com a ajuda de alguns dos mais conceituados músicos nacionais produz o álbum “À Deriva”.

Tendo a seu cargo a composição de todos os temas bem como as guitarras, Nuno Costa deu corpo ao disco “À Deriva” através de um reconhecido elenco da cena artística nacional: Rita Maria é a voz central de todas as canções e autora de duas das letras, a actriz Lavínia Moreira como letrista, Óscar Graça no piano e teclados, Bernardo Moreira no contrabaixo, João Hasselberg no baixo eléctrico, André Sousa Machado e David Pires, ambos na bateria e percussão, bem como Susana Nunes nas segundas vozes. Como convidados especiais em dois temas, “À Deriva” conta ainda com a voz da cantora Cristina Branco e de Tatanka (The Black Mamba).

Nuno Costa afirma que este projeto é um regresso às origens: «Foram as canções no universo da pop e do rock que determinaram a minha escolha em enveredar por esta profissão e, na verdade, as primeiras composições que escrevi foram precisamente na linha destes géneros musicais. Por isso, o projecto Saga Cega é no fundo um novo caminho de regresso às origens».

Assim, mais de 20 anos depois, Nuno Costa reúne em Saga Cega um grupo com quem tem vindo a trabalhar regularmente em diferentes projectos e que lhe permite um pleno regresso às origens, nunca esquecendo a sonoridade do jazz patente subtilmente neste disco, até pelo percurso acentuado nesta área de grande parte dos seus intérpretes. Existirão no entanto outras características e componentes mais evidentes nestas treze canções, como a música pop, o rock, a eletrónica e até mesmo a música popular e tradicional portuguesa. O próprio teor das letras ajudará a sub-catalogar algumas das composições remetendo para o grunge ou para o hip hop, assumindo sempre um lado indie ao transparecer que é música concebida apenas pela sua essência e sem quaisquer intentos adicionais.

“À Deriva” é o primeiro disco de uma nova formação e paralelamente o 4º disco de originais do músico enquanto líder, num percurso iniciado em 2009 com “Reticências entre Parênteses”, seguido por “All Must Go” de 2012 e “Detox” de 2015. O álbum pode ser comprado através do site do músico.

Vê o videoclip para “A Mil” no player abaixo.