Sigur Rós em Tribunal Por Fuga ao Fisco

Sigur Rós em Tribunal Por Fuga ao Fisco

Redacção

Os elementos da icónica banda islandesa Sigur Rós foram acusados de evasão fiscal, três anos após as autoridades locais terem investigado as finanças do grupo.

A acusação partiu da Procuradoria do país e refere que os músicos fizeram declarações erradas de impostos entre 2011 e 2014, ficando a dever ao Estado uma soma de cerca de 151 milhões na moeda islandesa (aprox. um milhão de euros). Na época, o line up consistia em Jon Thor Birgisson, Georg Holm (baixista), Orri Pall Dyrason (baterista) e ainda o teclista e multi-instrumentista Kjartan Sveisson.

Os membros dos Sigur Rós apontam as culpas ao seu antigo contabilista e afirmam ter colaborado com as autoridades fiscais após terem descoberto esta situação. Esta quinta-feira, a banda emitiu um comunicado onde promete limpar o seu nome e onde «lamenta ver o caso ir parar a tribunal».

De facto, com o caso à espera de julgamento, os bens dos quatro músicos – nomeadamente os imóveis avaliados em aprox. seis milhões – serão penhorados pelas autoridades. Dois terços são bens do frontman Jon Thor Birgisson, actualmente a viver em Los Angeles. Birginsson é acusado de evasão ao fisco em cerca de duzentos mil euros e de cerca de cem mil euros por declarar em impostos derivados de investimentos.

De acordo com a Procuradoria, os restantes elementos — Georg Holm, Kjartan Sveinsson e Orri Pall Dyrason — alegadamente negligenciaram declarar um total de aprox. um milhão e quinhentos mil euros, do qual teriam que pagar cerca de 600 mil euros de impostos. Na Islândia, a tributação para os escalões mais elevados é 46%.

Holm e Dyrason são ainda acusados de evasão fiscal em cerca de 100 mil euros em impostos derivados de investimentos. O advogado de defesa, Bjarnfredur Olafsson, afirmou que «os membros dos Sigur Rós são músicos, não peritos em contabilidade e finanças internacionais».

Sem editar um álbum de originais desde “Kveikur”, em 2013, actualmente apenas Birginsson e Holm, permanecem como rostos da banda. Ainda não foi adiantada a data para o julgamento.