Spotify: Aumentar Visibilidade De Uma Canção Em Troca De Royalties (Ainda Mais) Reduzidos

Spotify: Aumentar Visibilidade De Uma Canção Em Troca De Royalties (Ainda Mais) Reduzidos

Redacção

A nova estratégia (controversa) do Spotify – Discovery Mode – permite elevar potencialmente o lugar de destaque de uma canção.

Poucos dias após o Sindicato dos Trabalhadores Músicos ter lançado a sua campanha “Justice at Spotify” para exigir melhores taxas de royalties, a plataforma de música online anunciou uma forma de tirar ainda mais dinheiro aos artistas e começou a testar um novo produto chamado “Discovery Mode”, que impulsionaria a colocação algorítmica de uma canção em troca de royalties mais baixos.

O Spotify tem um registo bastante decente de recomendação através das suas características de Auto-Play e Rádio, que automaticamente toca música que pensa que os ouvintes podem gostar com base num número de “sinais” dados pelos mesmos (hora do dia, tempo, duração da canção, etc.). O Discovery Mode acrescenta a oportunidade de dar um empurrão extra à «música que é uma prioridade para os artistas». A troca é uma taxa de royalties «promocional» (leia-se: reduzida).

Essencialmente, quando um artista tem uma canção que quer destacar por qualquer razão pode optar pelo Discovery Mode. No entanto, o Spotify não promete que ligar esse modo irá realmente aumentar a aparência de uma canção em sessões de audição personalizada, apenas que se o artista o fizer irá receber uma taxa reduzida por esses “streams”. Como não há custo inicial, o Spotify está a enquadrar isto como uma oportunidade para os artistas ganharem mais numa faixa que pode não ter recebido tanta exposição sem esse novo impulso.

A empresa sabe que a medida é controversa e vai gerar polémica e, por isso, está a ser cuidadosa. Ao utilizar a «taxa de royalties de gravação promocional» em vez do pagamento directo e apenas a «oportunidade» de uma maior reprodução sem uma garantia rigorosa de benefícios, a plataforma está a contornar as leis menos bem definidas da música na web. Além de que também não está a revelar qual é realmente a taxa promocional.

Ainda se está para perceber se isto funciona ou não para artistas e editoras (que têm de decidir entre si quem é realmente capaz de activar o Discovery Mode). Poderá realmente funcionar, dando aos músicos a oportunidade de aumentar a exposição de determinadas canções, o que por sua vez poderia atrair mais ouvintes no geral, tudo levando a um pouco mais de dinheiro. Ou poderá, em sentido inverso, criar concorrência desleal, com os artistas a serem pressionados a aderir para não serem postos de lado por aqueles que estão dispostos a pagar mais.

«O que era realmente importante era que queríamos estar acessíveis aos artistas em qualquer fase da sua carreira», argumentou o responsável de marketing do Spotify Charleton Lamb, acrescentando: «Não vai ser necessário qualquer orçamento adiantado. O modelo é acessível, democrático, é mais justo».

O Parlamento britânico está a lançar um inquérito sobre a economia do streaming, incluindo se as transmissões passivas (por exemplo, Spotify Radio e Autoplay) devem ser tratadas como uma emissão de rádio regular, o que significaria maiores pagamentos de royalties aos artistas. Embora o Discovery Mode não esteja directamente relacionado com isto, mostra que o Spotify é capaz de ter de ajustar os pagamentos para diferentes tipos de transmissões passivas.

De facto, a empresa admitiu tacitamente a mesma coisa num post recente no seu blogue, anunciando a nova funcionalidade experimental: «Estamos a testar isto para garantir que é uma grande experiência tanto para os ouvintes como para os artistas. Para começar, vamos concentrar-nos em aplicar este serviço aos nossos formatos de Rádio e Autoplay, onde sabemos que os ouvintes estão à procura de descobrir novas músicas. À medida que aprendemos com esta experiência, iremos testar cuidadosamente a expansão para outras áreas personalizadas do Spotify».

Isto também deixa em aberto o potencial do Spotify para encontrar mais formas de obter dinheiro de editores, compositores ou artistas para aumentar a reprodução através de várias características. Teremos de esperar e ver se isto beneficiará realmente os próprios criadores de música a longo prazo.

EGITANA