Stereo Total editam “Ah! Quel Cinéma!” pela Tapete Records

Stereo Total editam “Ah! Quel Cinéma!” pela Tapete Records

Rodrigo Baptista

Musicalmente, não pode ser facilmente alinhado com qualquer coisa.

Qualquer tentativa de classificar Stereo Total está destinada a falhar e porquê? É desta forma que o press release nos explica:

Se álbuns anteriores ressoaram com influências de chanson, trash, disco para punk, rock’n’roll e NDW (New Wave alemão), Stereo Total chegaram agora com o seu próprio universo musical que não dá atenção a dispositivos estilísticos, que lembram “rien de tout ”. O que podemos dizer: Françoise Cactus destaca-se na arte da gravação de 8 faixas, criando uma experiência sonora extraordinária. Brezel Göring baseia-se na sua gama preferida de instrumentos mais propensos a serem encontrados nas mãos de crianças em lares onde uma educação musical não está na agenda: órgão de plástico de bébé e um piano terrível, acompanhado por guitarras caseiras coladas não por artesãos talentosos.

Stereo Total continuam a fazer música eletrónica com sons dum Casio duma feira em segunda mão que voam em face do que geralmente é aceite como música eletrónica. Cada instrumento musical provavelmente poderia ser traduzido em coordenadas sociais e, nesse sentido, as ferramentas do comércio de Stereo Total falam uma linguagem inequívoca. Continuam a tocar música de rock de garagem LoFi que goza com todos os clichés masculinos associados às guitarras. Quando Françoise Cactus toca bateria, os ritmos do feminismo, anti-profissionalismo e diletantismo subversivo vêm à tona.

Quando eles começaram a fazer música juntos, tinham como missão romper as regras, desestabilizar as ideias. Eles podem não ter deitado fora a estrutura harmónica europeia ou o tempo 4/4, mas fizeram certamente perguntas sobre todos os outros aspectos das técnicas musicais e líricas. Linhas como “You look good from the back “, “Love as a thressome”, “I am naked “, “I’m the young gigolo with a smoker’s lung” e “Sex complex” são projetadas para repelir amantes sérios de música enquanto os chocam com uma engenharia de som muito abaixo dos padrões dos ouvintes do mainstream.