Tool: Livres, Leves e Soltos

Tool: Livres, Leves e Soltos

Redacção

Danny Carey, baterista dos Tool, fala na libertação promovida pelo recente álbum “Fear Inoculum” e de como isso poderá motivar a banda na criação de um novo trabalho. O músico acredita que não será necessário esperar outros 13 anos.

Algumas vozes têm referido o facto do novo álbum dos Tool ser algo desinspirado ou mais do mesmo. De qualquer forma, o lançamento de “Fear Inoculum” viu a banda completar um contrato discográfico que implicava 5 álbuns. Daí, Danny Carey afirma que, a partir de agora, os Tool são completamente livres para fazerem o que quiserem. O baterista da banda refere também que não lhe passa pela cabeça que um sucessor do novo álbum demore mais 13 anos a chegar.

O baterista dos Tool conversou com a Metal Hammer sobre o álbum que sucedeu a “10.000 Days” e confessou que este disco, no mínimo, libertou o grupo e que essa liberdade poderá ajudar a motivar os Tool a escrever rapidamente o próximo álbum.

«Há mais motivação. O engodo aumentou porque agora estamos sem contracto – não necessitamos de lidar com uma editora ou se tivermos que o fazer será nos nossos próprios termos, porque agora podemos fazer o que quisermos. Este foi o último álbum dum contrato de cinco. A sensação é bastante agradável e espero que nos motive o processo de composição».

Como não há fome que não dê em fartura, ainda mal se ouviu “Fear Inoculum” e Carey foi questionado se já existirá material novo para um próximo álbum…

O músico respondeu: «Não há sobras nas canções dos Tool, devido ao processo com que as escrevemos – o modo como nós os três ou os quatro as trituramos, em que há toneladas de riffs, jams ou cenas. No entanto, não existem canções na prateleira há espera de serem encaixadas ou terminadas. Precisamos do processo de “fazer”. E, se fizermos outro álbum, serão necessários três anos após digressões. É assim que funciona a nossa banda».