Viriatada Fevereiro #2: Criatura, Profjam feat. Agir, Old Jerusalem E Yagmar, Entre Outros

Viriatada Fevereiro #2: Criatura, Profjam feat. Agir, Old Jerusalem E Yagmar, Entre Outros

Redacção

Mais uma semana, mais uma ronda de Viriatada, o espaço que a AS dedica aos lançamentos da música portuguesa.

A música nacional merece ser partilhada. Existem novos lançamentos todos os dias, todas as semanas, todos os meses, e qualidade é coisa que não falta! A nossa rubrica Viriatada reúne alguns dos destaques da música portuguesa todas as semanas. Poupamos-te o trabalho, só tens de visitar a Arte Sonora, conhecer, ouvir e partilhar.

PROFJAM feat. AGIR – “Alguém Como Tu” // “Alguém Como Tu” é o novo single de ProfJam em parceria com Agir. Este é o single que sucede a “HEI”, a primeira amostra de “L.S.D. – Love Songs Die”. O novo tema sobre «amor e fé no amor, sentimentos tão presentes e necessários neste momento». O projecto “L.S.D. – Love Songs Die” pretende «retratar as várias fases de uma relação amorosa, desde a paixão inicial ao amor mais cúmplice, não deixando de fora os momentos mais frágeis pelos quais todas as relações passam. O final é ainda uma incógnita». Por isso mesmo, ProfJam lançará este trabalho tema a tema, adequando cada canção a cada momento sempre que assim o sentir. «Para quem está à espera de uma data de lançamento, queria-vos dizer que o L.S.D. sairá faixa-a-faixa. Possibilita um arco de história maior que eu acho que faz todo o sentido para este projecto. Viagem a viagem, momento a momento», explica ProfJam.

CRIATURA – “Bem Bonda” // “Bem Bonda”, o novo disco da Criatura, está cá fora desde o dia 5 Fevereiro, exactamente cinco anos depois do primeiro álbum, “Aurora”. O novo disco é «um resgate da ancestralidade linguística beiroa, uma expressão mutável, dependente das gentes e dos lugares, que dentro do mundo dos significados nos lembra não só que ‘já chega’, como também que, ‘como se não bastasse, ‘um mal nunca vem só’. Uma obra onde o ímpeto da intervenção cultural, espiritual e social surge tanto através da palavra, como através do som, ou no incentivo à acção, como a batermos o pé por um mundo onde possamos continuar a sentir e a deixar que se sinta, antes que seja tarde demais». Gravado entre Março de 2019 e Outubro de 2020 nos estúdios Namouche, Haus e Camaleão, “Bem Bonda” tem 10 temas, um dos quais repartido em duas partes (“O Padeiro”). A Criatura é composta por: Acácio Barbosa (guitarra portuguesa), Alexandre Bernardo (bandolim, guitarra acústica, cavaquinho), Cláudio Gomes (trompete), Edgar Valente (voz, piano, teclados e adufe), Fábio Cantinho (bateria), Gil Dionísio (voz e violino), Iúri Oliveira (percussões e Mbira), João Aguiar (guitarra eléctrica), Paulo Lourenço (baixo eléctrico) e Ricardo Coelho (gaita de foles, flauta transversal, ocarina e palheta).

HUGO VILLANOVA – “Metamorphosis” // Hugo Villanova é um Dj e Produtor lisboeta com mais de 100 músicas editadas e acaba de lançar o seu primeiro álbum de originais, ‘’Metamorphosis’’. O álbum, lançado na sua própria editora DIFF Records, é composto por 12 temas originais. É um álbum que, segundo o autor, «evidencia uma mutação sonora, com uma atmosfera rica», na qual o artista incorpora «tons tribais e etéreos que nos transportam para uma sonoridade transcendente». Hugo Villanova explica ainda que este «é um álbum pessoal, em que tento dar um pouco de positividade às pessoas nestes tempos que estamos a viver. Tal com a lagarta se transforma em borboleta, acho que o mundo se transformou com a pandemia, e nunca mais será o mesmo. Eu próprio tive que me reinventar, explorei estilos novos, outras sonoridades e estou muito contente com o resultado final». “Metamorphosis” já está disponível em todas as plataformas digitais. “Lover” é um dos 12 temas do novo disco de Hugo Villanova.

TRAÇO – “Tempo” // “Tempo” é o quarto single da banda do Porto. «Um tema agridoce, sabemos, pois tudo passa por ele e ele passa por todos. O que seria do tempo sem tempo para dar?», perguntam estes quatro músicos que convidam o público a imaginar, enquanto ouvem, um pianista numa estação de comboios. «A música começa com o pianista a sentar-se ao piano, a tocar, até que desliga do mundo e fecha-se na própria mente. Os restantes sons representam todo o stress, ansiedade e confusão da hora de ponta que por ele passa sem se aperceber. Afinal, quanto tempo terá passado desde que ali se sentou? Esse tempo… Será que passou mesmo?» Os Traço são: Tiago Santos (voz e guitarra), Jorge Corujas (guitarra), Miguel Moura (teclados) e João Guimarães (bateria).

EARTHFLESH – “Embrace” // “Embrace” é o título da obra publicada pelos selos Short Run Industries e HNW Netlabel. É Harsh Noise e poesia, diz o autor Bruno Silvestre Favez. «Eis um conjunto que, à primeira vista, para muita gente, pode parecer estranho e fundamentalmente sem sentido algum. Antinómico, possivelmente, em determinada medida, mas nada do outro mundo, nada pelo menos que dê para perturbar a entidade escondida por detrás do nome conhecido por Earthflesh». No seu mais recente monólito de som, o músico solista Bruno Silvestre Favez, imigrante português instalado na Suiça (conhecido também a nível internacional no underground doom e black metal pelo seu trabalho com a banda Rorcal), tira a sua inspiração de um dos grandes clássicos da obra do Nobel da literatura José Saramago (1922-2010). “Declaração” é o título do poema que serviu de base à constituição do monolítico “Embrace” e da sua «catártica interpretação de mais de 58 minutos de ruídos dos mais extremos do género. O resultado final soa como um cataclismo autêntico, e dá vida a um dos registos mais exigentes na jovem mas prolífica discografia do projecto. Um verdadeiro e (no mínimo) ensurdecedor hino à vida».

TIAGO PLUTÃO – “Só Para Alguém Gostar” // Tiago Plutão está de regresso com o segundo single “Só Para Alguém Gostar”, do disco “Relativizar”, que sairá ainda no primeiro trimestre deste ano. O single foi gravado e masterizado por Makoto Yagyu e Fábio Jevelim (HAUS) e já está disponível em todas as plataformas online. Conta também com teledisco, realizado por Sofia Rocha, «muito cintilante e que espelha precisamente a mensagem plutónica deste single: sejam vocês mesmos, sem medos». Tiago Plutão é Tiago Cunha. Nasceu em Lisboa há 29 anos, mora na Lagoa de Albufeira e foi aos 19 anos que começou a tocar guitarra sozinho. Tem um projecto musical com amigos, a que chamaram Jupiturno (aqui, também, o gosto pelos planetas, juntando os nomes de Júpiter e Saturno), mas a solo decidiu adoptar o nome Tiago Plutão.

SENHOR JORGE – “Cobertor” // Os Senhor Jorge antecipam a edição de um EP com o lançamento de um single e respectivo vídeo “Cobertor”. O filme, realizado por Pedro Bastos, e que acompanha a primeira música apresentada ao público do novo EP, foi gravado numa noite fria em Silgueiros, Viseu, numa casa abandonada, simbolizando «a decadência dos sentimentos que o “Cobertor” nos sugere. Por vezes, um amor é tão profundo que, para conforto do outro, consegue conter a urgência de repreender. É deste e de outros sentimentos que nos fala o “Cobertor”. Que muitas vozes cantem no seu aconchego». O EP “sr. jorge”, dos Senhor Jorge, é editado dia 9 de Abril.

JON LUZ – “Força Irmon” // “Força Irmon”, já disponível nas plataformas digitais, é o single de estreia do disco “Jon Luz convida Maria Alice”, a sair brevemente. «Quem possa passar algum tempo a conversar com Jon Luz depressa perceberá com outra propriedade expressões de uso comum como ‘tesouro escondido’ ou ‘segredo bem guardado’». O artista cabo-verdiano, nascido em Santo Antão, mas educado em São Vicente, é a «perfeita representação de um tesouro que importa que o mundo descubra, um segredo que tem sido resguardado graças à sua genuína aversão aos holofotes». Jon, músico multi-instrumentista, compositor e produtor, mudou-se para Lisboa em 1998 e rapidamente se integrou na vibrante cena musical nocturna lisboeta, alinhando energias com artistas como Maria Alice, Ildo Lobo, Titina ou Tito Paris, com quem colaborou em diferentes ocasiões e contextos. «Jon conhece intimamente os mais fundos segredos da música e tem muito mais ideias dentro de si. E o novo disco “Jon Luz convida Maria Alice” que acaba de criar com a veteraníssima artista é apenas mais uma prova disso mesmo».

OLD JERUSALEM – “Youth And Grandeur” // É mais um avanço para o novo disco de Old Jerusalem, oitavo álbum de originais do músico, e que será lançado em Maio. Segundo o artista, «os aziagos caminhos da pandemia e do confinamento» impossibilitam-nos de ter hoje disponível nas lojas, como previsto, o novo álbum, ficando o lançamento adiado por algumas semanas. “Certain Rivers” verá finalmente a luz do dia no próximo dia 14 de Maio de 2021. Para entreter o tempo até lá, Old Jerusalem libertou “Youth And Grandeur“, uma das canções «constantes do álbum, evocativa de tempos mais luminosos, de juventude e glória e vida ao sabor da estrada, sob o auspício inescapável do ‘agora’ que nos toca viver – e viver bem – entre a sombra de ontem e a luz de amanhã».

ANTÓNIO LUÍS SILVA & TIAGO NUNES – “H4NDS DUO” // É o novo disco dos pianistas António Luís Silva e Tiago Nunes, álbum que nasceu em Lisboa no final de 2019, fruto da vontade dos dois músicos, amigos de longa data. «Durante o primeiro ano de actividade do duo, o mundo foi surpreendido por uma pandemia que forçou milhões ao confinamento, mudando hábitos, trazendo más notícias, provocando alterações ao rumo previsto. Foi neste contexto que o “H4NDS” cresceu, e que o repertório deste álbum adquiriu sentido». O disco inclui obras que, de maneiras diferentes, «remetem o ouvinte para duas temáticas associadas à liberdade que o ano de 2020 a tantos tirou: a fantasia e a dança. A fantasia, no sentido mais lato da palavra, é uma expressão intelectual de liberdade. A dança será uma manifestação de liberdade pelo movimento – também este, tão natural no ser humano, severamente restringido nos tempos em que vivemos. A diversidade da origem geográfica dos compositores escolhidos, sugestiva de uma viagem, homenageia a resiliência daqueles que se viram impedidos de percorrer o mundo no ano que acabamos de viver».

MARIPOOL – “Blindness” // “Blindness” é o novo single de Maripool, alter-ego de Natasha Simões, songwriter nascida em Lisboa e residente em Londres. Com selo da Strong Island Recordings, “Blindness” conta com um teledisco e vem acompanhada por um Lado B instrumental – “Emílio”. Ambas as músicas já podem ser ouvidas em todas as plataformas de streaming. Maripool é uma one girl band. Natasha compõe e toca todos os instrumentos, transmitindo as canções diretamente do seu quarto para o mundo. «O novo single diferencia-se dos temas dos anteriores EPs “Adult Weakness” (2018) e “I See Everything I Know Nothing” (2019) – edições DIY em cassete que apresentavam um bedroom pop de baixa fidelidade caracterizado por instrumentais relaxados e vozes sonhadoras. Aqui, deparamo-nos com melodias vocais ousadas que ajudam a criar um cenário mais sombrio e elaborado, sem que se perca a beleza e honestidade que vêm sendo associadas ao seu trabalho». As novas músicas foram gravadas por Euan Hinshelwood (da banda indie britânica Younghusband) e contam com a participação do português Bea, guitarrista que toca ao vivo com Maripool.

EDU MONTEIRO – “You” // Edu Monteiro partilha o seu single de estreia, “You”, um tema «99% autobiográfico, escrito no dia 13 de Janeiro de 2020», data do aniversário da namorada. «Ela estava a trabalhar no Dubai e então foi uma espécie de prenda de anos para matar a saudade». Edu Monteiro é um produtor de música pop em Portugal que decidiu agora estar do outro lado do estúdio. «Chegou uma certa altura em que estava a fazer sessões com artistas e já não me dava prazer, não me estava a divertir e sabia que havia algo de errado. Aproveitei a quarentena do ano passado para refletir o porquê de me sentir assim». Depois de alguma reflexão, Edu Monteiro decidiu investir o seu tempo em criar, produzir e interpretar temas para um início de carreira. Um desses temas é este “You”, a canção de apresentação ao mundo. Edu Monteiro promete que este é o primeiro single do EP de estreia que «provavelmente terá sete ou oito temas».

FREDERICO GONÇALVES – “Longe Do Mundo” // Este é o mais recente tema editado por Frederico Gonçalves e que fará parte do novo disco do cantautor português, que será lançado ainda este ano.

BISPO feat D’AY – “Pedro” // “Pedro” é o título do segundo single retirado de “Mudanças”, o EP que junta Bispo e o produtor D’AY. Os dois autores juntaram-se para trabalhar num EP colaborativo que será editado ainda este ano. Depois do sucesso alcançado com o primeiro avanço, “Influencer“, chega agora este tema, “Pedro”, com letra de Bispo, produção de D’ay, gravado por Duarte Prisma nos Prisma Rec e misturado e masterizado por Michael ‘Mic’ Ferreira na Sine Factory.

TOO MANY SUNS – “Memory Lane” // A celebrar o facto da primeira edição física de “Meaning Of Light” ter esgotado rapidamente, os Too Many Suns continuam a sua apresentação agora com um novo single acompanhado de videoclipe. “Memory Lane” é o nome deste novo lançamento e é composto de uma «narrativa circular, que nos leva à necessidade imperativa de renascer, sempre e quantas vezes forem necessárias». É o terceiro single do álbum “Meaning Of Light”, lançado pela Pontiaq Records em 30 de Outubro de 2020.

YAGMAR – “Coisas Más” // Depois de “Judas” e “Homem Severo” (tema que partilha o nome do disco), “Coisas Más” é o terceiro single retirado do primeiro longa duração dos Yagmar, que sairá dia 16 de Abril de 2021. «A história deste disco começa como muitas outras ligadas a 2020: ano atípico, mas para quem não foi? 2020 foi o ano da gravação do primeiro longa duração dos Yagmar. No meio de diversas peripécias e tamanhas incertezas foi sendo adiada a estreia de Homem Severo. A entrada do novo ano foi o mote para revelar este conjunto de 8 temas, que, por premonição ou não, se adequam ao estado de espírito vivido nestas terras, em tempos difíceis tão adequados a um homem severo». “Homem Severo” é, segundo a banda, «um flirt aos ritmos africanos acompanhados de melodias de outras regiões, que tal como no trabalho anterior ainda está presente, mas com mais maturidade».

RICARDO DIAS – “Toda A Gente” // “Toda A Gente” é o mais recente trabalho de Ricardo Dias, lançado e produzido pela MR Diffusion. Este single conta com a participação do cantor brasileiro Kleber Sampaio e do rapper norte americano Sharrum e tem «a particularidade de ser cantado em português e inglês». “Toda A Gente” é uma música «pop com hip hop à mistura, de cariz positivo e festivo». Este novo trabalho de Ricardo Dias sucede à sua participação no single “Tudo”, de Kadypslon, também lançado pela MR Diffusion.

LUÍS PEIXOTO – “Siga A Rusga” // Prestes a editar o novo disco “Geodesia”, com data de lançamento a 5 de Março, o multi-instrumentista de Coimbra Luís Peixoto avança mais um tema de apresentação. Composição da sua autoria, “Siga A Rusga” é o tema escolhido para «contrariar o confinamento e celebrar a época de folia do Entrudo». Inspirado no cariz da música tradicional portuguesa, este tema assume um carácter festivo, marcado pelo som acústico do bandolim de Luís Peixoto, acompanhado por Rubén Bada no violino e Ciscu Cardona na guitarra. Nesta canção, o autor conta ainda com a participação especial de Juan José Robles (Murcia) na octavilla e alaúde espanhol, pois há uma ligação muito próxima entre a música portuguesa e estas cordas e das rondalhas em toda a Espanha, particularmente na zona de Murcia. Em 2019, o músico espanhol ganhou o prémio de Melhor Álbum Europeu atribuído pela World Music Central.

ALL AGAINST – “I Am Alive”// “I am Alive” é o nome do álbum de estreia da banda lisboeta, All Against. A faixa que lhe dá nome é o primeiro avanço e vem com respectiva produção audiovisual gravada no Forte da Nazaré e que podes ver me baixo. O álbum foi gravado nos Ultrasound Studios da Moita e foi misturado por Hugo Andrade.

EGITANA