Viriatada Março #1: NBC, Suave, David From Scotland, Zé Lã, Entre Outros

Viriatada Março #1: NBC, Suave, David From Scotland, Zé Lã, Entre Outros

Redacção

Mais uma semana, mais uma ronda de Viriatada, o espaço que a AS dedica aos lançamentos da música portuguesa.

A música nacional merece ser partilhada. Existem novos lançamentos todos os dias, todas as semanas, todos os meses, e qualidade é coisa que não falta! A nossa rubrica Viriatada reúne alguns dos destaques da música portuguesa todas as semanas. Poupamos-te o trabalho, só tens de visitar a Arte Sonora, conhecer, ouvir e partilhar.

NBC – “EPiderme”// “EPiderme” é o título da estória que Timóteo de Deus Tiny nos escreveu com papel e caneta. Dentro de quatro paredes, quando ainda vivíamos o primeiro confinamento, o artista imaginou aquele «que será, provavelmente, o trabalho mais despedido, com sentimentos muito concretos, de linguagem extremamente simples. Os temas à flor da pele, como faz sentido, ganham corpo pela transparência e pela fragilidade do que canta. Quis aproximar-se mais das pessoas, numa altura em que parecemos todos distantes. E foi assim mesmo que construiu o alinhamento. Sozinho, criou, produziu e tocou todos os instrumentos, de forma inédita, porque afinal “toda a gente pode ser tudo”. E a ordem das canções espelha isso também: desde a canção quase rascunho à canção mais elaborada, pronta para ser ouvida em qualquer sistema de som. Deixou os samples e as rimas na prateleira e aventurou-se num blues que nos vai tocar no coração, profundamente», podemos ler no comunicado. “EPiderme” já está disponível nas várias plataformas de streaming.  O vídeo “Metade” é o primeiro capítulo a ser revelado e já pode ser visto no YouTube, aqui.

SUAVE – “Reviravolta”// Gravado entre Loures e o Barreiro, Suave apresenta o novo single “Reviravolta”. Depois de adoçar a boca com um brinde natalício, “Estrela”, chega a altura de apresentar ao mundo o segundo single retirado do disco que terá o mesmo nome: REVIRAVOLTA e será editado a 23 de Abril de 2021. É uma composição de aparência simples e orelhuda, muito cuidada na sua escrita e sonoridade. É um hino ao saber empatar na vida e no amor, uma música que reclama o Verão de outros tempos a que queremos, urgentemente, voltar. A impossibilidade disso acontecer nesta altura atípica que vivemos inspirou o videoclip (realizado por Tiago Bastos Nunes), um verdadeiro postal de Inverno, virado do avesso, a antítese de tudo aquilo para o qual o tema nos remete. Esta contradição assenta que nem uma luva às canções de Suave que permitem, não raras vezes, fazer uma segunda leitura diametralmente oposta ao que a música dá a entender. 

DOG’S BOLLOCKS – “Deathwish”// O mais recente single dos Dog’s Bollocks é o tema “Deathwish”. Um «retrato de um personagem que – não conta bem uma história – representa uma vida sem objetivos e sem grande esperança no futuro, mas ao mesmo tempo, sem regras, nem preocupações», partilhou Luís Leitão, o mentor deste projeto. Uma formação original composta por duas guitarras, voz e meia bateria que foi planeada neste formato «ainda antes de começarmos a pensar em concertos, por isso o som que fazemos, já foi pensado assim», confessa Luís Leitão. Estará relacionado com o som que fazem/querem fazer ou, também, para uma economia de instrumentos para serem gravados/levados, para um concerto? «A ideia inicial foi mesmo fazer uma espécie de *One Man Band, mas com duas guitarras (…) A parte da economia e logística é só um bónus».

ZERO – “Gritar” // O projecto ZERO nasceu em Março de 2020 quando o Mundo fechou. «Como toda a gente vimo-nos obrigados a estar fechados em casa e impedidos de fazer o que gostamos. Impedidos de trabalhar. A primeira canção deste projecto – “Gritar” – nasceu por estarmos fechados sem podermos estar com os que mais amamos. Foi um grito de revolta contra um fantasma que nos assombra a todos», explica a banda. Os ZERO são Hugo Vicky Marques na Bateria, Rodrigo “Rodas”Santos no Baixo, Marco Reis na Guitarra e Pedro Vaz na Voz e Guitarra.

KADYPSLON – “Deus És Tu” // O hip-hopper Kadypslon desvendou mais um single do seu novo álbum “Hip Hop Messiah“. “Deus És Tu” já pode ser escutado nas várias plataformas digitais. Fala «na importância de estarmos alertas a nossa experiência espiritual e também no reconhecimento da nossa Divindade Individual. O entendimento que a nossa existência ira refletir na realidade da comunidade Global e na Energia Universal.»

BOLHA – “Bailarina” // Bolha” é uma nova banda de Braga, tendo como mentores Ana Gomes e Hugo Torres. Aos Bolha juntou-se o acordeonista Cristiano Martins. Ana Gomes foi a vocalista do projeto Fado in Bossa e editou o álbum “Balanço” apresentado no EDP Cool Jazz. Participou ainda no álbum de 50 anos de música do Tozé Brito “A Memória do Amor”. Nos Bolha juntou a sua energia musical ao músico Hugo Torres. Cantor e compositor lançou o seu primeiro álbum de originais tendo como convidados os músicos Manuel de Oliveira e Yami Aloelela. Um trabalho com sonoridade pop/rock. Com a dedicação a obras originais, Ana Gomes e o Hugo Torres criaram o novo tema “Bailarina”. Sobre o tema “Bailarina” os Bolha dizem: «é uma música que espelha a nossa identidade musical, onde buscamos introduzir elementos de raiz, em pop fusion português. A música espelha a sincronicidade da dança de uma bailarina clássica, que apesar de ser brilhante (tal como muitos jovens nos nossos dias a caminho da aparente perfeição) é solitária, e longe dos holofotes, infeliz e sem amor». 

MDO – “Real”// Já está disponível o primeiro avanço do EP “Love” de MDO. “Real” junta a MDO, Edgar Domingos e 2Wavy e já está disponível em várias plataformas e o seu vídeo, realizado por Sílvio Moreira e com produção de Bluevision e Fábio André, conta a história de um amor verdadeiro, daqueles que não se explicam. O EP “Love” conta com cinco músicas de amor, das quais “Real” é a primeira a ser disponibilizada. Ao lado de “Real”, esperamos os temas “Love”, “Eu&Tu”, “Acaba De Me Matar” e “Feitiço” que serão disponibilizados durante a próxima semana.

LUIS PEIXOTO – “Geodesia”// Luís Peixoto é um dos mais consagrados cordofonistas portugueses. Depois de integrar e acompanhar inúmeros grupos e artistas como Dazkarieh, Sebastião Antunes, Júlio Pereira ou Ana Bacalhau, em 2017, lançou a solo o disco “Assimétrico”, trabalho que mais reconhecimento teve. Sempre à procura de novos caminhos musicais, e continuando em nome próprio, “Geodesia” é o novo trabalho discográfico com uma sonoridade acústica e centrada, maioritariamente, no bandolim.

SECRET CHORD – “Sickness”// Este é o mais recente single e videoclipe divulgado pela banda portuguesa de metal moderno e alternativo, que antecipa assim o lançamento de “Aurora”, disco de estreia preparado para sair no próximo dia 12 deste mês. Por mero acaso (ou talvez não), “Sickness” é o nome do tema escolhido pelos Secret Chord como segundo single de avanço para “Aurora”. Um título que se adequa de alguma forma à situação de pandemia que o mundo atravessa, mas acima de tudo, representa um conceito que não se limita a uma única patologia. Após a apresentação do primeiro single “Everything Repeats”, este novo tema é também revelado em forma de videoclipe e já se encontra disponível para visualização no canal de YouTube da Sleaszy Rider SRL, editora responsável pelo lançamento do primeiro longa-duração dos Secret Chord. “Aurora” foi gravado, misturado e masterizado pelo produtor João Dourado, nos Golden Jack Studios em Coimbra. A realização do videoclipe ficou novamente a cargo de Carlos Calika. Todas as filmagens decorreram no estúdio “Flashefoco”, localizado no concelho de Soure.

DAVID FROM SCOTLAND – “acceptance”// “Hooligan’s Heart” é o álbum de estreia dos David From Scotland, projecto idealizado e liderado por David Félix, desde 2016. O disco, que conta com várias colaborações (Flame Robin, EVAYA, Gil Jerónimo, ena b e MONDAY) fala sobre a história de um coração inquebrável, a lutar entre todas as fases de um relacionamento amoroso trágico. A atmosfera provocada pelos sintetizadores quentes, os rasgos de adrenalina da synthwave, e o vislumbre da electro-pop, traçam a narrativa desse mesmo coração de “Hooligan”, capaz de resistir a qualquer acto de violência ou vandalismo. Após a edição de dois EP, “Winter Wise” e “Baywatch Drive“, David convida Diogo Barbosa para ser membro integrante, e de suporte ao projecto, contribuindo activamente para a instrumentação do disco de estreia, “Hooligan’s Heart“. O que outrora podia ser considerado a “cena” a solo de David Félix, foi assim transformado pelo mesmo numa espécie de colectivo artístico, tendo ao longo dos tempos convidado vários músicos para colaborarem com o mesmo, como é o caso de Vítor Pinto (Paz Atómica, Malibu Gas Station, ex-O Abominável), João Losa (Malibu Gas Station, ex-O Abominável), e Pedro Rafael (Liquid, Don Pie Pie).

COLECTIVO BERGADO – “Berga Malhas Vol.II”// O Colectivo Bergado apresenta “Berga Malhas Vol.II”, a 2ª compilação da sua editora Berga Malhas. A compilação desdobra-se em 9 malhas, cada uma composta e gravada por cada um dos elementos do Colectivo, no desconforto das suas respectivas habitações. Após o lançamento da compilação inaugural da editora, durante o primeiro confinamento pandémico, o Colectivo Bergado apresenta a sua segunda edição – Berga Malhas Vol II – criada e produzida no segundo confinamento português. Os intervenientes desta compilação estiveram «em completo estado de obscuridade, em isolamento criativo e sanitário, onde as trocas e partilhas de sonoridades, faixas ou trechos, durante o processo, eram proibidas, sendo a moldura penal enquadrada entre 20 e os 27 anos de prisão sem condicional.» Desde 2016, o Colectivo Bergado desenvolve, no contexto da cidade do Porto, uma intensa actividade e constantes apresentações de projectos em articulação com as artes plásticas e a música. Os elementos do Bergado preocupam-se com a «transversalidade multidisciplinar, desmantelando barreiras que, tantas vezes, condicionam a liberdade da criação e prática artística e limitam possibilidades ao discurso e à capacidade interpelativa das ideias. Incidindo nesse campo, foi criada a editora online Berga Malhas, que congrega o reportório dos membros do colectivo num espólio ecléctico, como consequência da sua visão idiossincrática.»

TERESINHA LANDEIRO – “O Tempo”// “O Tempo” marca o primeiro avanço do novo álbum de Teresinha Landeiro. De volta com novo trabalho de originais, a fadista prepara o caminho para a chegada do seu 2º álbum “Agora” a ser lançado na Primavera. A realização do vídeo ficou a cargo de João Pedro Moreira. Com apenas 24 anos, Teresinha Landeiro, revela em “O Tempo” – com letra de sua autoria – um fado jovem, ambicioso e leve como a sua própria personalidade. Nas palavras de Teresinha Landeiro: «O Tempo não tem medida, não tem espaço, nem razão… o Tempo é ilusão. A noção de tempo é transversal a todas as idades, no entanto, a interpretação do mesmo varia ao longo das gerações. É difícil delimitá-lo, racionalizá-lo e até, por vezes, senti-lo. Muito mais difícil será vê-lo… Ou talvez não… mas será necessário um certo distanciamento para que possamos dar por ele. Pouco sei sobre o Tempo, até porque o meu tempo ainda é curto, mas embora curto, sei que quanto mais passa mais rápido o sinto passar. Ainda assim, fica-me sempre a dúvida do que é que realmente passa: se nós pelo tempo, se o tempo por nós. Por Agora é assim que o escrevo e interpreto. Escolhi a melodia do fado tradicional Tango, acompanhada com intensidade e contrastante subtileza por parte dos músicos Pedro de Castro, André Ramos e Francisco Gaspar.»

ZÉ LÃ – “Maria Rabugenta”// “Maria Rabugenta” é o segundo tema de avanço de “Ovelha Negra”, primeiro EP de José Raimundo, enquanto Zé Lã, com lançamento agendado para 28 de Maio de 2021. O single vem acompanhado por um teledisco que marca a parceria com Ricardo Martinho Gonçalves, que volta a realizar um vídeo de Zé Lã. “Maria Rabugenta” emerge da experiência de um casal a viver um confinamento durante meses e termina numa libertação pessoal, com cavaquinhos a interpretar as acesas discussões, guitarras e ukeleles tensos a contribuir para a viagem entre a esperança e a angústia.

NEEV – “Dancing in The Stars”// NEEV revelou o videoclip de uma versão acústica de “Dancing in The Stars”, tema que compôs no âmbito do Festival da Canção 2021 . Filmado nos Estúdios Namouche, com realização de Emerson Ferreira, mostra «o músico em perfeita harmonia com o piano numa interpretação que, apesar de mais despida, transborda de emoção e sentimento». “Dancing in The Stars” fala de «algo que partiu fisicamente da nossa vida, mas que continua espiritualmente connosco de forma tão intensa que continua a dar propósito e sentido a um presente que, quando olhado de frente, sabe a vazio», refere NEEV.

FAKE SNAKE – “Skull N’Bones”// Fake Snake é o novo projeto musical liderado por Paulo Garim e “Skull N’ Bones” é o single de estreia que já está disponível nas plataformas digitais. Fake Snake em parceria com a Golpe Filmes e em estreita colaboração com a Atomos, realizaram o videoclip do tema. A aposta no formato de videoclip narrativo vai ao encontro da estética cinematográfica que os Fake Snake emprestam às suas composições, tornando-se assim natural, esta abordagem mais cinemática. «“Skull N’ Bones” é no fundo o ponto de ignição para a construção de todo o projeto e a catarse necessária para que Paulo Garim se desprendesse dos demónios do passado ajustando contas consigo e desprendendo-se do superficial até ficar apenas caveira e ossos, ou seja as bases. Musicalmente, “Skull N’ Bones” é a perfeita aglomeração das diversas estéticas por onde o músico se moveu nos últimos 10 anos e que a simbiose de ideias com Daniel Carvalho (produtor e músico) transformou numa música.»

EGITANA