Quantcast
Viriatada Setembro #2: Rita Redshoes, Cassete Pirata, Cat, Fogo Fogo, Entre Outros

Viriatada Setembro #2: Rita Redshoes, Cassete Pirata, Cat, Fogo Fogo, Entre Outros

Redacção

Mais uma semana, mais uma ronda de Viriatada, o espaço que a AS dedica aos lançamentos da música portuguesa.

A música nacional merece ser partilhada. Existem novos lançamentos todos os dias, todas as semanas, todos os meses, e qualidade é coisa que não falta! A nossa rubrica Viriatada reúne alguns dos destaques da música portuguesa todas as semanas. Poupamos-te o trabalho, só tens de visitar a Arte Sonora, conhecer, ouvir e partilhar.

FOGO FOGO – “Fladu Fla” // “Fladu Fla” é o primeiro disco de originais dos Fogo Fogo depois de editados três EP’s: o primeiro, homónimo, lançado em 2015, que recorda as incursões mensais da banda na Casa Independente, o palco que os viu nascer, o segundo, “Nha Cutelo”, de 2018, e o terceiro, em 2019, “Dia Não”. Gravado em 2020 nos estúdios Namouche, com a ajuda dos músicos Jon Luz no cavaquinho, Djair e Zé Mário nas percussões, e na co-produção e mistura, com a ajuda do brasileiro Kassim e o norte americano Victor Rice, “Fladu Fla” é composto por 11 temas: nove originais e dois escolhidos do cancioneiro de funaná: “Ka Bu Frontam”, de Menu Petcha, e ”Labrada” de Catchás, aqui no seu primeiro registo discográfico.

BISPO feat. LON3R JOHNY & PIRI- “Oxigénio” // “Oxigénio”, já disponível em todas as plataformas digitais, é o novo single retirado do EP “Mudanças”, que Bispo e D’AY fizeram em conjunto e que será editado ainda este ano. Deste EP fazem também parte temas como “Certezas”, “Pedro” e “Influencer”. “Oxigénio” conta com a participação de Lon3r Johny e Piri. «Em vez de andar para a frente estamos a ver o mundo a regredir. O mundo precisa de oxigénio», diz Bispo sobre a canção.

RITA REDSHOES – “Rosa Flor” // Rita Redshoes revelou o seu novo single, “Rosa Flor”, a poucos dias de editar o álbum “Lado Bom”. “Rosa Flor” é um poema de amor musicado, em que Rita Redshoes canta de peito aberto para a sua filha, Rosa, tendo «a generosidade de dividir esse momento íntimo, embalando-nos na sua ternura, força e talento». Com letra assinada pela artista e a autoria da música partilhada com Bruno Santos, “Rosa Flor” é o nome do terceiro single do novo álbum de Rita Redshoes, “Lado Bom”, o disco mais pessoal da sua carreira, com edição agendada para 24 de Setembro. Depois do primeiro single “O Amor Não é Razão”, tema em que Rita Redshoes abraça a humanidade e até a beleza que existem no medo, vergonha e incerteza, partilhou um segundo single, “Contigo é Pra Perder”, em parceria com Camané, que evoca a necessidade universal que todos temos de amar e sermos amados de volta, e revela agora “Rosa Flor”. São três os temas que abrem a porta para o seu quinto disco de originais, que será o primeiro escrito na íntegra em português.

CASSETE PIRATA – “Só Mais Uma Hora” // O novo single dos Cassete Pirata irrompe a «agitar as águas paradas» e antecede o segundo LP da banda lisboeta. «A batida groovada a braço dado com a melancolia, tão própria das letras e das melodias de Cassete Pirata, rebenta aqui, mais uma vez». O vídeo que acompanha o single, com realização de Tiago Brito e produção da Litoral Filmes, «é um quadro vivo em torno de uma mesa de amigos que se perdem nas conversas e na nostalgia da canção. Como é que momentos aparentemente tão banais nos arrepiam a espinha? Porque se acertou em cheio no coração de uma saudade colectiva e cantarmos juntos é a poção mais eficaz para espantar esses males». No dia 8 de Outubro será lançado o disco “A Semente”, que sucede ao primeiro longa-duração, “A Montra”, de 2019. O novo trabalho vai despontar nas plataformas digitais e em CD (disponível a partir de 8 de Outubro) e em LP (a partir de Janeiro de 2022) pela Rastilho Records, estando ambos em pré-venda aqui.

JÚLIO RESENDE – “Júlio Resende Fado Jazz Ensemble” // Depois do lançamento do álbum “Júlio Resende Fado Jazz Ensemble”, chega agora o vinil desta obra, com uma faixa extra: “Conversas Desgarradas”. Trata-se de uma faixa onde podemos ouvir conversas que aconteceram no estúdio, entre músicos, durante as gravações do álbum e que ficaram registadas entre takes. “Júlio Resende Fado Jazz Ensemble” foi editado a 30 de Outubro de 2020 e na segunda semana nas lojas alcançou o segundo lugar no Top Oficial da AFP. Conta com uma edição simultânea em Portugal e Espanha e como diz o título, carateriza-se por uma combinação entre os dois estilos musicais referidos: Fado e Jazz. Com nove temas originais compostos por Júlio Resende, e assumindo pela primeira vez a letra do único tema cantado pela fadista Lina Rodrigues, em “Profecia”, este trabalho contou com a participação de músicos como Alexandre Frazão na bateria, André Rosinha no contrabaixo e Bruno Chaveiro na guitarra portuguesa. O vinil já está disponível nas lojas e digital e antecipa o concerto de apresentação deste trabalho, dia 2 de Outubro, no CCB, cujos bilhetes estão à venda aqui.

MOISÉS – “Dançar, Até Que A Noite Caia” // Moisés, vocalista da Quinta do Bill, revela “Dançar, até que a noite caia” como antestreia do seu primeiro álbum a solo. Intitulado “Moisés – Primeiro Solo”, o álbum de estreia do músico é apresentado no dia 24 de Setembro. «A canção surgiu num dia de Verão à beira-mar. Desperta uma sensação de liberdade e ao mesmo tempo de cumplicidade numa relação a dois. O fio condutor é a dança e a expressão corporal», refere o músico. Com letra de Moz Carrapa (Salada de Frutas, Ala dos Namorados) e música do próprio, “Dançar, até que a noite caia” é recheada de «melodias pop rock e alegres harmonias que nos contagiam a cada verso. O músico transporta-nos numa dança que nos leva a viajar». O primeiro videoclipe desta aventura a solo foi realizado por Bruno Nacarato e conta com Carlos Moisés (voz e guitarra), Paulo Bizarro (baixo), André Moinho (guitarra) e José Duarte (bateria).

CAT – “Lado B” // “Lado B” é o single que marca o regresso de Cat (Catarina Rocha, ex-EYE) aos palcos. O novo single é o pontapé inicial para a nova era de Cat, agora a solo, e marca o desvendar do álbum “Tatuagem Virtual”. O single é uma experiência sensorial de percurso pela cidade em que o amor é o fio condutor. «O percorrer da cidade, o calcorrear pelos lugares, pelas ruas estreitas, o encontro fortuito com diferentes pessoas, o reencontro com amigos fazem prosperar um sentimento de esperança, ajudando ao encontro do equilíbrio». Em “Lado B” ouvimos um lado, menos conhecido, que está presente em cada um de nós. Com letra de Sumatra J. e Cat, música de Sumatra J, Cat e Jonny Abbey, produção de Jonny Abbey e participação de Rui Ribeiro no piano, “Lado B” nasceu com base no piano e na voz. O vídeo foi filmado nas ruas de Lisboa e contou com a realização de Rita Carmo.

GUGA – “Amor Antigo” // Guga, artista emergente do hip-hop nacional, lançou o novo single “Amor Antigo”, já disponível nas plataformas digitais. Com o artista a abrir as portas da sua intimidade, em “Amor Antigo”, Guga faz um paralelismo do que foi vivido pelos seus avós, na sua relação e matrimónio, e alusão ao sentimento infinito e platónico. A mensagem subjacente de que há gestos e atitudes que, ainda que pareçam clichê, nunca deveriam passar de moda, levam Guga a questionar a existência do amor como o de antigamente… intemporal. O artista tem actuação no dia 25 de Setembro no Altice Fórum Braga, no âmbito do festival Urban Fest. Guga vai continuar a lançar música de forma constante, que irá culminar no lançamento do seu álbum de estreia, ainda sem data definida.

GARCIA – “Cigarra No Outono” // Garcia lançou “Cigarra no Outono”, segundo single de avanço do seu próximo trabalho de originais “Canção”, que chega a 24 de Setembro. Depois do primeiro single “Famigerado Quebra-Corações”, com homenagem a um dos grandes autores nacionais, Carlos Tê, é a vez de Garcia homenagear um dos maiores fazedores de canções de sempre, Bob Dylan, no seu segundo single “Cigarra no Outono”, já disponível em todas as plataformas digitais. «Este tema é sobretudo, uma reflexão em jeito palmaníaco e de Dylan sobre a viagem e a descoberta no tempo que é a vida, sempre em busca do amor, como a cigarra canta durante o Verão e o Outono, antes do inverno chegar (fábula de Esopo recontada por La Fontaine)», explica Garcia.

DIANA VILARINHO – “Quando A Dor Bateu À Porta” // Diana Vilarinho tem um novo single que antecede o álbum de estreia, que será lançado em Outubro e conta com a produção do consagrado fadista Ricardo Ribeiro. “Quando a Dor Bateu à Porta”, novo tema retirado do seu disco homónimo a editar dia 1 de Outubro, tem «a vivacidade bairrista e popular sem artifícios nem grandes pretensões. Somente uma enorme voz a revelar-se e a envolver-nos naturalmente consigo».

BUCETA DI MAMÃE – “Buceta Di Mamãe Is Not A Crime” // Wellington Gringo Magalhães e José Pedro Sarrufo apresentam novo projecto lançando uma sátira punk anti-machista, os Buceta Di Mamãe, uma banda luso brasileira de punk rock. Wellington Gringo Magalhães «é um pioneiro do Surf Aerials Brasileiro, tendo inspirado gerações e sendo citado por inúmeros surfistas de classe mundial como uma referência. O seu espírito livre e a sua paixão pelo punk sempre colidiram com algumas visões mais conservadoras do Surf. A sua busca por ondas e liberdade trouxe-o até Portugal onde se apaixonou pela praia do Guincho e é lá que treina e dá aulas, ensinando técnicas avançadas de Surf». Pedro Ataíde “Sarrufo” é um guitarrista «bem conhecido do underground português. Ligado ao movimento hardcore em Portugal, Sarrufo tocou em algumas das mais influentes bandas do género: Pé de Cabra e Trinta & Um. É também um dos fundadores dos Rasgo, uma referência portuguesa no panorama Thrash Metal, já tendo partilhado palco com grandes bandas como Slayer, Slipknot ou Suicidal Tendencies». Sarrufo e Gringo conheceram-se em Junho deste ano em Estoril. Deste improvável encontro e com histórias tão distintas, nasce agora um projecto de coração punk: Buceta Di Mamãe. O primeiro single é “Buceta di mamãe is not a crime”.

VLAD – “Poder & Glória” // Após o single de estreia “0-0-11” e “GOD” terem sido escolhidos para figurar na Playlist Editorial mais forte do Spotify: Rap Tuga, e depois de “Sanguessuga” e “Trinca Na D.”, o novo single “GunShot” é o último single a ser lançado e sai com o EP “Poder & Glória”. O tema tinha inicialmente o nome do EP que é uma tradução do nome do artista “Vladeslav”, mas como «é um som de skill e sem um refrão assumido, procurou-se escolher uma palavra que fizesse mais sentido e ficasse mais no ouvido». O final de 2020 e o ano de 2021 trouxeram a Vlad a oportunidade de se mostrar e «criar algum impacto no meio do Hip Hop, com as suas rimas apuradas e flows diversificados este tema faz mesmo uma súmula do seu skill, irreverente e inovador». Vlad prepara já novidades para dar «continuidade a uma carreira que se pretende longa para este jovem de apenas 19anos! Com o selo Big Bit Música, e distribuição da Universal Music Portugal, um artista a ter em conta para 2022!».

OMA NATA – “Night Shadows” // Oma Nata está de volta com a estreia de um novo single , mesmo a tempo da abertura das pistas de dança por todo o mundo. “Night Shadows” antecipa o lançamento do EP “Prayer of the Night”, com estreia agendada para 1 de Outubro, pela Discotexas. À deriva entre culturas e lugares, de Portugal, a Berlim e Londres, o produtor português Oma Nata «já não necessita de apresentações no mundo da música electrónica». Desde “Baiana” lançado em 2016 pela Forbidden Cuts, editora irmã da Discotexas, passando por 4 EPs e um Álbum, Mário da Motta Veiga, mais conhecido como Oma Nata, cruza fronteiras pelos vários géneros musicais onde explora sonoridades temperamentais, vibrantes e exóticas, que fazem dele «um artista verdadeiramente único». Com a tendência natural de retratar vidas e estilos do passado e do presente, numa nostalgia imaginária, Oma Nata inspira-se no Techno alemão, no UK Garage, no Ambient e ainda nas bandas sonoras misturadas com as batidas electrónicas, proporcionando «temas inesperados e por vezes espontâneos, em resposta aos acontecimentos e emoções da vida actual».

WHOSPUTO – “We Went Clubbing” // O EP “We Went Clubbing” marca o início de Whosputo numa incursão mais evidentemente electrónica. O EP, divido em duas partes, tem uma primeira consistente em quatro temas originais que cavalgam a identidade da banda através de roupagens mais Drum n ́Bass, House e Garage e uma segunda composta por duas contribuições de produtores nacionais, Luís Lucena (Melquíades, Quatro Quarto) e Pedro Marinho (Sol, o Mar) em remixes de músicas previamente lançadas.

CINZA FÉNIX – “A Consciência Viva” // Cinza Fénix é um projecto formado por Mário J. Dias, Miguel A. Dias e Lynart Shadow com raízes na cidade do Porto. Na produção conta com Rodolfo Cardoso, experiente produtor e músico. O primeiro single chama-se “A Consciência Viva” e fala sobre a importância da saúde mental.

NO WORDS LEFT – “New Horizons” // No Words Left, projecto a solo e independente criado a partir da mente musical do artista português Ricardo Gonçalves, prepara-se para um ano inovador com a edição do seu primeiro álbum instrumental, “Dreamin’”, e do videoclipe do primeiro single, “New Horizons”, já disponível. Tendo influências importantes como Thom Yorke, Hans Zimmer, Max Ritcher, Thomas Newman e muitos mais, assim como das cidades onde viveu como Lisboa, Barcelona ou Seul, Ricardo Gonçalves produziu No Words Left como um projecto instrumental, «artisticamente expressivo e aventureiro, capaz de transmitir os seus sonhos mais selvagens em música altamente imaginativa».

CITIZEN:KANE – “Smog” // Depois do lançamento do EP “Mutation”, em Março deste ano, a Maquiavel lança o seu segundo release, num novo trabalho de CITIZEN:KANE, um dos alter-egos de Marco Guerra. Uma abordagem assumida ao universo musical dub, que serve de linha condutora aos quatro temas do EP. “Smog” abre com «uma bassline bem característica, quente e groovy. “Fog” salta para um estado de espírito melancólico, alinhando em paradas rítmicas de porte mais profundo, com os delays e reverbs a fazerem entoar os synths em cânticos celestiais. O solarengo “Smoke” propõe um registo orgânico que nos conduz até ao conclusivo “Gas”, tema mais dissonante, arrastado e apocalíptico, com reverbs e delays quanto baste, a fazer as honras de encerramento do EP». Ainda na ressaca do seu segundo álbum, “The Last Whistle”, editado em Maio deste ano pela Rave Tuga, CITIZEN:KANE aventura-se por novos caminhos e confirma a apetência de Marco Guerra pela exploração de sonoridades díspares.

UNIVERSUS ENSEMBLE – “Raízes” // Os UniVersus Ensemble apresentam o novo vídeo para “Raízes”, primeiro tema cantado em português pelo grupo criado no seguimento da edição e publicação do projecto “UniVersus”, da autoria de José Manuel Freire, levado a público em 2012, composto por uma obra literária e por uma obra musical. «Para além da unidade inerente à génese das duas obras, a componente musical, reveladora de várias influências de linguagens, encontra-se a trilhar o seu caminho no sentido de conquistar o seu espaço no panorama musical português». Nos concertos realizados são apresentados alinhamentos de temas originais que se afiguram como «ilustrações sonoras das matérias abordadas no seu livro. O género musical desenvolvido é revelador de várias influências de linguagens, encontrando-se patente a formação clássica dos músicos que integram este Ensemble e, em particular, a natureza jazzística de algumas linhas desenvolvidas. Os espectáculos realizados são manifestamente convidativos a uma natural sensibilização do público relativamente ao carácter sagrado da Vida, convidando a perscrutar os mais recônditos lugares do nosso Ser e do Universo».

EGITANA