Westway LAB Festival 2021 Com Vários Concertos Em Formato Digital

Westway LAB Festival 2021 Com Vários Concertos Em Formato Digital

Redacção

A oitava edição do Westway LAB, festival, conferência, criação, está agendada para os dias 7 a 10 de Abril, numa versão inteiramente digital. Destaque para as actuações do Why Portugal Event, este ano com os concertos de Diabo a Sete, Bicho Carpinteiro e Beatriz Pessoa.

A abrir os concertos da edição do Westway LAB de 2021, com transmissão digital e curadoria do Why Portugal e da Antena 3, os Diabo a Sete surgem na Sexta-feira, 9 de Abril, às 21h, para cruzar ritmos, melodias e instrumentos associados à matriz tradicional, com letras e sonoridades contemporâneas desta banda folk-rock portuguesa. Criativos e com um imaginário particular, já reconhecidos como uma referência incontornável na reinvenção da música portuguesa de raiz, apresentam-se numa altura em que se preparam para gravar o quarto álbum de originais, com edição prevista para este ano.

A mesma janela online abre-se se seguida para o artista multidisciplinar Tristany pintar com a sua voz, ilustrando a realidade por ele vivida, através do seu olhar e do olhar das pessoas que o rodeiam, numa expressão de sonoridades cruas com ritmos e estímulos visuais diversificados. Às 22h, o músico traz na bagagem o álbum de estreia Meia Riba Kalxa (2020), que tem recebido amplos elogios da crítica especializada.

Esta noite fecha com Da Chick. Intérprete, compositora e recentemente produtora do seu mais recente álbum “Conversations with the beat”, a portuguesa Da Chick continua em mutação na pesquisa pela liberdade e novas formas de expressar a sua visão e criatividade. Do electro ao disco, do boogie ao dub, de cantar a produzir música, Da Chick parece estar apenas a começar a sua longa viagem pela música e a partir das 23h, no Westway LAB, promete deixar-se guiar pelo momento e pelo seu maior aliado, o groove, através de uma performance intimista e experimental.

O Sábado, 10 de Abril, reserva-nos a entrada em ação de Bicho Carpinteiro quando as 21h baterem à porta. Este caldeirão de rock instrumental e um folk “musculado” regado a viras, fados, chulas e lenga-lengas servidos numa bandeja de ambientes eletrónicos temperados com toda a riqueza que a tradição portuguesa tem para oferecer, mostra-se através de violas braguesa e beiroa e cavaquinhos eletrificados, bombos tradicionais e adufes quitados e lenga-lengas com auto-tune às mãos de Vasco Ribeiro Casais (Omiri, Seiva, Dazkarieh) e Rui Rodrigues (Casuar, LOT, Uxukalhus).

O Bicho é (per)seguido às 22h por Beatriz Pessoa, cantora e compositora que vive num equilíbrio artístico entre o sonho e o pragmatismo, por entre uma (ainda) curta e promissora carreira que já a levou a pisar alguns dos mais importantes palcos de festivais nacionais e internacionais como o NOS Alive, Meo Marés Vivas, SuperBock em Stock ou o Audio Rebel, no Brasil. Apaixonada pelo calor da música brasileira, Beatriz atravessou o Atlântico em 2019 para gravar o seu primeiro longa-duração, Primaveras, adiado por conta da pandemia mas que agora chega ao Westway LAB e já se encontra disponível nas plataformas digitais.

O Westway LAB 2021 apresenta o último concerto desta edição pelas 23h com o projeto P.S. Lucas. Há uma arte que Pedro Lucas tem vindo a refinar há cerca de uma década com os projetos Medeiros/Lucas e O Experimentar Na M’Incomoda. Agora, estreia-se a solo com In Between (2021), um disco que carrega ecos de modernos mestres das canções, mas a melancólica dolência com que embrulha as suas composições só a si mesmo pertence. E esta música vive da luz que só aqui se encontra e em que Pedro Lucas encontra estas canções que partilha connosco de mão aberta neste concerto.

Destaque, ainda, para a tarde deste mesmo dia 10 de Abril – habitualmente ocupada pelos City Showcases do Westway LAB que preenchem de música ao vivo vários pontos da cidade de Guimarães – que nos reserva uma série de atuações internacionais transmitidas a partir das 15h numa emissão streaming ininterrupta na página Facebook do Westway LAB. Estes showcases virtuais, resultantes da integração do Westway LAB no ETEP (European Talent Exchange Programme) e INES (Innovation Network of European Showcases), irão colocar-nos em contacto com projetos musicais de variadas origens como Alicia Edelweiss (Áustria), Sofia Talvik (Suécia), TUYS (Luxemburgo), My Ugly Clementine (Áustria), Julia Bardo (Itália), Pinpilinpussies (Espanha), entre outros.

Os concertos podem ser acompanhados através da transmissão digital, na página de Facebook do evento. A programação completa desta edição pode ser consultada aqui, onde é igualmente possível realizar os registos PRO para participar nas 23 conferências e dois keynotes do Westway LAB 2021 e WHY Portugal Event, respectivamente João Carvalho (Festival Paredes de Coura) e Robert Grima (Live Nation Spain).

Esta edição de 2021, novamente organizada pela Oficina, entidade responsável pelo certame desde 2014, marca igualmente a estreia do IMPALA Campus, dirigido a todos os jovens artistas e profissionais da indústria da música, em início de carreira, e que tem como principal objectivo ajudá-los a adquirirem competências e conhecimentos que os ajudem a progredir nas suas carreiras.

EGITANA