Zakk Wylde Recriou Álbum de Estreia dos Black Sabbath

Zakk Wylde Recriou Álbum de Estreia dos Black Sabbath

Nero

“Vertigo” é o primeiro álbum dos Zakk Sabbath, onde Zakk Wylde, Blasko e Joey Castillo regravaram o uber clássico de estreia dos Black Sabbath.

Zakk Wylde não figura no novo álbum de Ozzy Osbourne, “Ordinary Man”. E, apesar de continuar a acompanhar o histórico frontman dos Black Sabbath em digressão, a No More Tours 2 está interrompida há muito. Dessa forma, Zakk Wylde assumiu em Abril passado estar a preparar-se para iniciar as sessões do próximo álbum de Black Label Society, para suceder a “Grimmest Hits” de 2018.

O que o guitarrista tinha na manga, todavia, era um novo trabalho do seu projecto devocional aos Black Sabbath. “Vertigo” chega em Setembro, no dia 04, e presta homenagem ao primeiro álbum dos Black Sabbath, que celebra 50 anos. Para os Zakk Sabbath trata-se do seu segundo discográfico, depois do EP “Live In Detroit”, editado pela Southern Lord em 2016.

“Vertigo” é uma reprodução do álbum de estreia dos Sabbath, de 1970, tocado por Zakk Wylde (guitarras e vozes), Blasko (baixista companheiro de Zakk na banda de Ozzy) e Joey Castillo (bateria). A versão do clássico “Black Sabbath” já pode ser ouvida. As gravações do álbum foram acompanhadas por uma equipa de vídeo e pretenderam imitar o espírito dos live takes originais do quarteto de Birmingham.

01. Black Sabbath
02. The Wizard
03. Wasp / Behind the Wall of Sleep / N.I.B
04. Wicked World
05. A Bit of Finger / Sleeping Village / Warning

“Vertigo” não vai ser editado em formato digital. O álbum, que chega através da Magnetic Eye Records, estará apenas disponível em formatos físicos, CD; um livro CD/DVD e vinil amarelo de edição limitada. Pre-orders aqui. “Black Sabbath” no player em baixo. Se quiserem ouvir uma insólita versão de Wylde a outro clássico do álbum de estreia dos Sabbath, então sigam este link.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.