Quantcast
Álbuns Nacionais Aguardados em 2022

Álbuns Nacionais Aguardados em 2022

Nuno Sarafa
Ana Viotti

A melhor música portuguesa de 2021 já foi vista e revista e agora é tempo de olhar para alguns dos álbuns nacionais que poderemos conhecer em 2022.

Depois da lista dos melhores álbuns nacionais de 2021, é tempo de olhar em frente e enumerar os discos portugueses mais aguardados do novo ano.

O processo de compilação desta lista baseou-se em algumas datas de lançamento já confirmadas e também em várias pistas deixadas por alguns artistas ao longo dos últimos meses.

De nomes promissores a alguns mais consagrados, confere a lista de alguns dos álbuns portugueses que prometem ser a banda sonora de 2022.

LINDA MARTINI – “Errôr” | Com data de lançamento agendada para o dia 25 de Fevereiro, “Errôr” [Sony Music] será o sexto longa-duração dos Linda Martini, um disco que, segundo a banda, partiu do erro. Em Janeiro de 2021, em plena terceira vaga da pandemia, André Henriques, Pedro Geraldes, Hélio Morais e Cláudia Guerreiro entraram nos Estúdios Namouche, em Lisboa, com o produtor catalão Santi Garcia. Munidos de máscaras, algumas ideias, declarações de circulação e álcool gel, saíram de lá duas semanas depois com 12 novas canções, entre as quais as já reveladas “E Não Sobrou Ninguém”, “Horário de Verão” e “Taxonomia”. O sucessor do homónimo editado em 2018 vai ter edição em duplo vinil e formato digital e pode ser pré-encomendado aqui.

FILHO DA MÃE – “Terra Dormente” | O sexto disco do guitarrista Rui Carvalho ainda não tem data de lançamento anunciada, mas irá dar continuidade à sequência de títulos naturalistas, depois de “Mergulho” e “Água-Má”. Rui Carvalho iniciou o seu percurso em bandas como os ASNEIRA e I Had Plans, tendo ainda integrado, a partir de 2004, os If Lucy Fell, banda de pós-hardcore que partilhou com membros dos Linda Martini, PAUS, Riding Pânico e Men Eater. Estreou-se a solo enquanto Filho da Mãe em 2011, com o disco “Palácio”, que nos trouxe um estilo característico de abordar as seis cordas, seguindo-se, em 2013, “Cabeça”, e, em 2016, “Mergulho”, em nome próprio, e “Tormenta”, em parceria com o baterista Ricardo Martins. “Terra Dormente” sucede a “Água-Má”, de 2018.

FRANKIE CHAVEZ | Ainda sem data ou título anunciados, o sucessor de “Double or Nothing”, de 2017, o quarto longa-duração do guitarrista, será totalmente cantado em português. Frankie Chavez tem-se afirmado, desde que se estreou em 2010, como um dos mais estimulantes músicos da sua geração. Inspirado pela folk, pelos blues e pelo mais clássico rock, tem levado a sua música cada vez mais longe, muito à custa da relação singular que desenvolveu com aquilo que foi sempre o princípio de tudo: a guitarra.

MIRAMAR – “Miramar II” | O projecto que junta os guitarristas Peixe e Frankie Chavez tem novo disco na calha, a ser editado no dia 28 de Janeiro e que sucede a “Miramar I”, editado em 2019. O novo disco foi gravado no Miramar Sessions Studio, situado não por acaso no local que deu nome ao projecto, a localidade costeira de Miramar no concelho de V. N. de Gaia e tem a produção de João Bessa, Frankie Chavez e Peixe. Em Miramar, os dois músicos tocam várias guitarras, incluindo guitarra portuguesa, eléctrica e weissenborn (slide guitar). Do novo disco, já se conhece o tema “Brower”.

MÁRCIA | O primeiro trimestre de 2022 vai dar a conhecer o sétimo álbum de Márcia e sucessor do disco editado em 2018, “Vai e Vem” [Arraial, selo discográfico da agência Arruada]. Ainda não se conhece o título do novo trabalho da cantautora, mas espera-se mais um punhado de temas intemporais e em que a língua portuguesa é personagem principal.

BRANKO | Mais um disco a ser editado no primeiro trimestre do ano, o sucessor de “Nosso” (2019) será editado pela Enchufada (editora independente fundada pelo próprio e por Kalaf Ângelo em 2006). Pouco ou nada se sabe sobre o novo registo de Branko, a não ser que será apresentado ao vivo no festival ID NO LIMITS, no Estoril, em Fevereiro, e no dia 18 de Março, na Super Bock Arena, no Porto.

BENJI PRICE – “Ígneo” | O primeiro longa-duração do aclamado produtor Benji Price vai chegar até Março e surge depois das várias colaborações dos últimos anos com nomes como ProfJam, Diogo Piçarra ou Plutónio. A acompanhar a edição a solo, pela Sony Music, João Ferreira vai estrear-se ao vivo no Tivoli BBVA, em Lisboa, a 4 de Março. “Girassóis“, single lançado em Novembro, é o primeiro avanço de “Ígneo”.

MARCO RODRIGUES – “Judite” | Novo disco do fadista Marco Rodrigues terá o nome da sua mãe, que faleceu em Janeiro de 2020, e será o sexto da carreira, sucedendo a “Copo Meio Cheio”, de 2017. “Amar Para Sofrer“, tema escrito por Diogo Piçarra, é um dos avanços do novo disco de originais de Marco Rodrigues, um trabalho que chega nos primeiros meses deste ano.

BOKOR | O EP de estreia de Cristina Bokor Rogeiro será editado pela Arraial durante o primeiro trimestre de 2022. A cantora e compositora estreou-se no Verão passado, com apenas 21 anos, com o single “Mesmo a Saber”, um tema que inundou playlists e rádios um pouco por todo o país e cujo vídeo foi realizado por João Pedro Moreira (Branko, Dino D`Santiago, Regula, Teresinha Landeiro).

THE ALLSTAR PROJECT | Comemorados os 20 anos de carreira no ano passado, os leirienses The Allstar Project regressam em 2022 com novo disco. “Momentum” é o primeiro avanço do projecto que junta elementos de várias formações da cidade do Lis.

GOBI BEAR | Já está disponível em todas as plataformas digitais e em CD o novo EP de Gobi Bear, “10“, que celebra 10 anos passados desde o primeiro lançamento do projecto alter-ego do vimaranense Diogo Alves Pinto. Este EP já inclui três temas que anunciam o terceiro longa-duração, com lançamento previsto para este novo ano, e que sucede a “Demo” (2011), “LP” (2012), “Mais Grande” (2012), “Inorganic Heartbeats & Bad Decisions” (2013), “Dare” (2014), “Bare” (2014) e “Gobi Bear” (2016).

MILTON GULLI – “Quotidiano” | Prestes a celebrar 25 anos de carreira, Milton Gulli foi fundador de projectos como Cacique´97, The Grasspoppers, Simba & Milton Gulli e Philharmonic Weed, foi vocalista dos Cool Hipnoise e é também produtor e DJ. Criou a editora independente Kongoloti Records e compôs recentemente a banda sonora para o filme moçambicano “Resgate/Redemption”, em exibição na Netflix. Após uma temporada de nove anos em Moçambique, Milton regressou a Portugal em meados de 2020 para preparar o seu primeiro álbum a solo. “Quotidiano” é o título deste trabalho que será lançado a 3 de Março de 2022 com edição internacional pela britânica Tangential Records.

IRMA | Ainda sem data de lançamento anunciada, do novo EP de IRMA já se conhece o tema “Próxima Vez”. Depois de “Vejo-te Aqui”, canção que lançou no ano passado em colaboração com Tiago Nacarato, a artista prepara-se agora para editar o sucessor do seu álbum de estreia, “Primavera”, de 2020.

MÁRIO BARREIROS – “Dois Quartetos Sobre o Mar” | Novo disco de Mário Barreiros será revelado a 17 de Janeiro e marca o regresso do aclamado produtor e músico ao jazz e à música improvisada. “Só Ten o Corpo Memória” foi o primeiro tema a ser revelado do novo disco de originais e tem autoria do pianista galego Abe Rábade, sendo interpretado pelo Quarteto Pacífico: Mário Barreiros (bateria), Carlos Barretto (contrabaixo), Abe Rábade (piano) e Ricardo Toscano (sax alto). O segundo quarteto a assinar esta paisagem sonora em 8 andamentos é composto por Demian Cabaud (contrabaixo), Miguel Meirinhos (piano), José Pedro Coelho (sax) e, naturalmente, Mário Barreiros na bateria.

FENDER