EXCLUSIVO: The Raconteurs na Arte Sonora

EXCLUSIVO: The Raconteurs na Arte Sonora

Nero

Na nova AS há uma entrevista exclusiva sobre o regresso dos Raconteurs e sobre o equipamento e sessões de gravação do novo álbum, “Help Us Stranger”. Em exclusivo o Making Of do segundo álbum dos Keep Razors Sharp e visita às entranhas dos Black Sheep Studios. Olhamos ainda a história dos 50 anos do hard rock.

1969 teve início a uma quarta-feira, segundo o calendário gregoriano foi um ano comum (365 dias). Mas 1969 foi um ano intenso para a história nacional e mundial. E foi um ano determinante para a história em geral e para a história do rock em particular.

O sismo de 1969 foi o último grande sismo a ocorrer no território continental português; as eleições legislativas deste ano foram as primeiras realizadas após a saída de António de Oliveira Salazar da Presidência do Conselho, o seu clima de aparente abertura política, designado por Primavera Marcelista; o Benfica foi Campeão Nacional e venceu a Taça de Portugal, num jogo disputado com a Associação Académica de Coimbra sob um enorme clima de tensão e receio de confrontos – os estudantes universitários estavam em confronto aberto contra o Estado Novo e, pela primeira vez na história, o Presidente (Américo Thomaz) e o Ministro da Educação (José Hermano Saraiva) não assistem ao jogo no estádio, e este não foi transmitido na televisão. A equipa do Benfica, solidária com os estudantes, entrou no campo de capa caída e batina ao ombro.

Richard Nixon tomou posse como Presidente dos Estados Unidos, ao mesmo tempo que o país protestava contra o Conflito no Vietname e contra o racismo, que havia vitimado no ano anterior o reverendo Martin Luther King Jr.; Neil Armstrong tornou-se no primeiro ser humano a pisar solo lunar; a ARPANET transmitiu a sua primeira mensagem, naquilo que foi o nascimento da Internet; a infame Família Manson cometeu os seus macabros massacres, colocando um final espiritual aos ideais do Verão do Amor; em Nova Iorque, a Rebelião de Stonewall solidificou, de vez, os movimentos sociais em defesa dos Direitos LGBT.

Foi o ano do Woodstock, onde Hendrix dinamitou o “Star Spangled Banner”; em Altamont, num concerto dos Rolling Stones, os Hells Angels (contratados para fazer a segurança do evento, assassinaram um fã); foi o ano em que os King Crimson se estrearam com o álbum “In The Court Of The Crimson King”, inaugurando o prog rock; foi o ano em que os Beatles deram o seu último concerto e John Lennon anunciou a sua saída da banda; foi o ano em que os Stooges se estrearam através do seu álbum homónimo e Elvis Presley regressou aos concertos, nos fabulosos concertos no International Hotel, em Las Vegas. E foi o ano em que, aproveitando duas décadas de evolução tecnológica e a tradição do Delta Blues e dos pioneiros do rock ‘n’ roll, os Led Zeppelin, através de dois álbuns fenomenais, fundaram o hard rock.

Em 1969, ninguém na AS era nascido. Brendan Benson e Jack White ainda não eram nascidos, nem nenhum dos músicos dos Keep Razors Sharp ou dos Grails. Todos somos marcados pela esperança da Era de Aquário e por esse ano inesquecível. Também o novo coleccionável impresso da Arte Sonora surge sob esse signo. Uma edição onde estão os Raconteurs, as guitarras, os amps e os riffs de Brendan Benson e Jack White em “Help us Stranger”, numa entrevista EXCLUSIVA para o território nacional sobre o regresso da banda de Nashville.

Passamos pelos Black Sheep Studios, aproveitando as remodelações de que foi alvo, para falar com os produtores e engenheiros residentes sobre a sua filosofia de gravação e produção. Um estúdio pivotal no desenvolvimento de “Overcome”, o segundo álbum dos Keep Razors Sharp. O making of do álbum, que foi um dos nossos eleitos para os melhores do ano passado, é desvendado numa aprofundada entrevista com Afonso Rodrigues e Carlos “BB” António. Também os Grails, aproveitando a sua passagem pelo Tremor, estão na revista. O seu mentor, Alex Hall, faz uma retrospectiva às duas décadas da peculiar carreira da banda.

Esta edição conta ainda com as rubricas habituais do radialista Nuno Calado e do nosso ilustrador Carlos Garcia, além dos testes a equipamento musical, com destaque para a rodagem a um protótipo do novíssimo Roland TM-1, com a participação de Gonçalo Correia, baterista dos Process Of Guilt e para uma tríade de pedais boutique da J. Rockett Audio Designs.

E, naturalmente, fazemos um resumo à história dos 50 anos do hard rock. Os álbuns, as figuras, o gear e o som. São 150 páginas de mais uma edição histórica de Arte Sonora. PODES ENCONTRÁ-LA NA NOSSA LOJA.

O melhor de tudo é que ao comprares este coleccionável até 31 de Agosto, habilitas-te automaticamente a ganhar um Spinnerette Turntable da Third Man Records que não está à venda no mercado europeu. Uma oferta Pias Ibero AMerica e Third Man Records.