AS10: Documentários Portugueses Sobre Música

AS10: Documentários Portugueses Sobre Música

António Maurício

10 documentários portugueses interessantes sobre a arte de fazer, ouvir e sentir a música em Portugal.

A música tem uma história e um desenvolvimento altamente complexo, um percurso alternado e inesperado, mas gostamos de tentar perceber o máximo possível. É um processo de conhecimento pessoal sem fim e na verdade, quanto mais música ouvimos, mais queremos ouvir. Começamos a explorar mais géneros e andamos por caminhos cada vez mais alternativos. Os documentários são excelentes fontes de conhecimentos, combinam pesquisa, testemunhas e imagens num produto audiovisual informativo de fácil digestão. Apresentamos 10 documentários portugueses que se destacam pela qualidade e claro, com a música em comum.

MÚSICA EM PÓ | 2013

Faz todo o sentido começar com um documentário de Eduardo Morais, um dos mais reconhecidos documentaristas musicais independentes em Portugal que já soma um excelente catalogo de trabalho. “Música em Pó” foi realizado, produzido e captado em 2013 pelo próprio e financiado através de uma campanha de crowdfunding. Apresenta o retrato de doze coleccionadores de vinil, entre eles José Moças (editor da Tradisom), Heitor Vasconcelos (considerado o maior coleccionador de discos de Amália Rodrigues), DJ Ride (músico e produtor), Joaquim Paulo (autor de “Jazz Covers”), etc. «A intenção do “música em Pó” sempre foi documentar a paixão e as peculiaridades de cada coleccionador. Nunca me interessou entregar medalhas e hierarquizar colecionadores pela quantidade», palavras do próprio artista audiovisual, que durante uma hora de conteúdo explora relacionamentos portugueses entre música e colecções.

TECLA TÓNICA | 2015

Continuamos a abrir o catálogo de trabalho de Eduardo Morais com “Tecla Tónica”. Este documentário realizado em 2016 explora a alquimia da música electrónica em Portugal. Uma abordagem detalhada sobre a evolução do género em Portugal, desde 1960 até 2016. São examinadas as primeiras bandas portugueses a darem uso ao sintetizador, a ascensão do pop electrónico, a emersão do sample e as noites nas pistas de dança. São também conduzidas entrevistas a José Cid, Carlos Maria Trindade, Rafael Toral, Tó Pereira (DJ Vibe), Luís Clara Gomes (Moullinex) ou Pedro Coquenão (Batida).

A ARTE ELÉTRICA EM PORTUGAL | 2015

O rock em Portugal chegou por volta dos anos 60. Nesta altura ainda não existia internet e os discos estrangeiros eram uma preciosidade, portanto, a nova música rock chegava aos ouvidos principalmente pela rádio. Esta série documental de seis episódios realizada pela RTP conta a história do rock em Portugal desde os anos 60 até aos anos 90 e conta com mais de 50 entrevistados, entre protagonistas dos vários movimentos rock e especialista da área musical. “A Arte Elétrica em Portugal” dá a conhecer em detalhe o nascimento do rock em Portugal, as diferenças entre o rock português e o rock estrangeiro e as dificuldades dos músicos português nas digressões.

UMA ESPÉCIE DE PUNK | 2017

Continuamos a análise ao rock em Portugal, mas desta vez com o foco apontado para o sub-género do Punk-Rock num documentário de Nuno Reis e Luís Oliveira. O filho bastardo do rock nasceu nos finais da década de 70, século XX, entre artistas que se movimentaram nos espaços de metrópoles como Londres, Nova Iorque, Brisbane ou Manchester. Em terras lusitanas, o punk começou a espalhar-se ao som dos Sex Pistols, Clash e Ramones durante uma altura cronológica conturbada que ainda estava a descobrir a liberdade. “Fado, Fátima e Futebol” assumir por completo a cultura popular, mas o punk foi a resposta imediata que muitos jovens procuravam.

FANTASMA LUSITANO | 2017

O próximo documentário foca um nome em concreto. “Fantasma Lusitano”, realizado por David Francisco e Nuno Calado, explora a vida e a obra de Jorge Bruto, figura incontornável do punk em Portugal. Foi o frontman das bandas Capitão Fantasma, Emílio e a Tribo do Rum, Bruto and the Cannibals e Club Sin. O Parkinson diagnosticado em 2007 não o conseguiu manter afastado dos palcos, continuando a actuar mesmo sobre as condições da doença. Conhece a história desta vida neste audiovisual com o selo da Antena 3.

ROCK RENDEZ VOUS – A REVOLUÇÃO DO ROCK | 2015

Além de pessoas, a música também se faz de locais, ou em locais, e o Rock Rendez Vous pode ser considerada uma das mais importantes salas de espectáculos na história da música portuguesa. Com realização de Ricardo Espírito Santo, este trabalho produzido pela Terra Líquida Filmes para a RTP2 traz testemunhos de Zé Pedro (Xutos & Pontapés)Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta), Rui Reininho (GNR), João Peste (Pop Dell’Arte), Rui Pregal da Cunha (Heróis do Mar), etc, personalidades directamente ligadas ao desenvolvimento do rock português. Durante 60 minutos, a história do Rock Rendez Vous é relembrada e explorada pelas palavras dos entrevistados e imagens re-aproveitadas da época.

LONG WAY FROM HOME (HOW DID WE GET HERE?) | 2017

A próxima entrada nesta lista de documentários, classifica-se como uma experiência imersiva. Estes 28 minutos realizados pelo Canal180 acompanham de perto as experiência proporcionadas pelo festival Paredes de Coura. Uma visão próxima dos concertos, do convívio, do rio ou das after parties. Uma viagem audiovisual realizada por João Diogo Marques e Luís Sobreiro pelo ambiente de um dos mais emblemáticos festivais de música em Portugal.

FIOS BEM LIGADOS | 2016

Viver da música não é tarefa fácil, existem imensos artistas e projectos que morrem na praia por falta de possibilidades e apoios. O documentário “Fios Bem ligados” está dividido em quatro episódios e analisa os problemas e desafios que a musica e o músico independente têm que enfrentar. Foram reunidos cerca de 40 exemplos de músicos, promotores,  agentes, programadores e outros polos de contacto de todo o país neste produto do realizador que soma a sua terceira entrada nesta AS10, Eduardo Morais. Conversas sobre as lutas e temas menos debatidos como o circuito, as vendas de álbuns, a descentralização, as novas formas de promoção ou a sustentabilidade da profissão.

MUSICBOX CLUB DOCS | 2010

O trabalho musical de um artista/banda é fruto da sua visão pessoal e pretende expressar ideias e valores inerentes. O Musicbox Club Docs, conta com a Co-produção CTL / Droid id, produção e direcção de Gonçalo Riscado e realização de Paulo Prazeres, é um conjunto de onze documentários centrados na nova geração de músicos portugueses. Todos os episódios foram gravados em Lisboa e incluem conversas com JP Simões, Micro Audio Waves, Dealema, Terrakota, X-Wife, Diabo na Cruz, Pop Dell’arte, Dj Ride, Dead Combo, Linda Martini e Bizarra Locomotiva sobre as suas inspiração artísticas, influências e processos criativos utilizados no desenvolvimento dos seus trabalhos.

CASAS DAS MÁQUINAS | 2016

Mais uma produção da Antena3Docs, desta vez com a exploração dos estúdios de música em Portugal. Com a autoria de Rui Miguel Abreu e Eduardo Morais, os episódio examinam à vez: AMPstudio, Estúdios Sá da Bandeira, Big Bit, Namouche e Valentim de Caravalho. Com a participação de artistas, impulsionadores e claro, os fundadores.