AS10 Doenças de músico

AS10 Doenças de músico

António Maurício

Problemas auditivos, musculares ou até psicológicos que estão directamente associados ao universo musical.

Os músicos estão expostos a potenciais problemas de saúde durante toda a sua carreira. Resultado de uma má ou excessiva prática musical, stress, negligência do corpo ou até problemas mentais. Apresentamos 10 problemas de saúde frequentemente associados a artistas musicais. A música é importante mas a tua saúde é mais.

Perda de Audição | A perda de audição pode alterar permanentemente a tua percepção do som e, consequentemente, tens que ouvir música cada vez mais alto. É frequente em músicos que passam noites seguidas a ouvir elevados volumes de música em colunas de alta-qualidade – como músicos em digressão. Eric Clapton, Ozzy Osbourne ou Phil Collins, por exemplo, já revelaram que não conseguem ouvir música da mesma forma, devido à perda de audição.

Zumbido no Ouvido (Tinnitus) | O tinnitus é a percepção constante de ruído ou zumbido nas orelhas. Provavelmente já sentiste tinnitus temporariamente, quando saíste de um concerto com música elevada (se estiveste no concerto dos The Voidz, em 2018, definitivamente experimentaste esta condição). Mas o problema pode afectar-te 24 horas por dia no futuro se abusares da tua audição e, frequentemente, quem sofre de Tinnitus também sofre com perda de audição.

Danos Vocais | Os vocalistas utilizam a voz humana como um instrumento e, como todos os instrumentos, existem técnicas de toque. Por vezes, o talento pessoal é suficiente para os/as vocalistas vingarem no universo musical, seguindo directamente para os palcos sem nunca aprenderem técnicas de segurança que previnem lesões vocais. No entanto, os/as vocalistas com este tipo de treinos, apesar de maior segurança, também podem ser afectados por qualquer um dos problemas: perda de voz, nódulos vocais, hemorragia vocal, disfonia, etc. AdeleElton JohnBjörk ou Celine Dion são alguns dos artistas que já sofreram de danos vocais.

Tendinites | As tendinites são inflamações nos tendões, muito frequentes em guitarristas ou pianistas. As causas principais costumam estar associadas à falta de alongamento muscular, postura inadequada ou movimentos repetitivos. Revelam-se em dores no tendão afectado, que, em falta de tratamento e recuperação, podem prolongar-se para todos os músculos ao ser redor. Aconselhamos pausas entre longos períodos de tempo como prevenção, tal como aquecimentos e alongamentos antes de começares a tocar.

Síndrome do Túnel Cárpico | Este problema é comum em músicos que utilizam guitarras eléctricas, acústicas, ou qualquer outro instrumento de cordas. Apresenta-se como o desenvolvimento de dor, formigueiro e dormência no braço que selecciona as notas no instrumento. Tipicamente envolve dor e/ou sensações anormais na área do cotovelo e do braço, que podem transitar até à mão. A melhor forma de evitar este síndrome passa por uma gestão equilibrada das horas de treino (sem exageros) e pausas frequentes.

Distonia | Esta doença neurológica é caracterizada por espasmos/contracções musculares involuntárias, independentes da vontade do indivíduo. Não existem factores de risco definidos para a distonia mas, profissões que exigem uma actividade repetida, como é o caso de músicos de instrumentos, que estão mais vulneráveis.

Desidratação | Em 2009, Amy Winehouse foi internada após desidratação extrema (entre outros fatores…). Beber água é essencial e a privação de uma boa quantidade diária pode resultar em fatiga constante, pele seca, constipações, cãibras, boca seca, mau hálito ou disfunção do fígado e rins. O nosso corpo é composto por 70% de água mas não precisamos de beber água em quantidades extremas – os especialistas aconselham 30ml por cada kg (dos 18 aos 55 anos).

Exaustão | Beyoncé cancelou um concerto na Bélgica no ano de 2013 por razões de saúde. De acordo com o comunicado emitido, os médicos declararam uma crise de exaustão. O corpo humano precisa de repouso adequado diário e com concertos intensos até o artista mais dedicado encontra dificuldades. A exaustão deve ser evitada através de pausas e actividades agradáveis, tal como o contacto com familiares e amigos.

Ansiedade | A ansiedade é uma adversidade presente em grande parte da população mundial mas, de acordo com um estudo sobre saúde mental da helpmusicians.org.uk, os músicos estão mais expostos. A pressão para apresentar novos projectos, agradar ao público, tocar ao vivo, incerteza sobre o futuro ou falta de reconhecimento aumenta exponencialmente os níveis de ansiedade. A ansiedade revela-se em nervosismo, ataques de pânico, fobias, distúrbios sociais, comportamento obsessivo-compulsivo, ou stress pós-traumático.

Depressão | A depressão é um problema de saúde mental que, sem tratamento, pode terminar em finais trágicos e, recentemente, os suicídios de Chris Cornell e Chester Bennington criaram um maior sentido de sensibilidade sobre o problema. Ainda não existem soluções nem tratamentos definitivos, além de ser um problema complexo, existem inúmeros factores que podem impactar o bom-funcionamento da mentalidade dos artistas. Os médicos recomendam uma comunicação transparente e um bom equilíbrio entre música, trabalho e família.