Covid-19: Encomendar Discos, Merch e Gear e Recebê-los em Segurança

Covid-19: Encomendar Discos, Merch e Gear e Recebê-los em Segurança

Redacção

A AS contactou a Dra. Nádia Gonçalves Ferreira, médica, que nos deixa recomendações sobre como proceder com as encomendas que nos chegam. Sigam estes cuidados e ajudem as vossas lojas de discos e instrumentos favoritas.

A pandemia COVID-19 estabeleceu obrigatoriamente um novo estilo de vida. Concertos cancelados ou inúmeros problemas e ameaças na indústria musical (“O Impacto do COVID-19 na Indústria de Instrumentos Musicais” ou “Coronavírus: Amazon interrompe o armazenamento de CD’s e discos de vinil”) prevêem um futuro negativo para os profissionais criativos.

Após a indústria discográfica ter batido recordes mínimos, surgiram campanhas como a da Apple Music, para apoiar editoras e distribuidoras independentes, mais vulneráveis à recessão económica. Também o mercado dos instrumentos musicais está inevitavelmente condicionado e ainda com todas as consequências por apurar. Muitas marcas têm procurado combater a pandemia de forma positiva, como a Ernie Ball fez ou com muitas outras a oferecerem alguns dos seus produtos digitais de forma, pelo menos, temporária.

Há coisas normais que podem fazer e que reunimos nesta lista. Todavia, no que respeita a discos e instrumentos, a melhor forma de impedir o pior cenário para labels, marcas, artistas e lojas, é através das encomendas online.  A questão que se coloca, com toda a informação e contrainformação sobre o comportamento do infame coronavírus, é como fazer encomendas online e no dia que chegar o ansiado pacote evitar que o verdugo entre também dentro de casa? A Dra. Nádia Gonçalves Ferreira deixa uma série de informação e recomendações, sustentada com fontes credíveis.

RECOMENDAÇÕES

A COVID-19 propaga-se através de gotículas respiratórias expelidas por alguém infectado quando tosse ou espirra, por exemplo. Estes, se não obedecerem às regras de etiqueta respiratória ou não estiverem a usar máscara, podem contaminar as superfícies que os rodeiam (já para não falar das pessoas que estiverem junto a si!). Vários grupos de investigação sugerem que o vírus que causa a COVID-19 consegue persistir em algumas superfícies durante horas, dependendo sempre de várias condicionantes, nomeadamente: tipo de superfície, temperatura e humidade do ambiente.

Um estudo recente, publicado no The New England Journal of Medicine (https://www.nejm.org/doi/10.1056/NEJMc2004973), refere que o vírus pode persistir até 4 horas em superfícies de cobre, 24 horas em cartão, 48 horas em aço inoxidável e até 72 horas em superfícies de plástico.

Contudo, se pensarmos que os produtos e embalagens são armazenados e transportados durante vários dias, ou mesmo semanas, com exposição a variações de temperatura e a ambientes diferentes, existe muito pouco risco de disseminação do mesmo por esse meio.

A maioria das encomendas são embaladas e expedidas em cartão, na quase impossibilidade de se manterem sempre condições óptimas à sobrevivência do vírus nesse material, são raras as encomendas que nos chegam em menos de 24 horas, por isso, mesmo perante a hipótese de esta ter sido contaminada, a probabilidade de o coronavírus persistir nela à hora em que vocês a recebem é praticamente inexistente.

Se mesmo assim estiverem desconfiados ou se pertencerem a um grupo de risco e quiserem ser extremamente cuidadosos podem seguir algumas regras:

– não contactar directamente com os funcionários das empresas de entregas, peçam para deixarem a encomenda junto à porta da vossa casa ou no patamar do vosso andar. A maioria das empresas aboliu, temporariamente, a necessidade de assinatura do comprovativo de recepção, podes apenas acenar e agradecer (com a devida distância) a quem entregou;

– remover a encomenda da sua embalagem externa ainda no exterior da vossa habitação e descartar imediatamente a embalagem no devido contentor de reciclagem/lixo, sem que esta entre na vossa casa. No caso dos discos, por exemplo, da embalagem de cartão onde vêm acondicionados habitualmente. Nos instrumentos ou outro equipamento, aplica-se a mesma regra a essa embalagem: FORA!

– limpar, com um pano limpo, a superfície do produto. Mais uma vez, se se tratar de um vinil/CD, podem descartar o invólucro plástico que o envolve. 

– resistam à tentação de ir imediatamente mostrar a vossa mais recente aquisição aos vossos familiares ou colegas de casa e vão higienizar as mãos antes de tocarem em outras superfícies ou na vossa própria cara! Lavá-las bem com água e sabão é suficiente.

– se em vez de discos encomendaram uma t-shirt da vossa banda favorita, o processo é o mesmo, com um acréscimo: lavem a roupa antes de a usarem. Não por causa do coronavírus especificamente, mas porque esta deve ser a regra geral! Podem persistir resíduos de tintas e corantes nas peças de roupa novas que são muitas vezes a causa de algumas doenças de pele.

– agora sim, podem desfrutar da vossa “prenda” com toda a segurança.

Acham isto complicado? Estão a pensar desistir das encomendas online e optar pelo “levantamento em loja” ou nos vossos CTT lá do bairro porque assim sempre apanham ar e esticam as pernas?

Pensem com quantas pessoas se vão cruzar e em quantas superfícies tocam cada vez que saem de casa. Da maçaneta da porta, ao botão do elevador. Pensem no tempo que vão estar junto ao balcão da loja ou CTT e que aí certamente terão que assinar um qualquer recibo/comprovativo de recepção. Pensem também que todas essas superfícies não foram tocadas só por uma pessoa e que, depois disso, ainda terão que carregar a vossa caixa de cartão, juntinha a vós, encostadinha à vossa roupa, todo o caminho até casa, em vez de esta ser simplesmente pousada à vossa porta.

De reforçar, que tanto a OMS como o CDC concordam que não está comprovado, actualmente, que o novo coronavírus se possa transmitir através de qualquer embalagem.

A probabilidade de uma pessoa infectada contaminar uma encomenda é baixa e o risco de se ser contagiado com coronavírus através de uma encomenda que foi transportada, mobilizada repetidas vezes e exposta a variadas condições ambientais e de temperatura também é baixo. Mesmo que venha da China! 

Não deixem de comprar discos, instrumentos… E não tratem mal os carteiros e motoristas de transportadoras! Em vez disso, reforcem as gorjetas, eles estão expostos a maiores riscos do que vocês! Acima de tudo: FIQUEM EM CASA e LAVEM AS MÃOS! ;)

FONTES: https://www.nejm.org/ | https://www.who.int/ | https://www.cdc.gov/