Microfon€s

Microfon€s

Redacção

Micros bem jeitosos para home studio ou pequenos estúdios, sem precisarem da reforma do Ricardo Salgado…

Bons micros abaixo dos milhares de euros é coisa difícil, claro depende do que entenderem por bons. E a verdade é que aqueles micros dos gravadores de fita, que acompanhavam os repórteres nos anos 70, podem fazer coisas… engraçadas. Tudo depende das intenções e dos objectivos. Mas, claro, existem padrões mínimos de fidelidade e resposta às dinâmicas de um instrumento ou da voz humana.

Felizmente, para quem grava em casa ou está a começar a montar o seu estúdio, existem algumas soluções que seria um sacrilégio colocar diante de Leonard Cohen, mas que o Seasick Steve não desdenharia. E o melhor de tudo… o preço!

Vamos a uma lista de 8 micros (mais um que vale mesmo a pena experimentar) abaixo dos 400€…

SM58

SHURE SM58 | A escolha óbvia é o SM58! Afinal é um dos melhores micros de sempre na relação qualidade/preço e não é usado apenas por pés-rapados. Na verdade, milhares de profissionais usam este autêntico “pau-para-toda-a-obra”. Embora se destaque pela sua prestação “ao vivo”, devido a uma resistência hercúlea a feedback e à sua construção super sólida, também se porta muito bem em estúdio, onde é capaz de captar com uma óptima qualidade qualquer elemento que queiram gravar. É um cardióide dinâmico, com uma resposta de frequências entre 50 – 15.000Hz e 300 Ohms.

SENNHEISER-MD421

SENNHEISER MD421 | Tradicionalmente, e basta ler as muitas entrevistas de estúdio da AS, o 421, outro modelo dinâmico, é usado para tarolas, timbalões, amps, sopros, sala… Enfim, aquilo que se lembrarem de lhe colocar à frente! É um dos mais versáteis e mais reputados micros dinâmicos no mercado. O melhor de tudo é que se porta muito bem a captar vozes! É ainda mais versátil que o 58, mas é também mais frágil e quase três vezes mais caro, mas ainda assim dentro do budget

rhodes

RODE NT1-A | Se desejam fazer tudo by the book e procuram um mais recomendado condensador de diafragma largo para captar vozes, o NT1-A é uma das primeiras escolhas a considerar. Nâo serão tão “reputados” no nosso país por mero acaso, pois basta darem um giro por fóruns de gear na web e este modelo encabeça todas as listas. É um cardióide de diafragma largo e um SPL nos 137 dB, resposta entre os 20 Hz – 20 kHz, de 100 Ohms. Necessita de Phantom Power (+48V). Porque a confiança nos seus produtos é um factor importante numa marca, o NT1-A possui uma garantia de 10 anos!

sE ELECTRONICS sE2200a II

sE ELECTRONICS sE2200a II | Qualquer estúdio, mesmo um estúdio caseiro, deve ter um microfone condensador de diafragma largo. É quase impossível haver microfones mais versáteis, ainda por cima se, como é o caso do 2200a, for multi-pattern (ou omnidireccional). São obrigatórios para gravar em stereo e não se portam nada mal com vozes. Normalmente, são bem caros. Felizmente, o 2200a é bem económico. Resposta de frequências nos 20 – 20.000 Hz; impedância de 200 Ohms; SPL nos 135 dB. Necessita de Phantom Power (48V +/- 4V).

shure

SHURE SM7B | O campeão de vendas da Shure, antes do SM58 se afirmar, é um padrão para vozes “roqueiras” desde que surgiu em 1976. O seu momento de glória, e prova de versatilidade, foi o uso recorrente num dos maiores álbuns da história da música, o “Thriller”. É um cardióide dinâmico com uma resposta de frequências ainda mais ampla que o 58, entre os 50 – 20.000 Hz, de 150 Ohms. Possui switch para atenuar graves e também um boost de médios.

akj

AKG C214 | O irmão pequeno do grande 414. Poderá não ser tão “limpo” como o modelo topo de gama, mas se o vosso ouvido conseguir perceber notar essa diferença está na altura de se deixarem de micros on a budget e arriscar um passo em frente. Óptimo condensador de diafragma largo, possui uma cápsula suspensa para evitar o ruído mecânico. Muito bom para voz, com um switch para atenuar graves e anular o efeito “proximidade”. O switch de atenuação de 20 dB permite uma resposta optimizada para guitarras, permitindo um SPL até 156 dB.

ELECTRO-VOICE-RE320

ELECTRO VOICE RE320 | O EV RE320 vai muito além de um mero micro de bombo, embora a reputação nessa aplicação seja excelente, devido às opções de definição da sua curva de frequências. É um excelente micro dinâmico de diafragma largo, quer em vivo quer em estúdio, com um minucioso padrão de captação cardióide, com uma resposta entre os 30 – 18.000 Hz.

oktava

OKTAVA MK 012-01 | Estão a ver as compilações “We Love Russia” no YouTube? Deviam passar a fazer isso sobre o equipamento lá construído. O MK-012 condensador é compacto apenas no tamanho, tudo o resto é bruto! Com cápsulas manipuláveis, que podem trocar-se, pode alterar-se entre os padrões cardióide, hipercardióide ou omni-direccional. Possui um atenuador de -10 dB para atingir um SPL a roçar o metafísico. Tem um preço tão baixo que, mesmo comprando um par, pode ser a melhor “primeira escolha”.

rode

RODE NTK | Uma solução que ultrapassa o limite do budget, mas que vale a pena pela sua especificidade. O NTK obedece ao que os gurus do som afirmam: um micro de válvula e diafragma largo é o melhor para gravar a voz humana. É certo que já possui um preço considerável, mas também é verdade que micros valvulados são das coisas mais caras que existem, bem acima deste! E depois, vão ver que o som vintage do NTK vos vai fazer esquecer o preço. Possui também a garantia de 10 anos da Rode.