Molhada de reviews na AS#35

Molhada de reviews na AS#35

Ana Cristina Pereira

Podes ler todas as reviews completas AQUI!

1.ALBUM DO MÊS: The War On Drugs – Lost In The Dream
Secretly Canadian/Popstock

wodlp3.11298covertext

«Uma consistente construção de sons, simetrias e nostalgias, desenhada por diversas linhas e padrões em tempos comuns em estética e estilo a exímios criadores como Dire Straits, Bob Dylan e Bruce Springsteen.» Hugo Tomé

2.Swans – To Be Kind
Young God Records/Mute Records

Swans-A-Little-God-In-My-Hands

«Se há alguma banalidade na carreira dos Swans, é o facto de construírem obras-primas. Uma das maiores foi o álbum anterior, “The Seer”. Admita-se que as expectativas estavam altíssimas.» Nero

3.Black Keys – Turn Blue
Nonesuch/Warner Music

«Onde a banda era crua, agora é psicadélica, onde era directa, agora é densa – essencialmente nas estruturas das músicas, que perderam aquele minimalismo romântico de guitarra, bateria e bourbon.» Nero

«Onde a banda era crua, agora é psicadélica, onde era directa, agora é densa – essencialmente nas estruturas das músicas, que perderam aquele minimalismo romântico de guitarra, bateria e bourbon.» Nero

4.Wovenhand – Refractory Obdurate
Glitterhouse/Deathwish

“Mas este álbum nunca é extremo, Edwards mantém sempre uma acessibilidade “quadrada” e melódica ao longo do disco. Um balanço… pop. » Nero

“Mas este álbum nunca é extremo, Edwards mantém sempre uma acessibilidade “quadrada” e melódica ao longo do disco. Um balanço… pop. » Nero

5.Hercules and Love Affair – The Feast Of The Broken Heart
Moshi Moshi/PIAS

Hercules-Love-Affair-The-Feast-of-the-Broken-Heart-2014-1200x1200

“Com excepção do calor da voz de John Grant e do cruzamento da condução a piano com a sintetização criativa de “I Try To Talk To You” e da dinâmica “5.43 To Freedom”, Butler tem sempre o piloto automático ligado e o álbum desgasta-se rapidamente.” Nero

6.Elbow – The Take Off And Landing Everything
Polydor/Universal

«Este álbum, fora a dimensão e complexidade do título, é pouco mais do mesmo. Anda devagar, devagarinho e parado, sem uma boa porção de inspiração, progressão e alento.» Hugo Tomé

«Este álbum, fora a dimensão e complexidade do título, é pouco mais do mesmo. Anda devagar, devagarinho e parado, sem uma boa porção de inspiração, progressão e alento.» Hugo Tomé

7.Bleeding Rainbow – Interrupt
Kanine Records

«“Interrupt” não chega para ser um disco marcante mas, na verdade, porque haveria de ser? Manter os princípios básicos até pode não ser nada demais, no entanto não falha.»Hugo Tomé

«“Interrupt” não chega para ser um disco marcante mas, na verdade, porque haveria de ser? Manter os princípios básicos até pode não ser nada demais, no entanto não falha.»Hugo Tomé

8.Cloud Nothings – Here and Nowhere Else
Wichita Recordings/PIAS

«Vamos tocar alto e rápido. Quando se tem raiva, ruído, melodia e sentido, tem-se tudo o que é preciso. Dylan Baldi continua a escrever e a compor sem rodeios e meias medidas.» Hugo Tomé

«Vamos tocar alto e rápido. Quando se tem raiva, ruído, melodia e sentido, tem-se tudo o que é preciso. Dylan Baldi continua a escrever e a compor sem rodeios e meias medidas.» Hugo Tomé

9.Future Islands – Singles
4AD/Popstock

«Não é perfeito, mas é diferente. Há qualquer coisa de especial e transcendente em “Singles”.» Hugo Tomé

«Não é perfeito, mas é diferente. Há qualquer coisa de especial e transcendente em “Singles”.» Hugo Tomé

10.Kaiser Chiefs – Education, Education, Education & War
Polydor

«Este álbum é o tema “Coming Home” e pouco mais. Absolutamente afectivo e penetrante, a estima e o apreço pelo novo single dos Kaiser Chiefs são instantâneos.» Hugo Tomé

«Este álbum é o tema “Coming Home” e pouco mais. Absolutamente afectivo e penetrante, a estima e o apreço pelo novo single dos Kaiser Chiefs são instantâneos.» Hugo Tomé

 11.Ponty Mouth – Hell Bent
Old Flame Records/Popstock

«“HellBent” reforça a importância e influência de uma sonoridade mais áspera, crua, prática e funcional.» Hugo Tomé

«“HellBent” reforça a importância e influência de uma sonoridade mais áspera, crua, prática e funcional.» Hugo Tomé

12.Bombay Bicycle Club – So Long, See You Tomorrow
Island Records

«Os BombayBicycleClub passam para a fase em que são mais abundantes, importantes e interessantes. Pois afinal ser adulto não é assim tão mau.» Hugo Tomé

«Os BombayBicycleClub passam para a fase em que são mais abundantes, importantes e interessantes. Pois afinal ser adulto não é assim tão mau.» Hugo Tomé

13.Fu Manchu – Gigantoid
At The Dojo Records

«Talvez o truque para que soe tão bem seja, precisamente, a saudade da fórmula clássica do rock – bateria quadrada, riffs directos, baixo cheio de balanço e aquela voz de escárnio, neste caso de Scott Hill.» Nero

«Talvez o truque para que soe tão bem seja, precisamente, a saudade da fórmula clássica do rock – bateria quadrada, riffs directos, baixo cheio de balanço e aquela voz de escárnio, neste caso de Scott Hill.» Nero

14.Michael Jackson – Xscape
Epic/Sony Music

«Se fosse realmente um álbum desejaria muito a desejar em termos de coerência.» Nero

«Se fosse realmente um álbum desejaria muito a desejar em termos de coerência.» Nero

15.Pixies – Indie Cindy
Pixies Music/Edel

«Depois de uma ausência que ultrapassou as duas décadas, não seria justo pedir-lhes muito mais do que um simples regresso. “Indie Cindy” nunca será tão maravilhoso e marcante quanto “Surfer Rosa”, ainda assim, também nunca será tão detestável e decepcionante quanto “Trompe Le Monde”.» Hugo Tomé

«Depois de uma ausência que ultrapassou as duas décadas, não seria justo pedir-lhes muito mais do que um simples regresso. “Indie Cindy” nunca será tão maravilhoso e marcante quanto “Surfer Rosa”, ainda assim, também nunca será tão detestável e decepcionante quanto “Trompe Le Monde”.» Hugo Tomé

16.André Fernandes – Wonder Wheel
Tone Of A Pitch Music

«Quando perceberem que estão diante de um line-up estelar, saberão que estão a ouvir um dos melhores álbuns do ano.» Nero

«Quando perceberem que estão diante de um line-up estelar, saberão que estão a ouvir um dos melhores álbuns do ano.» Nero

17.Norton – Norton

«O balanço da zona rítmica é bastante claro, este é um álbum sem segredos, um pop redondinho, preenchido por uma colorida capacidade melódica.» Nero

«O balanço da zona rítmica é bastante claro, este é um álbum sem segredos, um pop redondinho, preenchido por uma colorida capacidade melódica.» Nero

 18.Paus – Clarão 
Universal Music

«Menos etéreo e mais concreto em cada música, mas mais disperso como disco, “Clarão” traz uma abordagem mais in your face, que pode demorar a entrar naqueles com bolhas de gosto com regimes mais rígidos.”» Timóteo Azevedo

«Menos etéreo e mais concreto em cada música, mas mais disperso como disco, “Clarão” traz uma abordagem mais in your face, que pode demorar a entrar naqueles com bolhas de gosto com regimes mais rígidos.”» Timóteo Azevedo

 19. Capitão Fausto – Pesar o Sol
Sony Music

«O segundo álbum em dois anos, três se contarmos o tempo de edição, é como um 5º álbum na discografia de uma banda.” Nero

20. Mão Morta – Pelo Meu Relógio São Horas De Matar
Norte/Sul

«Não existe um álbum inócuo ou sequer “repetido” na discografia dos bracarenses e este é tão marcante como capaz de deixar intuições de caminhos que a banda poderá explorar com maior vigor num futuro lançamento.” Nero

FENDER