We Are The World, 30 Anos

We Are The World, 30 Anos

Redacção

Uma das canções mais famosas de sempre, “We Are the World” foi escrita por Michael Jackson e Lionel Ritchie e produzida por Quincy Jones e Michael Omartian para o álbum do mesmo nome. A canção foi cantada pelo supergrupo USA for Africa que, além dos compositores, contava com Tina Turner, Bruce Springsteen, Stevie Wonder, Bob Dylan, Ray Charles, entre outros dos mais ilustres artistas americanos.

O single é um dos poucos que atingiu, pelo menos, os 10 milhões de vendas mundiais, com números estimados bem acima dos 20 milhões. A ideia surgiu como uma reacção ao sucesso de “Do They Know It’s Christmas” do projecto solidário Band Aid. O activista Harry Belafonte transportou o conceito para os Estados Unidos e contactou vários músicos, até chegar a Jackson e Richie, que escreveram o tema sete semana após o single britânico. As gravações tiveram lugar no dia 21 de Janeiro de 1985. Foi editado, junto do álbum do qual foi o único single, no dia 07 de Março de 1985, mas apenas chegou ao primeiro lugar de vendas, onde se perpetuou durante um mês, no dia 13 de Abril de 1985. Acabaria por tornar-se o single pop mais vendido na história da música norte-americana, tendo já sido “ressuscitado” para angariar fundos em resposta a outras catástrofes humanitárias.

Na primeira noite de gravações de vozes, em 22 de Janeiro de 1985, nos estúdios Beverly Boulevard, começou-se com Stevie Wonder no piano e as linhas vocais de Michael Jackson e Lionel Richie, que serviram de guia aos outros convidados. O take escolhido por Quincy Jones foi o 6º, duma sessão que terminou por volta da 01h30 da madrugada. A guia seguiu, então, para os convidados. A preocupação seria agora manter os media às escuras quanto ao projecto, com os produtores executivos a recearem que um batalhão de jornalistas e público, à procura de ver as estrelas, “espantasse” artistas mais zelosos da sua privacidade, como o próprio Michael Jackson, Prince ou Dylan. Tom Bahler começou a planear a atribuição de solos vocais durante a canção e, no dia 28 de Janeiro de 1985, nos estúdios A&M, teve lugar a gravação final. Michael Jackson foi o primeiro a gravar, e a ele juntaram-se Ray Charles,Billy Joel, Diana Ross, Cyndi Lauper, Bruce Springsteen e Smokey Robinson. Prince nunca apareceu nas sessões de gravação, algo que o artista nunca explicou muito bem, e o mentor do projecto britânico, Bob Geldof , chamou-o de «verme», mesmo que Prince tenha doado um exclusivo, “4 Tears In Your Eyes”, para o álbum.

Essencialmente gravado com sintetizadores, entre os músicos que gravaram instrumentos destaca-se um dos mais ilustres percussionistas do mundo, o “nosso irmão” carioca Paulinho da Costa. Mais de 45 músicos de topo na indústria norte-americana participaram na gravação e outros 50 tiveram que ser recusados. À entrada do estúdio havia uma mensagem que dizia «Por favor, deixem os vossos egos à porta», o próprio Stevie Wonder terá “ameaçado” que se as gravações não ficassem prontas num só take, seria ele próprio e Ray Charles a conduzirem toda a gente para casa…

Cerca de um ano após a sua gravação, os organizadores anunciaram que o tema havia conseguido receitas na ordem dos 45 milhões de dólares, tendo em Outubro de 1986 atingindo a marca proposta de 50 milhões de dólares para ajuda humanitária em África. Até este ano as receitas do single atingem mais de 100 milhões de dólares.