Who The F*ck is Greta Van Fleet?

Who The F*ck is Greta Van Fleet?

Rodrigo Baptista
Inês Barrau

Quem são estes quatro putos que tomaram de assalto o panorama rock? Comparações à parte, os Greta Van Fleet representam hoje em dia um fenómeno à escala mundial, no entanto as opiniões sobre o quarteto de Frankenmuth dividem-se. Será que a nova coqueluche do rock veio para ficar?

Na sexta feira, dia 13 de Julho, os Greta Van Fleet estrearam-se em Portugal com um concerto no NOS Alive19. Representativo do estatuto que já ocupam na cena rock, subiram ao palco NOS perante uma plateia bastante heterogénea, entre cépticos, fãs acérrimos e alguns ouvintes apanhados desprevenidos, o concerto dos quatro rapazes de Michigan certamente não passou despercebido.

Mas afinal quem é que são os Greta Van Fleet?

A sensação de quem ouve Greta Van Fleet pela primeira vez é equiparada a um déjà vu musical, muito por culpa da sonoridade que esta banda nos apresenta e que nos remete automaticamente para a década de 1970, mais precisamente para os primeiros anos onde reinava o blues rock e estava a originar-se o hard rock, protagonizado por bandas como Free, Led Zeppelin ou Fleetwood Mac.

Formados em 2012, e à semelhança de outras bandas como os Van Halen ou os AC/DC esta é também uma banda que conta com laços familiares entre os integrantes, nomeadamente três irmãos: os gémeos Josh Kiszka (vocalista) e Jake Kiszka (guitarrista) e ainda o irmão mais novo Sam Kiszka (baixista) e o amigo de infância Danny Wagner (baterista).

Têm dois EP’s na bagagem. O primeiro foi “Black Smoke Rising”, editado em Abril de 2017, que conta com 4 faixas e apresenta o single “Highway Tune”, que chegou ao topo da Billboard Mainstream Rock. Já o segundo EP, intitulado “From the Fires” e lançado em Novembro do mesmo ano, compõe-se através de uma combinação das 4 músicas do primeiro EP com mais 4 sendo duas delas (“A Change Is Gonna Come” e “Meet On The Ledge”) covers de Sam Coocke e Fairport Convention respectivamente.

Ambos os EP’s receberam boas críticas, no entanto o maior destaque vai para os vocais de Josh Kiszka que sem esforço nenhum consegue “imitar” (propositadamente ou não) todos os jeitos e trejeitos que fizeram de Robert Plant um dos melhores e mais carismáticos vocalistas de sempre. É aqui que alguns cépticos entram na discussão, pois se por um lado reconhecem que a banda tem potencial, por outro lado acham que são demasiado evidentes as similaridades com a sonoridade dos Led Zeppelin, o que é certo é que este burburinho todo permitiu aos Greta Van Fleet chegarem até às bocas do mundo.

Após os dois EP’s, em 2018 o quarteto de Frankenmuth deu um salto gigante quando foi convidado para partilhar o palco com grandes nomes como os Foo Fighters ou Guns N’ Roses. Os fãs e a crítica “exigiam” que a banda lançasse o seu primeiro LP e em Outubro de 2018 é editado “Anthem Of The Peacful Army”.

“When The Curtain Falls” foi o primeiro single lançado, com uma apresentação explosiva por parte da banda no programa “The Tonight Show Starring Jimmy Fallon” e que a levou até a uma audiência à escala mundial. Mais uma vez as críticas dividiram-se, se por lado existiam defensores que diziam que os Greta Van Fleet apresentavam-se como “os salvadores do rock“, por outro existiam aqueles que temiam que a banda nunca pudesse ser capaz de se distanciar das comparações com a banda de Jimmy Page e Robert Plant.

A visibilidade que o grupo ganhou em 2018 fez com que conseguissem obter quatro nomeações para os Grammy, nas categorias Best New Artist, Best Rock Performance para a música “Highway Tune”, Best Rock Song para a música “Black Smoke Rising” e ainda Best Rock Album para o EP “From The Fires”, tendo acabado por ganhar este último.

Foi também nesta altura que começaram a surgir várias opiniões de músicos já consagrados que elogiaram o que a banda estava a fazer pelo rock, ao transmiti-lo a gerações mais novas. Dave Grohl foi um dos primeiros a referir que «os Greta Van Fleet recebem muita atenção hoje em dia de uma nova legião de fãs que ouve na banda algo excitante e fresco»; Robert Plant foi questionado várias vezes sobre a as similaridades com a sua banda, ao que respondeu de forma amigável: «eles são o Led Zeppellin I»;  já Slash referiu que «o facto de eles estarem a ter sucesso ajuda a abrir portas para muitos outros miúdos»Jack White mais recentemente elogiou a banda dizendo que «é excitante ver pessoal mais novo tocar rock ‘n’ roll».

A ascensão dos Greta Van Fleet foi rápida, e isso é bastante notório na quantidade de concertos que já deram neste ano de 2019, tendo passado pela primeira vez por países como o México, Brasil, Argentina, Chile, Japão ou Portugal.

Por esta altura a banda já anunciou que está a trabalhar num segundo álbum, e este será certamente o ponto crucial para aqueles que, tal como nós, querem tirar a prova dos nove em relação à capacidade que banda terá para se reinventar. No entanto uma coisa é certa, de uma forma ou de outra, o Greta Van Fleet já conseguiram marcar o seu lugar na história do rock.