Fender Custom Shop Prestige Collection 2021

Fender Custom Shop Prestige Collection 2021

Redacção

A Fender já apresentou a colecção de modelos limitados dos Master Builders da Custom Shop. São 12 instrumentos absolutamente extravagantes, com algumas inovações técnicas, muito luxo e classe.

Nos últimos anos, a Fender tem apostado em séries de edição limitada como as Magnificent Seven ou as 10 For 15, por exemplo. Em 2017, os modelos de edição limitada celebraram o 30º aniversário da Fender Custom Shop. Se há coisa que a gigante marca californiana sabe fazer bem é honrar o seu legado. No entanto, as colecções foram ganhando um cariz diferente, passando também a incluir propostas de design desafiantes.

Em 2018, a colecção de modelos limitados foi a Parallel Universe. Depois, em 2019 surgiu a Alternate Reality. Na NAMM 2020 foi apresentada a Parallel Universe 2. Este ano, a colecção é a Prestige, que inclui instrumentos tão peculiares como a Sugar Surprise Strat, a Acrylic Jazzmaster ou a Double Neck Marauder.

Como se tornou tradição, aqui na AS, olhamos a nova colecção composta por doze modelos, uma vez mais repleta de estranhas combinações e designs extremamente atraentes, obra da Fender Custom Shop. Apresentamos os traços gerais de cada um dos instrumentos, já de seguida. Para mais informação e specs, visitem o site oficial da Fender.

Paul Waller: Sugar Surprise Strat | Instrumento inspirado pela artista de LA Pamelina, que abordou Waller com um projecto de uma guitarra que se ilumina. A ideia era criar algo que se tornasse completamente distinto uma vez iluminado. O conceito Sugar Skull está relacionado com a ideia de uma obra de arte com dois visuais diferentes. Esta guitarra está completa com pickups Josefina Campos (naturalmente bobinados à mão). A tinta é da Luminor. «O maior desafio neste projecto era conseguir que a fonte de alimentação operasse no espaço delimitado. Acabei por criar um pedal para activar a luz, eliminando a necessidade de esculpir uma cavidade para acomodar a electrónica adicional, mantendo o peso dentro de especificações aceitáveis».

Yuriy Shishkov: Leaves of Tears | Como não podia deixar de ser, o modelo de Yuriy Shishkov abusa da delicadeza e elegância, pejada dos detalhes manuais nos entalhes e decorações tradicionais no trabalho do Master Builder. Tem um padrão de arame prateado à volta do corpo, que cria pequenos brilhos com diamantes e pedras de dioptria em cada um dos seus ramos. A madeira quilt maple é bem conhecida pela sua beleza e é um dos materiais preferidos de Yuri para este tipo de instrumento, o contraste entre o acabamento Stained Purple Burst e as pedras preciosas dão a esta guitarra o seu aspecto único e tornam-a mais que um instrumento, uma autêntica peça de colecção, ainda que toque como qualquer outra Stratocaster topo de gama.

Scott Buehl: Acrylic Jazzmaster | O primeiro modelo acrílico de Buehl num design offset. Contando com a experiência de construção de Strats acrílicas nos últimos anos e após vários pedidos o Master Builder assumiu que «estava no hora». O acrílico translúcido parece dar-se plenamente aos contornos Jazzmaster, um visual exponenciado pelos componentes e fios (bem ordenadinhos) bem visíveis. O acrílico pesa mais que a madeira, por isso Buehl criou todo o routing e perímetro do pickguard sem usar o material. Dessa forma, retirou peso à guitarra, que inclui PUs Jazzmaster de Josefina Campos e uma ponte RSD Jazzmaster.

Dale Wilson: Tapestry Telecaster | Mais uma colaboração com a artista Pamelina, autora do conceito original que trouxe a ideia até Wilson. O Master Builder ficou logo entusiasmado por usar a madeira como tela. Os motivos decorativos, sobre o tampo flame maple, dão um ar viking a esta guitarra que inclui PUs Josefina OBG (ponte) e Twisted Tele (braço).

Jason Smith: Custom ‘60s P Bass Special | Instrumento inspirado no 70º aniversário do Precision Bass e nas cidades fantasma do velho oeste. O design deste P-Bass baseia-se nos primórdios do modelo, mas com capacidade para desempenho moderno. O corpo é em madeira roasted pine resgatada e inclui as cavidades dos pregos e parafusos, do tempo em que fazia parte de um elevador no Minnesota. O pickguard em pele é pintado manualmente e acrescenta elegância ao corpo desgastado. Os PUs são um conjunto Josefina PJ, com a bobinagem artsenal reforçada para obter mais output e graves mais profundos.

Carlos Lopez: Double Neck Marauder | Combina duas das guitarras favoritas de Lopes, a Electric XII e a Marauder, e foi desenhada em colaboração com Paul Frank. Todos os pickups nesta guitarra são um design e construção de Curtis Novak e, segundo Lopez, «a cor e sentimento desta criação necessita de ser experimentada pessoalmente». A guitarra é um estouro mas, infelizmente, também parece muito distante da carteira daqueles que possam pensar fora da caixa e apreciem um modelo tão obscuro como a Marauder.

Kyle McMillin: Custom Burled Redwood Strat | O tampo em resina é praticamente uma novidade para os luthiers e é uma das características estéticas favoritas de McMillin, um fã de guitarras exóticas desde sempre. OMaster Builder refere que esta é uma das suas criações favoritas até à data.

Todd Krause: Box Top Tele | Modelo inspirado na construção da caixa de amplificadores ou colunas. O tampo está inserido no corpo da guitarra com uma junção de caixa, uma incomum técnica na construção de guitarras.  O contraste das madeiras cria um efeito visual singular, aumentado pela bekleza do tampo AAAA Birdseye. De resto, são os specs tradicionais de uma Telecaster, com pickups Josefina OBG (ponte) e ‘55/’56 Tele (braço).

Greg Fessler: Tamo Ash Tele | Mais uma abordagem exótica a um design clássico. Sendo um fã de madeira figurada, a colecção Prestige foi a oportunidade ideal para Fessler usar um tampo Tamo Ash que guardava há muito. A guitarra conta com um braço flame maple com perfil “U”, com marcações abalone. Outras características incluem os PUs Seymour Duncan Vintage P90, a ponte “Sawed-Off” Vintage-Style Tele e o corpo também em Tamo Ash.

Chris Fleming: Jazz Telecaster | Homenagem de Fleming ao seu fascínio pela guitarra bebop jazz e ao design Telecaster. Inclui um design custom de uma Fender Jazz Tailpiece, construído especificamente para este modelo, tal como a cabeça Tilted Snake Head, o braço em mogno e a escala em brazilian rosewood. Super funcional, há um único pickup humbucker, para melhor recriar o som e resposta de um modelo de tampo curvo. A Fender recorda que este é um dos últimos instrumentos que o master Builder construiu, antes de se ter retirado no início de 2021.

Vincent Van Trigt: Custom Flamingo Sunset Tele | Van Trigt inspirou-se num bar de praia e cocktails da década de 60 para criar a Flamingo Sunset Telecaster. Por sua vez, a guitarra baseia-se nas ‘60s Telecasters, com o artwork a cargo de Ian Ward. Após anos de festas, jam sessions, maresia e intempéries, o bar desapareceu, mas a guitarra sobreviveu para contar as suas histórias. Vivbração vintage com entalhes no braço ao estilo cocktail-bar, corpo e braço com tratamento roasted e pickups Josefina ‘63 Tele.

Dennis Galuzka: Custom ‘62 Precision Bass | Mais alguém está a pensar em “Into the Depths of Sorrow” ou “Alone”, dos doomsters Solitude Aeternus? O artwork é de Madeline Hanlin. Galuzka misturou forma e funcionalidade, para aqueles que apreciam os seus Precisions com um som clássico. Corpo em alder e braço em maple. O pickup é um Josefina ‘62 Precision Bass.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA