Fender Homenageia Ícone Punk Joe Strummer

Fender Homenageia Ícone Punk Joe Strummer

Nero

A Fender e a Fender Custom Shop prestam homenagem a Joe Strummer, com duas guitarras bem diferentes. A acessível acústica, ligada aos improvisos do frontman dos Clash no campismo do Glastonbury, e a Exuberante réplica da Esquire da era “London Calling”.

Durante o período tradicionalmente dedicado à Winter NAMM, a Fender revelou o lineup de instrumentos de assinatura para 2021, estreando colaborações com Ben Gibbard, Chrissie Hynde, Mike McCready, Dhani Harrison e Jason Isbell. Joe Strummer, icónico frontman dos igualmente marcantes The Clash, também foi um dos eleitos para ser homenageado pela marca californiana. E se já se sabia que haveria um modelo semi-acústico, foi mais surpreendente o anúncio da extraordinária réplica Fender Custom Shop da sua Esquire. Uma bastante acessível, a outra apenas para povoar os sonhos da maioria dos músicos…

A Joe Strummer Campfire é um modelo semi-acústico que presta tributo aos famosos improvisos de Joe Strummer em torno de fogueiras no Glastonbury Festival, agora transferidos para a zona “Strummerville” no recinto do festival. O corpo compacto é em mogno, com tampo em spruce. Acabamento matizado, hardware em níquel e entalhes estrelados. Uma beleza punk a valer uns €499.

A Master Built Joe Strummer Esquire replica a guitarra de eleição do frontman dos Clash na era “London Calling” e “Combat Rock”. O trabalho do luthier Jason Smith imita os exactos detalhes do modelo original de 1960, incluindo os aspectos visuais, com o autocolante “Bourbon Street” junto à ponte tradicional de três saddles e o desgaste do acabamento, através de personalizado tratamento relic. As más notícias…

Esta edição é limitada a 70 unidades (para todo o mundo) e o seu preço são uns obscenos €15,799. Mais info na fendercustomshop.com.

A marca lançou ainda uma série de acessórios a acompanhar a estreia destas guitarras. Abre a galeria em baixo.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA