Fender Noventa Series, Um Clássico Instantâneo

Fender Noventa Series, Um Clássico Instantâneo

Nero

A Fender assumiu finalmente uma paixão com pickups P-90. A nova gama Noventa Series estreia com um modelo Telecaster, um Stratocaster e um Jazzmaster.

A relação começou tímida, meio escondida a meio dos modelos de edição limitada Alternate Reality e Parallel Universe, mas vai sendo cada vez mais sólida. Entusiasmada pela resposta da comunidade guitarrista aos modelos equipados com P-90, a Fender criou a Noventa Series, gama que estreia com três guitarras, uma Tele, uma Strat e uma Jazzmaster.

Construídos no México, estes modelos ainda parecem estar numa fase de experiências, mas já são algo mais levado a sério que uma edição limitada.

As guitarras Noventa estão acompanhadas de estojo de transporte e partilham specs como a escala com raio de 9.5”, em maple ou par ferro, 21 trastes, corpos em alder e a tradicional construção Fender de braço bolt-on. Há depois algumas diferenças subtis entre as três guitarras, que passamos a apresentar.

Noventa Telecaster, €849 | Modelo disponível nos acabamentos Vintage Blonde, Fiesta Red e 2-Color Sunburst, a Noventa Telecaster tem um braço com perfil 60s C, 21 trastes medium-jumbo  e um único pickup MP-90. A ponte Tele “cortada” de três saddles, tal como o meio pickguard, dá um visual minimalista à guitarra. Um template bem vazio, para o músico ir desenvolvendo.

Noventa Stratocaster, €899 | A Noventa Strat está disponível em Daphne Blue, Surf Green e Crimson Red Transparent. Este modelo apresenta um setup de dois pickups, também unidades MP-90, com selector de três posições e controlos de volume e tone. Também o braço é um perfil 60s C. A ponte six-saddle é fixa.

Noventa Jazzmaster, €999 | O modelo com mais recursos, através de um trio de unidades MP-90 pickups, com selector de cinco posições e os controlos de volume e tone. Depois há um vibrato Jazzmaster. Podem escolher entre os acabamentos Surf Green, Fiesta Red ou Walnut.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA