GRETSCH G9200

GRETSCH G9200

Nero

Modelo Gretsch Guitars de design resonator tradicional em mogno, com componentes modernos, para os amantes do blues.

A Gretsch G9200 Boxcar Resonator marcou o regresso da marca à produção deste tipo de modelos de guitarra. Um modelo com um simples e atraente corpo em mogno, com os tradicionais “f holes”. Por um excelente preço, podem possuir uma guitarra que, sónica e visualmente, evoca outras eras e ambientes do “delta blues mississipiano”.

SPECS

Modelo resonator bastante simples e cru. Corpo em mogno, tal como o braço de perfil arredondado ou “soft V”, com acabamento vintage semi-gloss. A escala em rosewood possui 25” e um raio de 15.75”, com 19 trastes médio-jumbo (12 até ao corpo). Nut em osso, de 1.75”. O headstock imita os modelos Gretsch de 1930 que, aliás, são a inspiração para esta edição. A ponte é uma unidade Spider, uma mistura de ébano e maple, e os afinadores são os Grover Sta-Tite. O cone de ressonância é um modelo Gretsch Ampli-Sonic, moldado no leste europeu e com uma composição em alumínio puro (aprox. 99%).

PROS | Equilíbrio da construção leve e compacta e perfil do braço extremamente confortáveis. Boa projecção e riqueza de médios.

SOM & PERFORMANCE

Claro, há vários modelos Boxcar com maior capacidade que esta guitarra, mas a G9200 faz muito bem o seu trabalho, principalmente tendo em conta o seu espectro económico. A articulação e projecção sonora desta guitarra são consideráveis. Com riqueza harmónica quanto baste para transmitir a sensação de calor musical, que se espera deste tipo de instrumentos e de construções em mogno, a guitarra não tem, como tantas vezes se imagina os modelos vintage, um som algo baço. Pelo contrário, oferece bastantes médios e capacidade de “perfuração”, algo muito devido ao seu cone de ressonância.

A unidade Ampli-Sonic trabalha em conjunto com o corpo em mogno laminado. Como se sabe, o mogno é uma madeira bem densa e pesada. O seu som é bastante quente e suave, com um balanceamento considerável. A sua profundidade do som, com graves ressonantes que não anulam o brilho dos agudos, é feita ainda mais equilibrada pelo cone resonator. (PODEM VERIFICAR O NOSSO GUIA DE CARACTERÍSTICAS DAS MANEIRAS AQUI)

CONS | Dificuldade de acesso aos trastes mais agudos da escala.

O braço é transmite bastante conforto, algo potenciado pelo peso e tamanho compacto da guitarra. Contudo, o espaçamento das cordas é amplo, considerando o tamanho da guitarra, e permite facilidade de acesso ao longo da escala. Por tudo isto, a mão sofre muito pouco stress e não se nota qualquer tipo de fadiga a tocar. Não usámos o modelo para técnicas slide guitar, por “falta de mãos para isso”, mas as suas características de escala, braço e corpo sonoro, deixam adivinhar uma boa resposta.

Além disso, durante o nosso teste, a G9200 mostrou boa capacidade para manter a afinação. O único senão, que acaba por ser um traço característico deste tipo de guitarras, é o difícil acesso aos trastes mais agudos, uma vez que a guitarra não tem cutaway. Mas, repita-se, não é defeito, é feitio.

Se sempre quiseram ter uma Boxcar Resonator, mas o preço foi adiando a concretização desse desejo, a G9200 é um modelo quase obrigatório. Não é uma guitarra de elite, mas cumpre muito bem o seu papel.

Modelo cedido para teste pela Teamusica.

EGITANA