Justin Chancellor, Rig Rundown

Justin Chancellor, Rig Rundown

Redacção

Um dos melhores baixistas da actualidade e um dos sons de baixo mais distintos dos últimos 20 anos.

Justin Gunnar Walter Chancellor nasceu a 19 de Novembro de 1971. O inglês veio a tornar-se responsável por um som de baixo tão distinto quanto poderoso. Começou a sua carreira no Reino Unido, nos Peach, banda de rock progressivo. Mudou-se para a Califórnia e ascendeu ao panteão dos titãs do low-end, ajudando a criar uma das mais emblemáticas bandas da história do rock – os Tool.

Provavelmente o baixo mais famoso de Justin Chancellor, o Wal Mk1 de quatro cordas foi comprado à época das gravações de “Ænima”, quando o músico ocupou o lugar de Paul D’Amour na banda, e tornou-se um elemento distinto na sonoridade dos Tool, cheio de médios e ataque. O baixista possui um outro modelo idêntico, mas com os médios mais atenuados. Da mesma marca, Chancellor usa ainda um Mark 3 e um fretless com tampo em walnut. Antes dos 4 modelos Wal, Justin começou por tocar nos Tool com um Gibson Thunderbird e um Music Man Stingray.

Esquema de rig de Justin Chancellor, em 2011.

Esquema de rig de Justin Chancellor, em 2011.

Fã de Mesa/Boogie, na última digressão de Tool, Justin Chancellor usou um rig mais “híbrido”, misturando cabeças Gallien-Krueger 2001RB com colunas Boogie Roadready. O set mais usual é uma 2001RB com distorção e outra clean a sair, respectivamente, para uma Roadready 4×12 e outra 8×10. Uma das cabeças surge no rig como “suplente”, além disso Chancellor usa um pré-amp Demeter Amplification VTBP-201S em DI para o PA.

O som de baixo dos Tool é feito num cruzamento de potência e processamento, Chancellor usa vários efeitos. O mais notório será o DigiTech Bass Whammy, evidente em temas como “Eulogy”, “Schism”, “Lateralus”, “Vicarious” ou “Right In Two”. Na Gallien-Krueger com distorção, o pedal usado é um Pro Co RAT (entre a cabeça e a coluna) ao qual se junta depois um Boss GEB7 EQ, que acrescenta brilho ao som. De acordo com o vídeo da Dunlop TV (ver em baixo), Chancellor usava ainda, pelo menos até 2010, um overdrive Prescription Electronics-Rx.