KHDK Electronics LCFR, Overdrive com Assinatura de Nergal [Behemoth]

KHDK Electronics LCFR, Overdrive com Assinatura de Nergal [Behemoth]

Nero

A KHDK Electronics, marca de Kirk Hammett, criou um pedal de overdrive/boost em edição limitada para Nergal. O feroz e imponente LCFR já foi usado no novo álbum dos Behemoth.

Depois de se juntar ao guitarrista Scott Ian [Anthrax] para o SGT D, pedal boost/preamp, no final do ano passado, a KHDK Electronics anunciou a última novidade na sua linha de stompboxes em colaboração com artistas o overdrive/boost LCFR.

Porquê LCFR (Lúcifer)? Bem, o que mais poderia a KHDK chamar um pedal concebido em parceria com Nergal, dos Behemoth? Apresentando um chassis em preto e bronze, com as três cruzes do Golgotá invertidas, o logo dos Behemoth, e um par de asas serigrafadas na sua face frontal, o LCFR possui um esquema de controlo simplista com botões de Volume, Ganho, Agudos e Baixo e um switch de ligar/desligar.

Do circuito do pedal, a empresa revela pouco, mas explica: «Como de costume, Antonin [Salva, Engenheiro Chefe da KHDK] pouco ou nada precisava: o seu cérebro possui a impressão exacta do som de Behemoth, que transpôs em alguns cabos insuspeitos, moldando-os à sua vontade e para o circuito LCFR». O design do pedal foi finalizado por Nergal, enquanto estava em estúdio a trabalhar no próximo álbum da banda – ainda sem título anunciado, será o 12º na discografia dos polacos.

A KHDK refere que esse foi o recreio perfeito para testar o pedal. «O Nergal usou e abusou do LCFR em estúdio, ao trabalhar no novo álbum. Isto foi o último selo de aprovação para o LCFR (…) um dos componentes angulares no som característico dos Behemoth. Na sua cabeça, Nergal desejava um overdrive para o seu amp de high-gain, para dar maior espessura ao seu som, tornando-o mais agressivo e radical».

O pedal é uma edição limitada a 333 unidades, cada uma delas numerada e acompanhada por um Certificado de Autenticidade, assinado por Nergal. Fica disponível já no dia 28 de Março.

Mais informação na KHDK Electronics.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

 

EGITANA