Prendas de Natal para Músicos II

Prendas de Natal para Músicos II

Redacção

Bombas de açúcar sónico, com excelentes recursos e óptimos preços, a maior parte delas novidades de 2019, que nenhum músico desdenharia receber como presente de Natal.

Depois de uma primeira lista, mais apontada a quem está a dar os primeiros passos na música, eis mais algumas recomendações, a maior parte delas novidades de 2019, que nenhum músico desdenharia receber como presente de Natal. Não são exactamente unidades de elite, mas já possuem outro tipo de resposta, bastantes recursos e encontram-se ainda num espectro de preço (entre os €200-400) que os torna irresistíveis, sejam prós ou principiantes.

TEENAGE ENGINEERING POCKET OPERATOR | Os três novos modelos possuem preços entre os €130 e €440 e cada um vem num kit que é necessário montar. Mantendo-se nesta dinâmica de baixo custo, a gama modular PO foi desenvolvida como uma plataforma de sintetização modular acessível a novos entusiastas, permitindo-lhes a exploração e o crescimento em paralelo com o próprio sistema. A Teenage Engineering encoraja mesmo a expansão do formato ao mudar os módulos para um chassis “aberto”, onde podem ser acrescentados novos módulos e configurações totalmente personalizadas. Cada unidade tem o chassis pré-configurado, feito em alumínio maleável e com compatibilidade Eurorack: ±12 volts, com pontos de patching de 3.5mm patch points. Todos os conjuntos estão acompanhados de manual de montagem de 70 páginas a cores, incluindo exemplos de patches (ligações).

KORG VOLCA MODULAR | Foi em 2013 que a Korg estreou, para aclamação geral, a série Volca, com as unidades Volca Keys, Volca Beats e Volca Bass. Agora chegou a vez do Volca Modular. Em primeiro lugar, os módulos. Todo o routing é interno, de modo que podem extrair som ao synth sem necessitar de manusear os pequenos cabos de patching (o routing é mostrado no painel frontal). Contudo, quando começam a ligar coisas aos Volca, essas ligações assumem prioridade em relação às internas. Descobre todo o potencial deste mini-maquinão que custa cerca de €170.

BOSS SY-1 | A versão reduzida do monstruoso (leia-se incrível) SY-1000. Equipado com um poderoso módulo polifónico, o SY-1 providencia 121 sons de sintetizador ultra-responsivos prontos para serem tocados sem qualquer conhecimento sobre programação. Oferecendo ligação facilitada através de um cabo de 1/4-polegadas standard, este pedal versátil simplifica a incorporação de um sintetizador BOSS autêntico, com estilo analógico num tamanho compatível com pedaleiras. Leads, pads, órgãos, baixos, entre outros, estão incluídos, além de uma grande variedade de efeitos de som e padrões rítmicos de sintetizador. Os sons estão organizados em 11 tipos diferentes, com 11 variações em cada tipo. Os knobs de Som/Rate e Profundidade providenciam um ajuste rápido de vozes de sintetizador, incluindo a modificação de pitch em determinados sons. Este pedal ronda os 200 paus e podem aprofundar as suas características aqui.

YAMAHA THR10II | A gama THR-II compreende os modelos THR10II, THR10II Wireless e aquele que a Yamaha refere ter a tipologia de “terceiro amp”, o THR30II Wireless é algo para ser encarado entre um amp de treino e um amp para gravar e levar na estrada. Cada um dos novos modelos é super portátil, como é tradicional (exceptuando os modelos de 100 watts). Todos os modelos estão equipados com tecnologia Bluetooth, servindo como dispositivos de reprodução áudio. E há montes de novas definições para ajustar nestes novos modelos. O 10II ronda os €290. Há poucos mini amps que gostemos tanto como estes prodígios da Yamaha. E não somos os únicos.

ZILLA CABS MINI STACK | A empresa construtora de colunas britânica Zilla Cabs apresentou as colunas de guitarra Mini Stack 1×12. Estas colunas oferecem o visual de um stack clássico de modelos 4×12 no formato 1×12, mais ajustado às condições actuais de guitarristas em concertos, afinal ninguém já toca em estádios e um full stack num pequeno bar não ajuda a um som equilibrado. Assim, o Mini Stack está desenhado para maximizar a propagação sonora e oferecer dimensões ajustadas, retendo o visual icónico de um stack de colunas, sem compromissos sonoros. Descubram mais sobre as características aqui. Confirmem a lista de preços (em libras britânicas) e pesos de cada uma das colunas, as mais baratas estão dentro do nosso alvo monetário e visitem a Zilla Cabs para mais info.

VOX MINI SUPERBEETLE | Este amp, inspirado nos stacks Vox que os Beatles usavam quando passaram para palcos de maiores dimensões (já deslindaram a origem do nome), foi apresentado na Summer NAMM de 2018. As suas dimensões tornam-no ideal para ter na sala, no quarto ou até num pequeno palco. Não lhe falta capacidade de rugir. E apesar do seu visual vintage, o Vox Mini Superbeetle está equipado com várias características contemporâneas. Desde logo, o amp usa a tecnologia Nutube, que recorre a uma válvula VFD (vacuum fluorescent display) capaz de recriar o som de válvulas termiónicas. O amp possui tremolo e spring reverb no circuito, além do switch EQ “flat/deep” EQ. A edição de 2019 é muito limitada, com um preço a rondar €425, a edição normal possui um preço mais em conta a rondar os €380.

QUILTER LABS INTERBASS | A Quilter Labs anunciou o InterBass como um interface de baixo «capaz de tudo». Suficientemente potente para pequenos palcos e para treinar, com opção de saída balanceada para enviar o sinal directamente para um PA ou consolas de gravação. Escusado será dizer que é super portátil, afinal esta unidade tem o tamanho de um pedal (pesa somente 300 gramas). O InterBass usa o mesmo processamento dinâmico que o pré-amp Bass Block da Quilter Labs e possui um EQ de três-bandas, loop de efeitos activo, simulador de coluna (activado por comutador) e um selector para alternar entre linha de saída balanceada ou auscultadores, para poderem treinar a qualquer hora sem irritar quem vos rodeia. Vem acompanhado de um transformador 24V. O preço ronda €226.

EARTHQUAKER DEVICES SWISS THINGS | O Swiss Things Pedalboard Reconciler é o primeiro pedal utilitário da EarthQuaker. Uma unidade interface para routing do sinal, para dar uma mãozinha em pedalboards sobrelotadas e ruidosas. O interface possui dois loops de efeitos true-bypass. O Loop 1 é livre de buffering e serve para efeitos baseados em drive, pedais vintage e para a grande maioria de pedais com baixa impedância no sinal de entrada. O Loop 2 é uma via com buffering e é mais indicado para efeitos de tempo e modulação. Ambos os loops podem ser activados através de um par de footswitches, que contam com a supra-citada tecnologia Flexi-Switch. Isto permite que se apliquem os dois modos de utilização (trancada ou momentânea) com quaisquer pedais ligados ao Swiss Things, de acordo com a EarthQuaker. Há ainda outras funções que tornam este pedal (com um preço já próximo dos €300) indispensável numa pedalboard como deve ser.

LINE 6 RELAY G10S | Devido à configuração inteligente, a unidade consegue localizar e ligar-se à frequência wi-fi mais forte quando o transmissor está em repouso no receptor. O sistema providencia qualidade áudio de 24-bits, que promete ser livre de dropouts e interferências e possui um alcance de até 40 metros. Na parte traseira do receptor existe um controlo para simular capacitância de cabo, tal como uma ligação USB e saídas XLR e 1/4”. O receptor G10T, incluído, conta com uma bateria recarregável que oferece oito horas de operação num único carregamento. Extremamente práctico e uma das mais recentes unidades deste tipo de tecnologia, por cerca de €270.

SQUIER FSR CLASSIC VIBE ’50S ESQUIRE | Ok, nenhuma lista destas estaria realmente completa sem uma guitarra. Este ano a Squier caprichou e a gama Classic Vibe foi actualizada com a icónica e histórica FSR ’50s Esquire. Este modelo de edição limitada recupera essa guitarra histórica, do início dos anos 50, que foi precursora da Telecaster. Tal como o modelo original criado por Leo Fender, esta guitarra possui um solitário single-coil na posição da ponte. Outras características da ’50s Esquire incluem corpo em poplar, braço em maple com perfil “C” e escala com raio de 9.5”, além do clássico sistema de ponte Tele, de três saddles (chrome barrel) em strings-through-body. Exclusiva para o mercado europeu, vale entre 400 ou 450 paus.