Martin SC-13E, Uma Revolucionária Guitarra Semi-Acústica

Martin SC-13E, Uma Revolucionária Guitarra Semi-Acústica

Nero

A Martin surpreendeu o universo da guitarra com a SC-13E, a sua mais inovadora guitarra em décadas e um instrumento bastante arrojado nas suas características. Duas delas saltam imediatamente à vista: o seu formato offset e o pronunciado cutaway, cuja acessibilidade à zona mais alta da escala não nos recordamos de ver em qualquer outra guitarra acústica.

Este acesso extremamente alargado foi criado pelo inovador design Sure Align Linear Dovetail Neck Joint da Martin – mistura a junção dovetail com alumínio, permitindo estabilidade e segurança sem recurso a cola. Ao apresentar a guitarra, em Anaheim, em Janeiro passado, a marca fez notar que o braço da SC-13E pode ser facilmente removido em cerca de três minutos, caso seja necessário, e aludiu ao potencial de poder trocar braços no futuro!

Já o braço em si é um High Performance Taper, de modo a extrair a máxima vantagem do acesso aos trastes mais agudos e através do buraco de ressonância. Outra grande mudança na tradição da Martin (pode ver-se na abertura do corpo) é que o sistema brack bracing Tore Tension X agora cruza o corpo da guitarra, que possui profundidade 000, mais confortável e compacto que uma dreadnought.

A escala possui uma extensão de 25.4’’. A ponte recurvada também é uma novidade de design, complementada por uma acção bem baixa, aumentando a sensação de conforto do músico e de liberdade em toda a escala. Acusticamente, tem uma projecção bastante preenchida harmonicamente, um corpo robusto. Ligada, entra em acção o sistema Fishman MX-T (acompanhado de afinador), instalado dentro do corpo. A Martin garante que a guitarra foi concebida para ser utilizada ao vivo sem qualquer problema com feedback, que tanto horror causa aos músicos que recorrem a amps e efeitos.

O investimento no desenvolvimento do design é perfeitamente evidente, por isso saúda-se o facto de a marca ter colocado a guitarra dentro da Road Series, gama de preço intermédio. Mais info na Martin.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA