MUSIKMESSE’13: Solid State Logic Live

Nero

“Muitas pessoas pediam-nos para construir uma consola de concertos durante muito tempo e esse tempo chegou”, afirma Antony David, Managing Director na SSL, continuando: “Esteve alguns anos em desenvolvimento pois queríamos fazer bem as coisas e estamos bastante confiantes de ter conseguido criar uma consola pela qual os engenheiros se apaixonarão. É muito excitante entrar numa área completamente nova da indústria com nova tecnologia (…), estamos ansiosos por ouvir as reacções dos profissionais”.

A Live é baseada na nova plataforma de processamento da SSL, a Tempest que tem já de si bastante poder e versatilidade. São 976 inputs e outputs, 192 paths áudio com o máximo processamento de 96kHz, que podem ser configurados para Channels, Auxiliares, Stem Groups ou Masters, conforme as necessidades específicas do espaço/som. Todo o processamento surge nos visores da consola, que tem uma colecção de ligações I/O integrada. Uma enorme lista de ligações I/O na Stagebox permite ligar a consola via MADI a sistemas maiores, que por sua vez disponibiliza a tecnologia Blacklight da SSL, capaz de 256 canais de áudio bi-direccional. 

Outro dos destaques é o uso que a Live faz dos pré-amps de estúdio da marca, os SuperAnalogue?, conversão 24bit/96kHz A/D D/A para um processamento interno com resolução a 64bit. A live apresenta ainda uma colecção de 30 Efeitos e ferramentas de análise áudio. Os comandos da Live são feitos através de touch-screens, com vários a poder estar activos simultaneamente, o que permite uma maior independência no desenho acústico.

Apresentada em Frankfurt, na Musikmesse, tem a sua estreia no mercado agendada para Setembro próximo.

EGITANA