NAMM 2020: Yamaha YC61

NAMM 2020: Yamaha YC61

Redacção

Desenhado para o palco, o YC61 está equipado com o recém motor de órgão modelado com a tecnologia Virtual Circuitry Modeling (VCM), drawbars físicos, uma extensa gama de controladores em tempo real, sons autênticos de pianos acústicos/eléctricos e sons de sintetizador FM.

Vai estrear na Winter NAMM 2020 e teve direito a apresentação para distribuidores, músicos convidados e imprensa (bom, pelo menos a AS) nos estúdios Namouche, à imagem do que foi feito o ano passado com os novos CP. Falamos do combo órgão/sintetizador Yamaha YC61.

A partir dos transístores e resistências, a tecnologia (propriedade da Yamaha) Virtual Circuitry Modeling (VCM) recria os circuitos analógicos vintage de EQs, compressores e phasers por forma a captar as nuances que outras simulações digitais não são capazes. Quer seja um piano de cauda, um piano vertical, um piano elétrico ou outro, o YC61 oferece sons autênticos de teclado para qualquer estilo musical.

ORGÃO VCM | A Yamaha coloca o seu som preferido de órgão (de tonewheel) num poderoso e compacto piano de palco. O YC61 oferece três modos de tonewheel – fora da caixa, bem viajado e carácter vintage. Mais? Basta simplesmente ajustar o clique das teclas, o escape, a velocidade da rotary speaker e muito mais para conseguir um som único e personalizado, aquele som que sempre procurou.

ROTARY SPEAKER VCM | O YC61 transporta-nos aos sons autênticos das rotary speakers clássicas, mas sem necessidade de manutenção. É possível escolher entre dois modos, fielmente modelados, de rotay speaker – limpo e cheio ou sujo e agressivo – e ajustar a velocidade superior ou inferior para um controle total.

EFEITOS VCM | O VCM recria o som e o comportamento dos efeitos vintage e dos processadores de estúdio de alta gama ao modelar os circuitos até aos componentes analógicos originais.

ORGÃO FM | A Yamaha apresentou os sons icónicos da síntese FM (Frequency Modulation) ao mundo, com o lançamento do DX7 em 1983. Agora, o YC61 traz de volta a síntese FM ao órgão para uma nova geração de músicos. Basta simplesmente mudar para o FM Organ e os drawbars passam a controlar 8 operadores FM para sons puros com graves massivos. É possível também adicionar uma rotary speaker ou um simulador de amplificador para conferir carácter e aquela “vibe”. Os controladores intuitivos facilitam a descoberta de novos sons. É ainda possível recriar os sons dos órgãos clássicos a transístores, de palhetas a “buzzy”, selecionando um dos três populares modos de Órgão FM.

Depois, o YC61 apresenta três pianos de cauda (o CFX, o C7 e o S700) e um vertical (U1), que proporcionam nuances e expressões dinâmicas pormenorizadas graças aos meticulosos samples e sons. A mesma descrição serve para a colecção de pianos eléctricos que compreende o CP80, o 78 Rd, 75 Rd Funky, 73 Rd e Wr.

O teclado é completamente novo (com efeito de cascata) e com uma acção perfeita. O YC61 não foi desenhado apenas para ser tocado. Foi feito para bater, empurrar, arranhar, transportado no meio da confusão. Em suma, foi construído para durar. Os nove drawbars do YC61 tem o curso e os passos esperados num órgão.Os LEDs coloridos dos drawbars facilitam a visualização entre a simulação das configurações agudas e graves e para tocar em modo split. É como ter um conjunto de drawbars virtuais que oferecem mais sons, maior flexibilidade e mais escolhas que o normal num teclado de palco compacto. Todavia, a interface intuitiva permite um acesso rápido e fácil a splits, layers e modelagem de sons directamente a partir do painel.

O YC61 está equipado também com USB stereo e interface MIDI para Mac, PC e iOS. Com um simples cabo USB é possível gravar o áudio e o MIDI para um sistema DAW e tocar com instrumentos virtuais. Pesa uns 7kg. O que significa que é suficientemente leve e compacto para que sejas  o teu próprio roadie, mas com o som que os músicos que podem recorrer a um roadie adoram.