NAMM’13: Roland VR-09

NAMM’13: Roland VR-09

Nero

O VR-09 surge “arrumado” em três blocos no painel frontal, a partir dos quais acedemos às “famílias” sonoras que fazem parte do synth. Além disso surgem ainda 9 sliders para modelação sonora (através da tecnologia SuperNATURAL dos órgãos tonewheel da marca) e uma multitude de potenciómetros e gatilhos/botões para editar os efeitos (é possível usar 7 simultaneamente) e parâmetros de som. Depois apresenta ainda outras ferramentas a destacar, como um looper onboard e uma secção de bateria, com um número considerável de ritmos para treinar ou para jam. O acesso fácil do interface é uma promessa da Roland, que apresenta o VR-09 como ideal para músicos em digressão. O circuito de transístores reporta para a década de 60, até pela emulação de rotary speakers bem vintage. São 61 teclas com uma resposta dinâmica e cheia.

EGITANA