Sabian Acusada De Roubar Design Da Série Graphic A Artista Independente

Sabian Acusada De Roubar Design Da Série Graphic A Artista Independente

Redacção

A Sabian foi acusada de se apropriar do design relativo à exuberante série de pratos Graphic. Uma artista alega que a sua obra foi roubada pela marca canadiana e plasmada na gama de pratos apresentada na edição de Inverno da Namm 2020.

A acusação foi feita no Instagram por Lola Blu, uma artista plástica e baterista que afirma ter falado com a Sabian, em 2015, sobre uma colaboração de design para uma série de pratos personalizados. Lola Blu garante que apresentou as suas ideias à marca e que, desde então, abordou a Sabian dois anos seguidos na tentativa de chegar a um acordo, acordo esse que nunca viria a surtir efeito.

Cinco anos após a sua abordagem inicial, a artista viu a sua visão exacta ganhar vida no novo lançamento da Sabian, na Winter NAMM 2020 (em Janeiro deste ano), a série de pratos Graphic, o que a deixou naturalmente enfurecida mas, aparentemente, de braços atados.

«Normalmente, não o faria, mas sinto que preciso de o fazer. Como artista e criadora de tendências, derramo todo o meu coração e alma na minha arte e ideias. Há cinco anos, assisti à minha primeira exposição na Namm. Eu era a única “artista” nessa exposição. Não fui só porque toco bateria. Também fui porque sou artista. Foi por isso que não consegui arranjar um stand na NAMM. Disseram que eu não cabia em nenhum molde, por isso não sabiam onde me colocar», começa por explicar Lola Blu.

«Eu era a única a andar por todas estas empresas de baterias a mostrar a minha carteira de ideias. Disse a estas empresas que gostava de as ajudar a melhorar o design das baterias. Nada tinha sido inovador ou diferente desde os anos 50. Falei com todas as marcas, desde pratos, a baquetas, baterias, todas… Consegui colaborações com algumas empresas espantosas. No entanto, também sinto que fui copiada por algumas delas. Fui especificamente à Sabian para falar sobre o trabalho em conjunto. Falei com mais de três pessoas da empresa e disseram-me que é um conceito fixe, mas não achavam que iria funcionar».

Cinco anos depois, «a Sabian revelou o seu trabalho mais inovador», que, segundo Lola, «é exactamente» a sua ideia de… há cinco anos. «Não estou louca, sei como este jogo funciona, o peixinho é sempre comido pelo maior». Segundo a artista, «ser copiado pelas pessoas é uma coisa, mas quando se vê uma empresa enorme pegar em ideias de outros e produzi-las em massa, isso é outra coisa». Segundo o site da Sabian, a marca tem vindo a trabalhar nestes desenhos gráficos desde há algum tempo. «Se eu tivesse de adivinhar, diria provavelmente há cerca de cinco anos», sugere Lola.

Quanto aos polémicos pratos, trata-se de uma edição em que as partes superiores são impressas com um gráfico a cores, enquanto a parte inferior permanece sem tratamento. O aspecto é impressionante e o som, diz a marca, é um pouco mais escuro devido ao processo de tratamento.

Espreita-os no vídeo em baixo.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA