Slate Pro Audio Raven MTX

Slate Pro Audio Raven MTX

Timóteo Azevedo

A Slate Pro Audio anunciou o lançamento de uma nova ferramenta para o mundo da produção musical digital. O novo sistema Slate Pro Audio Raven MTX reinventa a velha mesa de mistura analógica de forma a transportar os processos de produção musical de eras passadas para a nova realidade digital.

O sistema Raven MTX é composto por uma componente hardware e outra de software. O hardware inclui uma consola multitouch com um grande ecrã touch screen com 46″, a principal superfície de controlo do interface. O ecrã foi criado de raiz pela Slate Pro Audio, apresentado uma superfície customizada composta por um vidro de 2 mm de espessura coberto por um revestimento de nano tecnologia denominado Nano Glide. Este revestimento de proprietário destina-se a fazer a superfície do ecrã lisa e suave, para que o atrito não cause problemas na utilização do mesmo.

O software de controlo para DAWs do Raven MTX exibe uma mesa de mistura que podemos operar como uma mesa analógica, com controlo semelhante de faders, panorâmicas, sends, mutes e solos e até mesmo aceder aos plug-ins. Os plug-ins surgem em grande formato, e como os operamos através do touch screen, a experiência ainda se aproxima mais da utilização de equipamentos analógicos verdadeiros. Para além disto, o software de controlo também funciona para várias funções de edição, mistura e reprodução dos DAWs, como corte, trim, cross fade, transporte, criar grupos e reproduzir em loop, entre outros. Um pequeno pad virtual permite tirar partido do multitouch para executar funções como scrub/shuttle ou zoom.

O software proporciona um modo de barra de ferramentas virtual no qual podemos escolher a posição dos diferentes controlos da maneira que melhor se adaptar ao workflow individual. O modo de barra de ferramentas revela o interface do DAW, que pode ser manipulado com os dedos. Também tem um conjunto de atalhos customizáveis para aceder às funções mais utilizadas.

O sistema de monição é um circuito analógico controlado digitalmente, que elimina problemas de ruído que eventualmente surgem nos circuitos analógicos tradicionais. A secção têm quatro saídas para colunas, entradas para vários tipos de fontes, pequenas colunas de referência incorporadas semelhantes às que equipam os computadores portáteis chamadas Betty, oito saídas de canal que permitem enviar misturas personalizadas para auscultadores, um módulo 7.1 para mistura e masterização de som surround e várias opções de talkback, que tem automaticamente definido um modo de mãos-livres. Ainda a nível de conexões, a consola apresenta portas USB no painel de topo que permitem ligar memórias externas, assim como um dock compatível com o iPhone 4 e iPhone 5.

http://www.youtube.com/watch?v=4HHiXqcyu2M

EGITANA

fender