Squier Paranormal Series 2021

Squier Paranormal Series 2021

Nero

A reformulada gama Squier Paranormal apresenta uma linha requintada de guitarras e baixos bastante suis generis, que se esperam chegados aos retalhistas em Outubro – mesmo a tempo do Halloween. Revemos todas as principais especificações de cada modelo.

Existem sete modelos na série Paranormal: com um baixo Jazz ’54 juntando-se à Cabronita Thinline Telecaster, Cabronita Baritone, Super-Sonic, Cyclone, Offset Telecaster e Toronado. Esta gama foi uma oportunidade para Squier brincar com algumas novas especificações e refazer o catálogo de clássicos da Fender. É também uma bela forma de acabarem por possuir um instrumento que nunca será muito comum. As guitarras, como padrão, possuem braços no confortável perfil “C” e corpos em poplar. Vamos olhar cada um deles, começando pelo JB’54…

O Jazz Bass ’54 pode até parece o instrumento mais convencional desta fornada, mas apenas à distância. Se olharmos com atenção, vemos que a Squier acrescentou ao formato Jazz uma estética 54 Precision Bass. Tem um corpo de poplar, um par de single-coils alnico de design Fender, uma ponte e afinadores de estilo vintage, controlos duplos de volume e tone concêntricos e um pickguard muito fixe, estilo ’50s. Está disponível em preto com pickguard Anodizaded Gold ou em 3-Tone Sunburst.

Depois surgem duas versões distintas da Cabronita Telecaster – a Cabronita Thinline semi-hollow e a Cabronita Baritone de corpo sólido. Ambas vêm equipadas com pickups single-coil alnico, em designs soapbar da Fender, ponte string-through-body, corpo poplar e braços em maple aparafusados. O modelo barítono tem um comprimento de escala (em maple) mais longo de 27″, para acomodar a sua afinação mais baixa, e vem em 3-Color Sunburst e Surf Green (esta com escala em louro). Entretanto, a Cabronita Thinline está disponível em Lake Placid Blue and 2-Tone Sunburst – este último com o pickguard Anodizaded Gold.

É com a Squier Paranormal Super-Sonic que as coisas começam a ficar verdadeiramente estranhas. Entramos na Twilight Zone da Fender, com um corpo poplar invertido e braço em maple aparafusado, numa silhueta muito original. É também uma guitarra eléctrica bem compacta, com uma escala de 24″ e uma pestana estreita de 38,1mm, ideal para principiantes e mãos pequenas, mas realmente interessante para qualquer pessoa. Disponível em Blue Sparkle e Shell Pink, a Super-Sonic tem um par de humbuckers Squier Atomic, um tremolo estilo vintage, e é muito fixe!

O modelo Paranormal Cyclone é outro caldeirão de designs Fender. É outra guitarra eléctrica de escala curta – pelo menos, 24,75″ é uma extensão curta para a Fender – que possui um corpo Mustang, os controlos dum modelo Jaguar, tem um tremolo estilo vintage e está equipada com um trio de pickups single-coil alnico de design Fender. Mais uma vez, temos um corpo poplar, braço maple aparafusado e uma escala em louro indiano. Está disponível em Candy Apple Red e Pearl White.

A Telecaster Offset é outro verdadeiro híbrido, aplicando especificações Telecaster num corpo Jazzmaster. Outra construção sólida em poplar, vem equipada com uma ponte e configuração de controlos Telecaster estilo vintage e Tele single-coils para nos dar twang e a sensação de estar a tocar uma guitarra derivada de um estranho multiverso. Disponível em Shell Pink, como mostra a fotografia em baixo, Olympic White e no clássico acabamento Tele Butterscotch Blonde, com escalas em maple como padrão.

Para terminar, a Toronado é um modelo offset para os músicos que não curtem offsets. Ou seja, a metade inferior do corpo é um pouco mais simétrica e as formas um pouco mais arredondadas. Os sons também deverão ser um pouco mais arredondados, por assim dizer, uma vez que aqui temos os humbuckers Dual Squier Atomic, com um switch de três vias e a configuração de controlos de duplo volume e duplo tone, reminiscente de algo que Gibson faria. A ponte é fixa e bastante simples, com seis saddles. As opções de acabamento são 3-Color Sunburst e Mystic Seafoam.

Os modelos da Série Squier Paranormal 2021 estão agora disponíveis para pré-compra na maioria dos retalhistas, mas apenas serão enviados em Outubro. Mais detalhes na Fender.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA