SUMMER NAMM 2021: Schecter Guitars Solta Demónios de Heavy Metal

SUMMER NAMM 2021: Schecter Guitars Solta Demónios de Heavy Metal

Nero

A Schecter Guitars anunciou uma mão cheia de guitarras eléctricas focadas no mundo do peso, incluindo novos modelos Sun Valley Super Shredder, com suataniac e madeiras exóticas, uma nova guitarra tipo Explorer e uma nova Barbarian de Zakk Wylde.

Depois do cancelamento em 2020, a Summer NAMM está de regresso a Nashville já nos dia 15 a 17 de Julho de 2021. Com cautelas e um rígido plano de segurança, mas num formato bastante próximo do tradicional, aberto ao público. Nesse sentido, as marcas estão a anunciar várias novidades para o segundo semestre de 2021 em diante, caso da Schecter Guitar Research.

A Schecter apresentou um conjunto de novas guitarras eléctricas focadas no universo heavy metal, com alguns estilos estéticos bem dramáticos, incluindo o novo acabamento Reign e uma selecção de madeiras exóticas para o corpo. Os instrumentos são baseados inspirados nos modelos Sun Valley Super Shredder e Apocalypse.

Vamos ver as principais características destas quatro novas guitarras…

Sun Valley Super Shredder FR S | Este modelo revela-se no acabamento de Schecter Reign, um salpicado contrastante que combina vermelho, azul ou verde com preto, de uma forma semelhante ao efeito burl da madeira. O S na sua designação refere-se a um sistema de pickup sustainiac, instalado no braço, que funciona quase como um Ebow incorporado, para manter infinitamente as notas a soar. A isto junta-se um EMG Retro Active Hot 70, na ponte. Portanto, a guitarra tem dois compartimentos de pilhas de 9V nas costas. A construção inclui um braço em maple (bolt-on), com escala em ébano num raio de 14”, percorrida por 24 trastes Extra Jumbo.

Sun Valley Super Shredder Exotic Ziricote & Black Limba | Uma abordagem ao design supracitado sem grandes “nove horas”, este modelo surge num corpo Black Limba e, se por isso optarem, um tampo Ziricote. Os pickups são um Schecter USA Sunset Strip (ponte) e um Schecter USA Pasadena (braço). Se optarem pelo tampo Ziricote, os pickups possuem cobertura preta. No modelo mais simples surgem descobertos, a preto e branco. As guitarras possuem um vibrato de duplo bloqueio e o braço (bolt-on) está reforçado com fibra de carbono. A escala 12”-16” em ébano tem 24 trastes extra-jumbo. Os canhotos têm à sua disposição uma versão do modelo Black Limba.

Apocalypse Red Reign E-1 & E-7 | Este modelo tipo Explorer está disponível em versões de seis e sete cordas. Em ambos os casos, as guitarras possuem um par de humbuckersde Schecter USA Apocalypse e uma ponte fixa Tonepros, tipo tune-o-matic. O corpo é em swamp ash, com acabamento Red Reign, as costas revelam um acabamento transparente escuro que expõe o grão de madeira. O braço fixo é uma construção de maple e padauk, reforçado com fibra de carbono. A escala em ébano possui raio composto (12”-16”) e é percorrida por 24 trastes extra-jumbo em aço inox. A versão de seis cordas possuem uma escala com 25.5” de extensão e a de sete cordas vai às 26.5”. No hardware destacam-se os locking tuners, marcadores laterais luminlay, pestana Graph Tech Tusq e a numeração romana nos marcadores de escala.

Por fim, a marca também vai estrear, em colaboração com a Wylde Audio (marca de Zakk Wylde), um modelo Barbarian. Basicamente, uma SG com uns retoques mais metaleiros – exemplo dos seus bicos, os inlays perlados com símbolos rúnicos ou o acabamento Nordic Ice. A guitarra possui corpo em mogno, com tampo quilted maple; braço fixo de três peças de maple; escala em ébano com 22 trastes. Para conjurar sons do peso, está equipada, como manda a lei Zakk Wylde, com um conjunto de humbuckers EMG 81/85 – controlados com dois potenciómetros de volume, um de tone e o switch para cada pickup ou para a mistura de ambos. Ponte fixa TonePros LPM04, pestana Graph Tech XL Ivory TUSQ e trus rod com dois pontos de acesso.

Mais specs e detalhes destes bacalhaus na Schecter.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA