Waldorf Blofeld, Poder & Charme

Waldorf Blofeld, Poder & Charme

Redacção

O que nos fez querer pegar num synth que já está no mercado há alguns anos?! Primeiro, a marca alemã WALDORF bastava para comprar este synth. Segundo, o preço, com todas as qualidades da marca. E terceiro, o look, cheio de classe, também conta.

Ao ligar o Blofeld ficámos bastante surpreendidos, o display apresenta extrema definição, a construção é sólida e robusta, em metal (nada de plásticos); também os knobs são de metal e com um bom atrito à rotação; as teclas são pesadas e de qualidade superior. Depois de uma primeira apresentação, digna de um road test a um Bentley à moda do “Top Gear”, chegou a hora de ouvirmos as 25 vozes de polifonia do “motor” a trabalhar. Sem nunca antes ter mexido neste Blofeld, a primeira aproximação foi muito fácil e intuitiva. De facto, o menu está disposto de tal forma que, ao ouvirmos o primeiro preset de fábrica demos por nós a modelar e a criar um som diferente, foi tão divertido que já tinha passado 1 hora e ainda só estávamos no primeiro som. Sonicamente, o Blofeld é digno de um concerto dos U2. Se gostam de sons mais graves ou mais analógicos não tenham receio, o Blofeld consegue-o com nota 10.

SPECS

O Blofeld tem um banco com mais de 1000 sons/vozes; painel com sete potenciómetros em aço inoxidável; ecrã LED 128 x 64; 3 Osciladores por voz; Frequency Modulation entre os Osciladores; Osciladores “Q” e Microwave II/XT/XTk Wavetables completos; 2 Filtros Multi Mode por voz; Filter FM; 2 estágios de Drive com definição das curvas de acção; 3 LFOs por voz; 4 Envelopes por voz; Arpeggiator, programável até 16 Steps por som.

blofeld_key_black_backside

SOM & PERFORMANCE

Cada um dos 3 Osciladores fornece 41 waveforms, que completam o mais exigente dos compositores ou engenheiro de som, os dois primeiros podem, inclusive, ter waveforms provenientes de um sample de uma voz ou de uma guitarra [até 60mb] com o Sample Upgrade. A todas estas possibilidades de criação, o Blofeld junta ainda um “Noise” e um “Ring Modulator” no final dos osciladores… O céu é mesmo o limite! Todas as opções normais de um instrumento desta natureza estão presentes e ainda mais algumas nos Osciladores, LFO’s, filtros e na Matrix. Nesta última, convém realçar que não é como aquelas que não dão vontade nenhuma de mexer, de facto, é muito intuitivo e simples, qualquer newbie pode entrar nesta secção e não se sentir baralhado. A secção dos filtros é a seguinte: nos dois filtros podem escolher-se entre Lowpass, Notch, Bandpass, Comb e até mesmo o PPG LP, e acreditem são dos mais expressivos e musicais filtros que já ouvimos nesta gama de preço.

Na parte final da sequência do layout do Blofeld estão dois efeitos que podem ir desde Delays, Reverbs, Chorus, etc. Também inclui opções de distorção. E, por último, uma das secções que mais nos surpreende: o arpeggiator. Além das opções normais, em cada Step pode escolher-se processar uma nota ou um chord [imagine-se que está com duas ou mais teclas premidas – ou toca a primeira nota, ou a última, ou a primeira e a última]; e ainda, para cada Step temos opções de comprimento da nota, de Glide, Accent e de Veloticy. Isto tudo é feito no display de uma forma tão inteligente, e as opções são tantas, que o arpeggiator se tornou umas secções favoritas do Blofeld.

blofeld_key_black_top

Bem, como tudo tem um lado negativo, quais são então as más notícias? Primeiro, há algo no Blofeld que não conseguimos entender. Porque é que se constrói um synth com esta grandeza e depois põe-se a entrada dos headphones na parte de trás da máquina!? Se ainda não experimentaram, imaginem estar a tocar e a mexer nos knobs e ter CONSTANTEMENTE o fio dos phones a atrapalhar tudo! [Sim, estamos a ser melodramáticos, mas quem constrói uma máquina ao pormenor e se esquece deste!?] Em segundo lugar, os tempos digitais de hoje fazem com que os fabricantes forneçam um Software [VST ou Standalone] para acompanhar um produto desta natureza. A inexistência de um para o Blofeld é um ponto contra, já que trabalhar com DAW é tão essencial como ter um telemóvel [ainda mais num synth digital]. Também por isso justificavam-se mais knobs, pois sem um software, todo o processo de modelação sónica é feita através da variação de valores, de mais de centenas de parâmetros, e a Waldorf achou que chegavam 7 knobs!

No final, estes pontos negativos são quase ridículos em comparação com todo o resto, o Blofeld recomenda-se para qualquer produtor musical, pela liberdade e potência criativa e qualidade sonora soberba. O Waldorf Blofeld é a cereja e o bolo.

EGITANA