Mako R1: Reverb Stereo de Alta Fidelidade

Mako R1: Reverb Stereo de Alta Fidelidade

Redacção

A Walrus Audio anunciou mais um pedal da gama Mako, o R1 – um reverb stereo de alta fidelidade altamente personalizável e repleto de características úteis para melhorar o som de qualquer guitarrista.

Já aqui tínhamos avançado com um novo elemento da gama Mako – o ACS1, amplificador e simulador de coluna para guitarra -, mas eis que a Walrus Audio acrescentou ao seu catálogo outro novo pedal, o R1, um reverb stereo de alta fidelidade que tem tudo para se tornar um favorito.

O núcleo duro do som do novo R1 contempla seis programas de reverb: Spring, Hall, Plate, BFR, RFRCT e Air. Cada um destes tipos de efeito pode ser ajustado e guardado numa das nove slots de presets incorporadas no pedal. O decay, o efeito de swell e a mistura de cada reverb são ajustados através de knobs de uma única função ao longo da linha superior do pedal, enquanto as funções rate, depth e pre-delay são ajustadas através do knob Tweak de tripla função. Já o knob Tune serve para ajustar os graves ou os agudos do reverb.

De resto, e enquanto os programas Spring, Hall e Plate prometem sons reverberantes clássicos com um grau extra de afinação Mako (o botão ‘X’ para estes três sons controla respectivamente o nível de grão, o tamanho da sala e o overdrive de entrada), já o BFR, o RFRCT e o Air são um pouco diferentes.

Em primeiro lugar, o BFR – Big Fucking Reverb – é descrito pela marca como sendo «um reverb com um decay rico e exuberante». Aqui, a configuração X é quem controla quão difusos são os delays usados para criar o som pretendido. O RFRCT (vulgo, refractário) coloca ocasionalmente um som de delay reluzente e invertido sobre um reverb na sua maioria difuso. A frequência e o timbre deste efeito podem ser controlados através do rate e X, respectivamente.

Por fim, o reverb Air é descrito pela Walrus Audio como mais «estaladiço, grande e difuso», com uma construção mais lenta concebida para dar realce à forma de tocar em vez de a encobrir. No modo X são introduzidas texturas sonoras arejadas que se movem entre os canais esquerdo e direito.

O pedal tem entradas e saídas stereo mas pode funcionar tanto em stereo como em mono. Também possui ligações Midi in/out para expandir as nove slots predefinidas para 128 e para controlar diversos parâmetros. Os conversores digital-analógico e analógico-digital incorporados funcionam a um sample rate de 24-bit 48KHz para áudio de extremamente alta fidelidade.

O R1 custa uns €369 e está disponível a partir de Fevereiro. Mais informações aqui.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA