7

Anti-Flag

American Spring

Spinefarm Records, 2015-05-26

EM LOOP
  • Fabled World
  • Song For YourEnemy
  • The Debate Is Over (If You Want It)
Ines barrau

Em 1996, os Anti-Flag mostraram-se ao mundo com o primeiro álbum, “Die For The Government”. As letras e acções anti-guerra e anti-imperialistas, focando-se nos direitos humanos, nas lutas de classes, e em vários aspectos sóciopolíticos, chamaram desde logo a atenção sobre a banda e sobre a sua capacidade de análise. O disco despertou mentes, as mensagens afiadas e a tocar com o dedo na ferida tornaram-se autênticos hinos de contra cultura. Os seguidores foram aumentando e hoje são uma banda de culto.

Um título genial para um álbum que é uma excelente mistura do que é clássico e novo no som da banda.

“American Spring”, nono álbum de estúdio, prossegue o discurso iniciado desde a formação da banda. É um registo repleto de raiva, não alheio ao mundo em que coexistimos. Tudo dentro do que espera e dentro da constância dos seus trabalhos. É uma excelente mistura entre o seu som mais antigo e o novo, como se de um prosseguimento de “The Terror State” (2003) se tratasse. Os temas são rancorosos e velozes quando necessário, mas também pesarosos e introspetivos noutros momentos. Composições exactas e genuínas. Partilha, sob a égide genial, um sentido e vontade de esperança num mundo melhor e de entendimento entre países, governos e população em geral.

Conta com as participações especiais de Tim Armstrong, dos Rancid, em “Brandenburg Gate”, e do inigualável guitarrista dos Rage Against The Machine, Tom Morello, em “Without End”. Ambas as colaborações são bastante “descomplicadas” e apenas funcionais, para suplementar os argumentos dos temas. Podendo mesmo até passar despercebidas para a maioria dos apreciadores.