Black Sun Festival

2011-11-05, Républica da Música, Alvalade
Redacção

No Sábado à noite o Black Sun Festival mostrou bandas portuguesas nas varias vertentes do metal numa sala, a República da música, que é um espaço fantástico para este tipo de eventos. A primeira banda não entrou à hora certa, porque infelizmente o público, na altura, não era muito e ficou-se à espera de mais. Quando começaram já havia mais alguns entusiastas, mas não era o que imaginava e tenho pena porque foi um festival fantástico.

Os Bless the Oggs foram a primeira banda a tocar e conseguiram grande show, ainda que possa ser suspeito porque adoro a cena post-hardcore, mas foi sem dúvida um grande concerto. Via-se que adoravam o que estavam a fazer e ainda que sejam músicos bastante novos, a banda meteu todo o publico aos saltos, este vosso repórter incluído. Aliás, foi a única banda que teve direito a um encore.

A segunda banda foram os Kandia, um banda que já deu mostras que é um dos grandes valores nacionais, basta dizer que foram a primeira parte dos Within Temptation. Tocam muito bem e a Nya Cruz tem uma voz fabulosa. O público sabia bem as letras, o que quer dizer que esta banda está no bom caminho e recomenda-se, um destaque também para o guitarrista André Cruz, que tem muita segurança e faz com que este grupo seja uma força da natureza.

Depois surgiram os Crushing Sun, uma banda de Vila do Conde, que praticam um death/sludge metal poderoso e contemporâneo e contam com um frontman brutal! Com grande voz e grande presença. Foram uma banda que apesar de alguma deserção de público não deixou de o meter, os que ficaram, ao rubro. Que power!

Por último os Painted Black, a banda anfitriã, com o seu doom/death metal mais atmosférico, com uma presença em palco cheia de poder, mostraram porque são considerados por muitos uma das melhores bandas nacionais de metal. A voz de Daniel Lucas tem um poder surreal e cheia de carisma.

Resumindo em poucas palavras este festival: Quero mais! Parabéns a quem organizou e a todas as bandas.

Texto e Fotos: Victor Schwantz