Cansei de Ser Sexy

2011-11-29, TMN ao Vivo, Lisboa
Redacção

Os Lábios subiram ao palco, pelas 21 horas, e esperava-os meia sala porque a outra metade dos espectadores ainda estava na fila para entrar. Num concerto curto a banda portuguesa soube aquecer e puxar pelo público, como lhes competia. Pautados por um som rock alternativo, têm como grande trunfo a sua vocalista, San de Palma, que se comportou como uma estrela de rock, no bom sentido da palavra.

Poucos minutos depois das dez da noite foi a vez de subirem ao palco as Cansei de ser sexy (CSS), sim agora o género já é definitivamente feminino porque a banda de São Paulo é neste momento composta por quatro mulheres, depois sa recente saída da banda do baixista e produtor Adriano Cinta. De qualquer das formas, as brasileiras fizeram-se acompanhar por um baterista e um baixista do género masculino.

Géneros à parte, as CSS não são sexys e fazem por não o ser, como provou a vocalista Lovefoxxx que entrou em palco com um estilo desportivo e com uma cabeleira afro.

São uma banda de miúdas que se diverte com aquilo que faz e fazem-no sempre de uma forma desinteressada, mas genuína. Não são brilhantes e isso nota-se cada vez mais. Talvez as expectativas façam com que a desilusão seja maior. As CSS são donas de alguns hits interessantes, como “Let’s Make Love and Listen to Death From Above” , “Alala” ou “Hits Me Like A Rock”, que são canções que alegram, mas não passam disso. Não são brilhantes enquanto intérpretes do seu instrumento, não cantam bem.

Dito isto, podemos resumir o concerto a uma festa de liceu, ou de faculdade onde poderíamos imaginar no palco umas amigas nossas que se estão a divertir ao máximo e vão experimentado várias sonoridades, do rock à electrónica, e que até fazem crowd surfing, que improvisam à maneira dos Beastie Boys para contar a sua história e nós cá em baixo na plateia podiamo-nos imaginar como colegas delas e estaríamos a adorar. E este foi certamente o sentimento da maioria dos presentes, o de uma noite de segunda-feira bem passada, tal como foi para as CSS, que também o  referiram e agradeceram.

Por Nélio Matos | Fotos Ricardo Dias