8

Future Islands

The Far Field

4AD, 2017-04-07

EM LOOP
  • Time On Her Side
  • Ran
  • Through The Roses
Hugo Tomé

Assim sem rodeios, vamos assumir que Samuel T. Herring é o melhor frontman da actualidade. Desde Elvis e Ian Curtis que não se viam movimentos corporais tão genuínos e carismáticos em palco. Desde os anos 90 que não se via um líder tão forte e extraordinário. Da sua paixão e emoção sai a espectacularidade dos Future Islands ao vivo. Da sua paixão e emoção sai a personalidade de mais um disco.

The Far Field é mais um disco carregado de personalidade, paixão e propulsão synth pop.

Depois de “Singles” ter catapultado e afirmado o trio norte-americano como uma das bandas mais interessantes e relevantes da cena indie pop actual, “The Far Field” chega com a difícil missão de dar seguimento aos frutos colhidos. A contar pela primeira vez com a participação na íntegra do baterista Michael Lowry, o quinto disco de originais dos Future Islands planta novamente sementes de synth pop geradas pela notável composição entre baixo, teclas e batidas. A notável composição que marca o passo e o compasso para a voz de Samuel T. Herring – ora de Rod Stewart, ora soturna – regar “The Far Field” com o seu maior destaque, as palavras.

As palavras cada vez mais pessoais, sentidas e protagonistas. As palavras de um romântico incorrigível. Nem melhores, nem piores, apenas bons! Os Future Islands continuam bem, e recomendam-se.