MEO Marés Vivas: Keane, Kodaline, Os Quatro e Meia

MEO Marés Vivas: Keane, Kodaline, Os Quatro e Meia

2019-07-19, Vila Nova de Gaia
Emanuel Ferreira
Emanuel Ferreira
8
  • 7
  • 8
  • 8
  • 9
  • 6
  • 7
  • 6
  • 7

Os Keane, bem secundados pelos Kodaline e Os Quatro e Meia, promoveram um desfile de hit singles no primeiro dia do Marés Vivas.

Finais de tarde de semana e início de festivais são sempre complicados. Se a isso se juntar o habitual trânsito e todas umas condicionantes na envolvente do festival, o resultado foi perder o arranque do palco principal com Mishlawi e apenas ouvir este no acesso final à antiga Seca do Bacalhau. Com a saída do luso-americano de palco, um banco de nevoeiro instalou-se no recinto, baixando a temperatura e trazendo humidade.

Pouco depois subiam ao palco Os Quatro e Meia, que na realidade são seis. Boas melodias, um misto de sarau académico com pop cantada em português, o colectivo coimbrão foi uma agradável surpresa, uma lufada de ar fresco e um verdadeiro começo de festival, sem pretensões. Com um misto de instrumentos tradicionais, como o acordeão de M. Ferreira, misturados com alguns acústicos e outros electrificados, os autores de “Baile de S. Simão” conseguiram aquecer o público numa noite que se fazia fria.

“Pontos nos Is”, deste ano, será um disco que ainda poderá crescer, daqueles que anos mais tarde ainda estão na memória graças ao vigor dos temas.

Mas a noite estava reservada para os Keane, para um ramo de flores e um Fender Precision Bass que trouxe rock a um concerto de hits. Primeiro as flores, um grupo de fãs que na primeira fila ensaiava uma coreografia e umas flores que se agitavam. À segunda música, “Silenced By The Night”, as mesmas já repousavam na bateria de Richard Hughes. Era a Cause and Effect Tour a chegar ao renovado espaço do Marés Vivas, com um Tom Chaplin bem-humorado a alterar a letra da música metendo a referência ao Porto, e a aproveitar a pausa antes de “On The Road” para desfraldar uma bandeira nacional que tinha chegado desde o público, apelidando-a, ironicamente de “bandeira espanhola”, pouco depois relembrava anteriores passagens por Portugal, referindo «nunca ter sentido tanto frio».

Entre bom humor e hits que se sucediam, o baixo de Jesse Quin, rocker entre músicos de pop, trouxe o músculo ao concerto, dando-lhe uma dimensão inesperada. Ainda houve tempo para lembrar que estavam ali por um novo disco, o primeiro em sete anos, que dá nome à digressão e de onde tiraram “The Way I Feel”, “Love Too Much” e “Chase the Night Away”. Tudo servido por um excelente jogo de luzes, numa aposta claramente ganha.

Ao quarteto britânico, seguia-se outro quarteto, só que irlandês, embora em palco reforçados por um teclista. Porém a mudança não ficava só por aqui, com o público na frente do palco a baixar a média de idades claramente numa década, uma boa forma de perceber que gerações os grupos influenciaram. Steve Garrigan arrancou “Follow Your Fire” na parte recuada do palco, enquanto Mark Prendergast dividia os vocais e os acordes na sua réplica de uma Fender American Deluxe Telecaster.

Com “Brand New Day”, Steve pegou num violão acústico e entrou em “Brand New Day”. Logo se percebeu que este concerto seria mais calmo, Steve não é Tom, porventura mais introspectivo e tentando que se perceba que tem voz para lá do palminho de cara. Ainda recordou que estavam a rodar o terceiro disco dos Keane, já de 2018, e em “Head Held High” trouxeram um vídeo que foi das mais bonitas apresentações do festival. Com o concerto, a atenção começou a focar-se cada vez mais nas capacidades de multi-instrumentista de Mark, bem como em Jason Boland e o seu baixo. No final, ainda restou tempo para “Chasing Cars” dos Snow Patrol, grupo que vieram substituir no cartaz.

SETLIST

  • KEANE
  • Bend and Break, Silenced by the Night, On the Road, We Might as Well Be Strangers, The Way I Feel, Spiralling, Bedshaped, Nothing in My Way, You Are Young, My Shadow, This Is the Last Time, Is It Any Wonder?, Try Again, Love Too Much, Everybody’s Changing, Somewhere Only We Know, Chase the Night Away, Crystal Ball, Sovereign Light Café
  •  
  • KODALINE
  • Follow Your Fire, Brand New Day, Ready, Honest, Brother, Head Held High, The One, Love Like This, Raging (Kygo cover), Wherever You Are, All I Want, High Hopes, Wicked Game, Chasing Cars