8

Lambchop

Mr.M

Merge Records, 2012-02-21

Redacção

Os Lambchop contam na sua discografia 11 álbuns de estúdio e mais de 20 anos de carreira. A banda de Nashville toca a música da sua cidade, o country, e tem como figura principal Kurt Wagner, vocalista e guitarrista. Wagner, conhecido pelos seus bonés e chapéus, é dono de uma voz grave, “aperfeiçoada” pelos cigarros, que canta palavras ásperas e palavras de amor embaladas pela sua guitarra.

“Mr. M” sucede a “Ohio (OH)”, de 2008. O interregno entre os dois álbuns deveu-se ao facto de Kurt Wagner ter decidido deixar de fazer música e dedicar-se à pintura, uma das suas paixões, após a morte prematura do seu amigo Vic Chesnutt, também ele músico, a quem este disco é dedicado. As imagens de “Mr. M” são retiradas das pinturas de Wagner, da colecção “Beautillion Militaire 2000”.

Este disco é mais do mesmo na obra da banda, mas o mais do mesmo dos Lambchop é fazer grandes música e “Mr. M” não escapa à regra, é sublime. É um disco íntimo, sobre o amor, a perda e a cura. Fala sobre o sentido da vida, os seus altos e baixos. É um álbum pessoal, de um coração destroçado, que canta as desgraças mas que se tenta reerguer, apresentando alguns momentos de alento em “The Good Life (Is Wasted)” e dois bons instrumentais “Gar” e “Betty’s Overture” onde é possível comprovar a qualidade dos arranjos.

“Mr. M” é Sinatra e pode servir-se com um copo de vinho junto à lareira.

Por Nélio Matos