7.5

League

Golden Maps

Optimus Discos, 2011-11-15

Hugo Tomé

É melhor esquecermos o mundo tal como o conhecemos, as fronteiras tal como as definimos e os países tal como os construímos. “Golden Maps” não é nada que já não se tenha feito antes, é certo! Mas faz parte de uma redefinição do mapa-mundo, banhado a ouro por união, tempo e mudança. Mudança de tempos e de vontades onde não há espaço para crises ou dificuldades. Há sim, uma travessia Pop que funde a natureza, o psicadelismo e o tribalismo numa sonoridade que se revela urbana no segundo EP dos League.

Com um abraço no dream pop, um piscar de olho ao rock e um aperto de mão à electrónica, a dupla Jorge Ribeiro e José Tornada desenham um mundo sem barreiras de géneros musicais, munido de sons elaborados por texturas celestiais e reflexos virtuosos. Aprazíveis melodias de contágio directo como se espera de uma concepção assumidamente pop. Um álbum que carrega a sintetização de “Golden Maps”, “Your World” e “Two Wild Hearts” a níveis que “How Do I Know” faz explodir, deixando partículas a pairar no ambiente introspectivo de “The Shore” ou “The Universe Glows Below”.

Da pista de dança, para o rádio do carro ou simplesmente para a aparelhagem do quarto. Os League espalham frescura carregada de bom espírito e sensações de puro prazer. “Golden Maps” até pode não ser nada que já não se tenha feito antes, é certo! Mas nunca é demais dizer: faz sempre falta ter um disco assim!